Manaus, 18 de Setembro de 2018
Siga o JCAM:

Um alerta no Dia Mundial da Água

Por: Evaldo Ferreira - eferreira@jcam.com.br
21 Mar 2018, 19h05

Crédito:Walter Mendes
Hoje, 22 de março, é o Dia Mundial da Água, uma data que, antes de ser comemorada, deve servir de alerta, pois em algumas cidades do planeta, coisa inimaginável há pouco tempo, a água está acabando. A Cidade do Cabo, na África do Sul, famosa por suas praias, tornou-se a primeira cidade na história recente, a ter 0% de água.

Em Manaus, ainda podemos ir a lugares com muita água, para se divertir e tomar banho. Lugares com tanta água, que acomodam flutuantes, como o Flutuante do Leão, no Puraquequara, no igarapé da Boa Vista.

O Flutuante do Leão pertence à família Leão e começou a ser construído, sem muitas pretensões, em 2000. "Meu pai era da cidade de Atalaia do Norte e seus maiores prazeres eram plantar e pescar. Quando viemos morar em Manaus, meu irmão resolveu comprar esse terreno, com esse belo igarapé, para que meu pai continuasse a desfrutar daqueles prazeres", contou Deusmar Leão.

"O flutuante ficou pronto em 2001, mas era apenas para reunir a família, assar uns peixes, tomar umas cervejas e se banhar nessas águas mornas do igarapé, mas aí começaram a vir os amigos, depois os amigos dos amigos, e começamos a ver que dava para ganhar um dinheiro, não para fazer disso um comércio, mas para bancar os custos que tínhamos com o flutuante. Nada mais além disso", explicou.
"Como eu já tinha tido um bar e restaurante, no centro de Manaus, trouxe todo o material para cá e desde então o Flutuante do Leão se tornou uma área de lazer para quem gosta de curtir a natureza", contou.

Mas, apesar de belíssima, a natureza do local é bastante frágil. "Em 2010, quando foi registrada a maior seca aqui no Amazonas (em mais de 100 anos de medições), toda essa água que estamos vendo aqui, simplesmente desapareceu. O flutuante ficou na terra e nasceu capim em tudo ao redor", recordou. "Em 2015 a seca foi grande, também, não como a de 2010, mas a água baixou bastante", disse.

Esse ano, pela primeira vez nesses quase 20 anos em que Deusmar mora no local, um fenômeno o está surpreendendo, e assustando. "Estamos na época da cheia das águas, ou ao menos era pra estar. Mas elas estão paradas. Nem sobem, nem descem. Nunca vi isso antes, nesse tempo todo que estou aqui. Já era pra estar uns quatro, cinco metros mais alta, mas há dias está parada e até ameaçou baixar", informou.

Pesca predatória e queimada

O igarapé Boa Vista está localizado na zona Leste de Manaus, e é abastecido pelo rio Puraquequara, por sua vez abastecido pelo Amazonas através de uma pequena desembocadura.

"A melhor época para a movimentação de clientes aqui no flutuante é de outubro a novembro, quando o igarapé está cheio, e tem alguns motivos para isso. Na cheia, esse estirão de terra que existe do estacionamento até aqui, praticamente fica submerso. Parece incrível, mas as pessoas reclamam e tem preguiça de andar a extensão de terra que aparece na vazante. Também a água fica pretinha. Na vazante as águas se tornam barrentas, e mesmo não tendo cauxi, quase ninguém gosta de tomar banho", falou.
"Aqui dá todo tipo de peixe que se imaginar: matrinxã, jaraqui, pacu, tucunaré, tambaqui, sardinha, e outros. Mas já foi melhor. Hoje precisa ter muita paciência para pegar algum", lamentou. "Não permito que ninguém pesque de rede ou malhadeira nas imediações do flutuante. Só de caniço e linha. Os peixes que vendo, são todos comprados na feira, porque não tem como pescar em quantidade no igarapé. Esses matos que existem na beirada, onde os peixes gostam de se abrigar, estavam todos devastados quando vim pra cá, mas hoje voltaram a crescer porque eu não arranco nada", afirmou.

"Mas ainda existe pesca predatória, com bombas, nas áreas mais afastadas do igarapé e nesse terreno aí da frente, todos os anos o dono faz uma queimada imensa que enche a região de fumaça. Já reclamei para os órgãos competentes, mas como ele é empresário, ninguém fez nada. Antes, aí, era só árvore. Agora é só mato alto, e ainda assim ele faz queimada", reclamou.

Só lazer e diversão

Para comemorar, ou melhor, para conhecer o local antes que ele perca a beleza natural, uma visita ao Flutuante do Leão é uma boa indicação neste Dia Mundial da Água. "Existem famílias que frequentam aqui há dez, quinze anos. Temos um espaço de lazer para a família. Não permito bagunças no flutuante e em toda essa área", garantiu. "Dá para chegar de carro, mas muita gente vêm de lancha. Começamos com um flutuante e hoje são três, interligados. Nossos pratos são todos à base de peixes, principalmente a famosa banda assada de tambaqui, o prato mais pedido. Os frequentadores mais assíduos costumam ligar e adiantar o que querem comer. Depois, o resto, é só lazer e diversão", completou.

O Flutuante do Leão está localizado na rua 3, número 902, Puraquequara. Informações: (92) 9 9982-4437.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário