Manaus, 16 de Novembro de 2018
Siga o JCAM:

Piaf, com requinte e sofisticação

Por: Evaldo Ferreira - eferreira@jcam.com.br
04 Abr 2018, 19h26

Crédito:Walter Mendes
Quem já ouviu Édith Piaf, com certeza se encantou com as canções de uma das maiores cantoras francesas. Quem conhecer o Piaf Restaurante e Café, o mais novo ponto gastronômico de Manaus, possivelmente também se encantará com seu cardápio, mas principalmente com o ambiente e a decoração do local.

"Na realidade não escolhi o nome Piaf para homenagear a cantora parisiense, mas porque esse nome é famoso em cafés e bistrôs de vários países", explicou Douglas Rodrigues, proprietário do restaurante e café, conhecido na cena cultural de Manaus por ser diretor de teatro e, atualmente, presidente da Fetam (Federação de Teatro do Amazonas).

O Piaf foi inaugurado há pouco mais de um mês, em 22 de fevereiro, na rua 10 de Julho, bem ao lado do Teatro Amazonas num casarão assobradado de 1911. Os mais antigos lembrarão que no mesmo local funcionou por décadas a boate Jet Set.

"Há oito anos ocupo este espaço sendo que, apenas a parte de baixo, com a Estação Cultural Arte & Fato, reunindo bar, pub e artes cênicas, agora com o nome de Largo 443. Como o andar superior estava abandonado já há algum tempo, resolvi montar o Piaf. Mandei restaurar todo o ambiente, com os trabalhos durando onze meses, e eu mesmo fiz a decoração, com muitas fotografias de artistas, James Dean, Marilin Monroe, Carmen Miranda e, lógico, Édith Piaf. Uma parede inteira é dedicada a ela", contou. "Também me preocupei com os móveis, alguns deles realmente antigos, comprados em antiquários de Manaus. Deixei algumas paredes com tijolos aparentes remetendo ao tempo em que o casarão foi construído, e completei a decoração com quadros do pintor Jandr Reis, para valorizar os artistas locais", contou.

O ambiente retrô remete a uma viagem aos cafés de Paris, tipo aqueles vistos nos filmes franceses, ainda mais com os grandes janelões que deixam à mostra o Teatro Amazonas. A música é ambiente e reúne clássicos dos mais variados períodos. "A música é um detalhe, para enriquecer ainda mais o clima nostálgico do Piaf", afirmou.

"Quando imaginei o Piaf, não pensei num local exclusivamente gastronômico, mas num espaço de convivência onde as pessoas possam sentar e conversar. Um local para encontro de amigos, onde se faça networking e até novas amizades. A culinária serve para coroar esses momentos", falou.

Café regional como diferencial

O restaurante e café, com capacidade para 118 pessoas sentadas, abre suas portas às 11h e segue até às 23h. São dois ambientes distintos. O almoço é self service, com comida caseira, carnes, peixes, saladas e alguns itens veganos.

O café regional começa à tarde, "e é aí que está o diferencial do Piaf. O Teatro Amazonas vive sendo visitado diariamente por turistas e não tínhamos no seu entorno nenhum autêntico café regional. Agora temos", afirmou.

Só as tapiocas têm doze recheios diferentes, nove salgados e três doces, desde a mais simples, apenas com manteiga (R$ 4,) até a doce, com morango e Nutella (R$ 14,) passando pelas populares com queijo coalho, castanha, ovo, tucumã, banana, carne seca, e coco molhado. "E estamos lançando a tapioca e o cuscuz com recheio de pirarucu", lembrou.

Falando em cuscuz, este tem sete variedades, desde o mini (R$ 4,) até o recheado com carne seca, queijo coalho ou jabá (R$ 9). Ainda têm os sanduíches comuns e naturais. "Completando o café regional, servimos o famoso mingau de banana e mungunzá, bem ao estilo dos servidos no mercadão Adolpho Lisboa, bolos de milho e de chocolate, saladas de frutas, farofas (de charque, ovos, ou camarões), quiches, tarteletes, macaxeira, batata doce, pupunhas. Um autêntico café regional, num ambiente requintado, mas nada de pensar que nossos preços são altos, somente para ricos. Foi-se o tempo em que se podia cobrar caro que os ricos pagavam. Hoje não está mais assim e temos que nos adequar ao atual momento da economia", ensinou.

No jantar o Piaf funciona como rodízio de massas. "Servimos espaguete, nhoque, canelone, tortellini, rondele, talharim, ravioli, lasanha e pene, mais caldos, sopas e risotos. De segunda a quinta-feira o rodízio custa R$ 28, na sexta e no sábado, R$ 30, incluindo água e refrigerante. Nossas massas são naturais, feitas aqui mesmo em Manaus por uma chef italiana", revelou.

"O público que tem vindo ao Piaf tem elogiado bastante o ambiente, o cardápio, os serviços, então acho que o caminho é esse: o básico, porém com requinte", finalizou.

O que? Piaf Restaurante e Café
Onde? Rua 10 de Julho, 443 - ao lado do Teatro Amazonas
Funcionamento:
De segunda a sábado, das 11h às 23h
Face e Instagram: Piaf Restaurante Café
Informações:
(92) 9 9291-5578

Comentários (0)

Deixe seu Comentário