Manaus, 14 de Novembro de 2018
Siga o JCAM:

Caixa reduz juros de créditos imobiliários

Por: Hellen Miranda - hmiranda@jcam.com.br
19 Abr 2018, 20h00

Crédito:Walter Mendes
O anúncio da redução dos juros e mudanças no financiamento da casa própria pela Caixa Econômica Federal, deve ajudar a estimular o mercado imobiliário neste ano. Agora, a taxa de juros passa a ser menor e o percentual de financiamento maior. Para especialistas, o consumidor deve aproveitar o momento para adquirir os imóveis tanto novos e usados, a preços mais acessíveis.

De acordo com o economista da Corecon-Am (Conselho Regional de Economia do Amazonas), Francisco Mourão Júnior, a mudança deve impactar de forma positiva o mercado imobiliário brasileiro e regional, principalmente após um período de juros altos e restrição ao crédito, resultando na redução da capacidade de compra do consumidor.

"Essa ampliação do crédito é mais uma boa cartada porque ao estimular a compra, impulsiona o setor da construção civil, o que gera emprego e renda. Com isso, a expectativa é que se tenha momentos melhores à frente para o mercado imobiliário", avalia o especialista.

Segundo a Caixa, agora os juros mínimos serão de 9% ao ano para os imóveis que custem até R$ 800 mil em quase todo o país, incluindo Manaus. Já no Rio de Janeiro, São Paulo, Minas e no Distrito Federal, o valor vai até R$ 950 mil. No caso do imóvel acima desse valor, a taxa passa para 10% ao ano. A Caixa também ampliou de 50% para até 70% o financiamento de imóveis usados.

Na avaliação do presidente da Ademi-AM (Associação das Empresas do Mercado Imobiliário do Amazonas), Romero Reis, com as novas medidas, a Caixa deve voltar a ditar as regras no mercado, no qual é detentora de 90% dos financiamentos imobiliários no Amazonas. O banco deixou de ser o líder referente a recursos da poupança desde novembro do ano passado, mas ainda é o primeiro na concessão de crédito imobiliário como um todo.

"Isso quer dizer que de cada 10 vendas de imóveis, 9 são dela na região, que em meio às dificuldades de capitalização e com taxas de juros congeladas há quase 1 ano e meio, perdeu a liderança para outros bancos no financiamento imobiliário nas linhas de crédito com recursos da poupança. Este anúncio é altamente positivo para incrementar o mercado e conferir a ela a volta na liderança", afirma.

Bom para o consumidor

Romero Reis ressaltou que o consumidor deve aproveitar o mudança, somada a queda da Selic, que está no menor patamar da história 6,5% ao ano e a baixa no valor do metro quadrado para comprar um empreendimento, já que com a retomada econômica, o preço do imóvel deve voltar ao valor real.

"Nos últimos anos os preços bateram no fim do poço, sendo bom para quem estava em busca do imóvel próprio em contrapartida em que as empresas perdiam resultados positivos. Mas agora com a retomada e com os lançamentos, devem impactar no valor do metro quadrado. A expectativa é de que em 12 meses a valorização chegue a 10%, ainda é inferior aos níveis de 2012 e 2013, no entanto já sinaliza uma tendência de alta", disse Reis.

Francisco Mourão Júnior reforçou que a hora é agora. "Ainda existe uma grande oferta de imóvel no mercado e acredito que o momento é agora. As taxas estão baixas e as facilidades também, basta analisar e pechinchar os preços, além de aproveitar essa mudança na regra para tentar fechar um bom negócio", orienta o especialista.


Crescimento de até 5%

O anúncio da Caixa deve ajudar também o mercado imobiliário local a atingir a meta de crescer até 5% neste ano, prevista pela Ademi-AM. Segundo a entidade, somado a isso tem ainda a redução das taxas dos financiamentos imobiliários, referente ao Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo - SBPE, seguindo a baixa histórica da Selic.

"Nos últimos quatro anos o PIB negativo andou pra trás em mais de 20%, e agora com o retorno econômico esperamos um crescimento de 1% a 5% em 2018", projeta Reis. Em 2017, o setor movimentou cerca de R$ 806 milhões com a venda de quase três mil imóveis novos na capital amazonense.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário