Manaus, 16 de Novembro de 2018
Siga o JCAM:

Cerveja, a bebida que combina com Manaus

Por: Evaldo Ferreira - eferreira@jcam.com.br
13 Abr 2018, 19h40

Crédito:Walter Mendes
Investir na fabricação de cerveja parece ser um bom negócio. Se as pessoas estão tristes, bebem para esquecer; se estão alegres, bebem pra comemorar. No verão brasileiro a cerveja é a bebida da hora, geladíssima, e na Europa é consumida ao natural, mesmo.

 Dados da CervBrasil (Associação Brasileira da Indústria da Cerveja) mostram que até 2017, o setor gerou cerca de 2,2 milhões de empregos e sua receita correspondeu a 1,6% do PIB (Produto Interno Bruto), contribuindo com R$ 23 bilhões de impostos ao ano. Ainda de acordo com a CervBrasil, o país tem cerca de 117 mil hectares plantados com cereais destinados à produção da bebida. Em 2016, o Brasil fabricou 14,1 bilhões de litros de cerveja, ficando atrás apenas da China e dos EUA e se tornando o terceiro maior produtor mundial. Atualmente, estão registradas no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, 610 cervejarias, que fabricam 7.540 produtos, divididos entre cervejas e chopes. Esse número cresceu cerca de seis vezes desde 2007, impulsionado, principalmente, pela abertura de empresas de pequeno porte, micro-cervejarias e brewpubs (bares que produzem sua própria cerveja).
 Manaus não está fora desse mapa com várias cervejarias artesanais surgindo a todo instante. A maior delas é a Cervejaria Rio Negro, idealizada em 2011 pelos empreendedores Adelino Silva e José Pereira Lima, este, mestre cervejeiro. "Em setembro de 2015 nossa estrutura já estava montada e, em abril do ano seguinte, começou nossa produção. Em 3 de setembro daquele ano fizemos nossa primeira venda no Shopping do Chope, nosso bar, aqui ao lado da fábrica, e foi quando passamos a comemorar o aniversário da empresa", contou Lima.

 "Nossa cerveja é o que se chama cerveja artesanal, produzida por toda pequena cervejaria. A cerveja artesanal demora 26 dias para ficar pronta, entre os processos de fermentação e maturação. Uma cerveja industrializada fica pronta em 72 horas", contou.

 "Atualmente estamos produzindo 60 mil litros/mês. Até então produzíamos só o líquido entregue em barris (chope) ou em máquinas (cerveja), mas no dia 27 de janeiro lançamos a nossa primeira cerveja envasada, a pilsen Yahu. No mês seguinte lançamos a S'A, trigo claro, e a Tohö, trigo escuro. Agora em abril acabamos de lançar a premium Muyrá, todas em garrafas de 500 ml", listou.

 "Os nomes indígenas são tikuna, numa homenagem a esse povo indígena do alto Solimões, e cada garrafa traz a lenda relativa ao nome", explicou.

 "Agora em maio vamos lançar mais uma cerveja, sabor ipa (Índia pale ale), que se chamará Cabocla, e até o final do ano iremos lançar outras três, ainda sem nome definido", adiantou.

"O mercado de cervejas é um mercado crescente em Manaus, principalmente o artesanal, que pode dispor de intermináveis sabores, além da certeza de ser uma bebida pura, que não te deixa mal depois de bebê-la. Esperamos ter um acréscimo de 30% nas nossas vendas até o final do ano, como resultado do envasamento. Como nossas cervejas são bem amazônicas, tanto no nome quanto nos rótulos, estamos fazendo kits para que as pessoas que visitam Manaus, as comprem e as levem para dar de presente e elas fiquem conhecidas em todo o Brasil e até no exterior", revelou.

 Em novembro do ano passado o empreendedor André (Dedé) Parente, dentro do estilo brewpubs, lançou mais uma marca de cerveja, a Jambubier, mais amazônica do que nunca por conter jambu em sua formulação.

"Trata-se de uma cerveja artesanal e a única cerveja do Brasil com essa erva amazônica. A Jambubier é fabricada em Belo Horizonte, pela Krug Bier, a primeira cervejaria artesanal de Minas, inaugurada em 1997, e exatamente por ser artesanal, ela recebe uma atenção especial no seu tempo de preparo, por isso é muito mais saborosa que as industrializadas, que precisam atender ao consumo de massa", garantiu. "É uma cerveja caracterizada como summer ale, ideal para ser consumida em dias quentes", acrescentou.

 A Cachaçaria do Dedé produz outros três tipos de cervejas: a Weiss, que é uma cerveja feita com trigo; a Dunkel, preparada como malte torrado o que faz com que fique com um gosto meio amargo, tipo achocolatado; e a Pilsen Prêmio, também fabricadas na Krug Bier.

"As nossas cervejas são produzidas por um mestre cervejeiro pertencente à quarta geração de uma família australiana, que até hoje tem a sua cervejaria em seu país", disse.

Atualmente a Cachaçaria do Dedé, com três lojas em Manaus, é um dos maiores pontos de vendas de rótulos de cerveja na capital amazonense com mais de 130 rótulos da bebida, produzidas em vários locais do país e do exterior. 

Comentários (0)

Deixe seu Comentário