Manaus, 17 de Novembro de 2018
Siga o JCAM:

Amazônia é prioridade do Exército

Por: Tânair Maria
19 Mar 2018, 19h31

Crédito:Divulgação/Assessoria
O General de Exército Geraldo Antonio Miotto se despediu do CMA (Comando Militar da Amazônia) após dois anos, agora para comandar o CMS (Comando Militar do Sul). A passagem de comando para o General de Exército César Augusto Nardi de Souza ocorreu na noite de sexta-feira (16), contando com a presença de autoridades civis e militares.

Na ocasião, o comandante do Exército Brasileiro general Eduardo Villas Bôas fez um breve relato sobre o primeiro mês da intervenção no Rio de Janeiro, a situação na região de fronteira na Venezuela e a urgência na conclusão da rodovia BR-319 que é uma demanda essencial a ser atendida em prol da Amazônia e para a Segurança Nacional.

Com o sentimento de trabalho realizado, o general Miotto se despede do CMA para assumir o CMS (Comando Militar do Sul), considerado um dos maiores do país. "Foram dois anos de intenso trabalho, do Braço Forte e da Mão Amiga. Eu vou falar da mão amiga porque nós somos os protetores da fauna, da flora e do povo da Amazônia. Nossos pelotões, nossos hospitais, nossos médicos estão atuando em toda a fronteira. Lá em São Gabriel da Cachoeira 90% da população é atendida pelo Hospital Militar, Tabatinga da mesma forma", afirma.

Durante a passagem de comando, o general Miotto também agradeceu o apoio que recebeu de diversas entidades de classe amazonense durante o tempo que permaneceu no CMA. "Nós trabalhamos em conjunto com a Marinha, Força Aérea, os órgão de segurança do Estado, isso que é importante. Esse é o Exército Brasileiro. E, o braço forte que está coibindo o ilícito transnacional, o narcotráfico, o contrabando de armas e munições", agradeceu.

Segundo o general Miotto, só no mês de janeiro foram apreendidos 5.3 toneladas de skank, na calha dos rios Japurá e Içá. "Esse é o compromisso do Exército. A Nação nos paga para proteger o povo, para retirar essa droga de circulação que está impregnando de sangue nossas crianças, nossos jovens, nosso povo. E o trabalho vai continuar aqui e na tríplice fronteira no Sul do país. O Lago Itaipu é uma área muito sensível do descaminho, do ilícito e nós vamos atuar da mesma forma", garante.

A solenidade de passagem de comando contou com a participação de diversas autoridades civis e militares, com destaque para a presença do Comandante do Exército Brasileiro general Villas Bôas, do governador do Estado do Amazonas Amazonino Mendes e do prefeito de Manaus Arthur Virgílio Neto.

Villas Bôas defende obras na BR-319

O General de Exército Eduardo Dias da Costa Villas Bôas é Comandante do Exército Brasileiro desde 5 de fevereiro de 2015. Segundo ele, a Amazônia é prioridade número um do Exército Brasileiro. "Primeiro pela quantidade de recursos naturais que ela abriga. Segundo, pela possibilidade que ela oferece de interligação e integração com todos os países sul-americanos. E terceiro, porque a Amazônia tem resposta para os maiores problemas da humanidade, qual sejam com a biodiversidade, meio ambiente, produção de alimentos, energia limpa e água", destaca.

O Comandante do Exército que também já atuou fortemente no CMA, ressaltou a importância da conclusão da rodovia BR-319 para interligar o Amazonas ao restante do país. "Não é sem tempo, imaginarmos Manaus não estar ligada ao restante do Brasil, seria a mesma coisa que por exemplo, Porto Alegre para onde vai o general Miotto, não estivesse ligado ao restante do Brasil. Então essa é uma demanda essencial a ser atendida em prol da nossa Amazônia e para a Segurança Nacional", alerta o general Villas Bôas.

Na oportunidade, o general Villas Bôas fez um breve balanço da intervenção no Rio de Janeiro, após a morte da vereadora Marielle Franco (PSOL) e de seu motorista, na semana passada. O assassinato aumenta a importância da intervenção, porque esse é mais um crime de tantos milhares que afetam o dia a dia da população. E, portanto, é um trabalho extremamente detalhado e tem que ser amplo e profundo e de longo tempo para nós recuperarmos a percepção de segurança que a população brasileira precisa. Nós acreditamos que agora, no prosseguimento da intervenção os resultados começarão a surgir", explica.

Outra preocupação do Comandante do Exército Brasileiro é a situação dos venezuelanos que cruzam as fronteiras rumo ao Brasil, em busca de uma vida melhor. "Agora com esse problema que estamos vivendo com a Venezuela, fica bem clara a importância de nós estarmos presentes e vigilantes nas fronteiras", conclui o general Villas Bôas.

O prefeito de Manaus Arthur Neto, ao dar boas vindas ao novo comandante do CMA, destacou que sempre teve um bom relacionamento institucional e de amizade com os comandantes do CMA. Ele citou os generais Eduardo Villas Bôas, Guilherme Theophilo e Antônio Miotto, que antecederam, respectivamente, o atual comandante general César Augusto Nardi. "Foi uma sequência de ótimos comandantes militares da Amazônia e o general Nardi tem tudo para repetir essa cena. Desejo muita sorte a ele e também ao general Miotto em sua próxima missão", declarou.

Comentários (1)

  • mimico netto22/03/2018

    As Forças Armadas sempre serão a grande esperança do povo brasileiro para reorganizar o Brasil dentro da Ordem e do Progresso.

Deixe seu Comentário