Manaus, 21 de Novembro de 2018
Siga o JCAM:

Recursos hídricos na pauta das indústrias

Por: Hellen Miranda - hmiranda@jcam.com.br
16 Mar 2018, 19h53

Crédito:Divulgação
Cada vez mais as companhias estão voltadas para a gestão ambiental e sustentabilidade, investindo em práticas positivas no sentido de mostrar a importância de se reduzir o consumo de água em processos produtivos, que além de ajudar na preservação do planeta, também geram economia e impactam no faturamento das empresas.

Uma das gigantes do PIM (Polo Industrial de Manaus), a Moto Honda da Amazônia, é exemplo de gestão ambiental. Desde 1998, a fábrica de motocicletas é certificada pela ISO 14001 (conjunto de normas de proteção e conservação do meio ambiente visando o desenvolvimento sustentável) e, no ano 2000, foi implantado o conceito Green Factory, que prevê metas e diretrizes para redução de impactos ambientais no processo produtivo, o que inclui o gerenciamento de resíduos, eficiência energética, uso racional da água e redução das emissões atmosféricas.

Um dos impulsionadores de gestão é a implantação da ETE (Estação de Tratamento de Efluentes) em Manaus, considerada uma das suas principais iniciativas de ação ambiental gerada no âmbito do PIM e que serve de modelo para outros países, além de ser a mais moderna da América do Sul. "A ETE tem como objetivo principal o reaproveitamento da água utilizada pela empresa durante o processo produtivo de maneira sustentável", informou a Honda.

A estação possui uma área de 1.966 m² com capacidade para tratar 2.500m3 de efluentes industriais e biológicos, que após submetido a várias etapas de tratamento, que incluem físico-químico, biológico, filtração e desinfecção, é direcionado, por exemplo, para a irrigação da área verde da fábrica e limpeza da unidade. "Assim, pode ser devolvido ao meio ambiente de acordo com os padrões legais e manter o equilíbrio do ecossistema", defendeu a empresa.
Além de tratar de maneira adequada este recurso, a Honda possui diversas ações de redução de seu consumo de água. Para se ter uma ideia, um projeto desenvolvido em Manaus permite poupar o consumo de quase 8 milhões litros de água por ano, apenas com o reúso de água rejeitada do sistema de refrigeração da unidade de usinagem, segundo relatório da empresa.

Outro sistema sustentável é a pintura a pó, onde segundo dados da Honda, o consumo de água utilizado no pré-tratamento foi reduzido em 70% com a instalação de drenagem que remove o óleo acumulado na superfície do tanque, mantendo a qualidade da água por mais tempo.

Para a multinacional, a preservação do meio ambiente é tratado como aspecto central do modelo de suas operações fabris e de relacionamento com a sociedade. Nesse sentido, a companhia promove constantes investimentos para redução dos impactos ambientais inerentes ao seu negócio.

"Isso acontece por meio de inovações que contribuem para o ganho de eficiência energética e redução dos níveis de emissões dos gases causadores do efeito estufa. Com isso, a Honda se destaca no mercado como uma empresa comprometida com a preservação dos recursos naturais e, consequentemente, com o futuro das próximas gerações", conclui.

Uso estratégico da água

Dona das marcas tradicionais de eletrodomésticos Consul e Brastemp, a multinacional americana Whirlpool, mantém o foco neste recurso natural por meio de ações que vão desde conscientização com os colaboradores, até projetos de economia, reúso, captação e tratamento em todas as suas unidades. Segundo um levantamento, em três anos a companhia registrou uma redução de 20% no consumo de água utilizada nas fábricas a partir dessas iniciativas.
Um dos responsáveis foi a implantação do projeto de captação da água pluvial na unidade da Whirlpool em Manaus. Na unidade, foi desenvolvido um sistema de tratamento de efluentes que capta, por exemplo, a água da chuva. Com isso, houve o aumento em 10m³/mês do enchimento do reservatório por meio do reaproveitamento de água de chuva, o que diminuiu a necessidade de captação de água subterrânea (poço), promovendo uma melhor utilização do recurso.
Na avaliação do diretor de Sustentabilidade da Whirlpool Latin America, Vanderlei Niehues, essas iniciativas reforçam o compromisso da empresa com o meio ambiente e o uso estratégico da água. "Estamos atentos e vigilantes aos indicadores de consumo de água em nossas operações e, atualmente, 14,3% da água utilizada nas fábricas são obtidos de forma sustentável, a partir de projetos de captação da água pluvial e reúso do tratamento de efluentes", afirma.

O uso sustentável da água está entre os pilares estratégicos de sustentabilidade da Whirlpool, visando atender ao Objetivo 6, sobre água potável e saneamento e que está entre os ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável), formulados pela ONU (Organização das Nações Unidas). "E para reduzir seu consumo, a Companhia atua tanto do ponto de vista da eficiência do uso em suas operações fabris e escritórios, como na conscientização e engajamento de seus públicos para redução do consumo próprio", informou.

Além de Manaus, existem outros projetos que ajudaram a reduzir o consumo de água, como o de captação da chuva em Joinville. Nessa unidade, o GGA (Grupo de Gestão de Águas), atua na identificação de novas oportunidades a serem trabalhadas, tem como missão potencializar e aperfeiçoar o consumo hídrico. Essa análise possibilita alcançar resultados positivos no que tange à redução no consumo de água em metros cúbicos por unidade de produto produzida (m³/pp).

A Whirlpool acrescenta que também foram instaladas torneiras com redutor de vazão, reúso de efluentes e mudanças em processos industriais em todas as suas plantas. Além disso, a água proveniente de reúso nos últimos anos somou 165.443 m³. Vale lembrar que esse volume, equivale ao consumo diário de 1 milhão de habitantes, segundo estimativa de consumo médio do Diagnóstico dos Serviços de Água e Esgotos 2014, usado como parâmetro pela empresa.
Outra estratégia de negócio da multinacional é promover o tratamento dos efluentes de suas operações, antes de descartá-los nas redes de esgoto ou corpos hídricos, garantindo o atendimento à legislação ambiental e prevenindo a poluição.

Principal matéria-prima

Uma das principais empresas de bebida, a Cervejaria Ambev também trabalha para diminuir o índice de consumo de água nas cervejarias e unidades fabris. Em 20 anos de mercado, a Companhia que tem como principal matéria-prima a água, implementou um rigoroso Sistema de Gestão Ambiental, programa que monitora os índices de ecoeficiência com o objetivo de diminuir cada vez mais o impacto da produção no meio ambiente.

Com isso a empresa já reduziu nos últimos 15 anos em 45% o índice de consumo no processo produtivo e hoje é considerada a cervejaria global mais eficiente no consumo de água do mundo.

Entre as iniciativas de sucesso da empresa estão a "Água AMA", que tem 100% do lucro revertido para projetos de acesso à água potável no semiárido brasileiro. O "Saveh- Sistema de Autoavaliação de Eficiência Hídrica", plataforma pela qual compartilha de forma gratuita o sistema de gestão hídrica, que ajudou a reduzir em mais de 40% do consumo de água da empresa nos últimos 13 anos.

Outro destaque é o "Projeto Bacias", que atua na recuperação e preservação de importantes bacias hidrográficas no país. Além disso, a Ambev é a principal patrocinadora da Coalizão Cidades pela Água, liderada pela ONG The Nature Conservancy, que atua em 243 municípios incorporando a gestão dos recursos hídricos à preservação de rios e nascentes.

"Água é o que nos une e é um tema cada vez mais desafiador. Por isso mantemos o foco em soluções colaborativas e estamos sempre abertos a inovações/soluções tecnológicas que nos ajudem a reduzir o consumo e aumentar a reutilização. A plataforma Saveh é um exemplo de como podemos compartilhar conhecimentos de gestão hídrica com a sociedade. AMA também nos mostra como podemos fazer a diferença: um negócio social que gera impacto positivo imediato para a comunidade levando acesso à água no semiárido brasileiro", disse o gerente de sustentabilidade da Cervejaria Ambev, Filipe Barolo.

Segundo Barolo, o comportamento e cultura sustentável são importantes para todos. "Por isso, trabalhamos para aperfeiçoar processos e melhorar nossos índices de ecoeficiência com objetivos de curto, médio e longo prazo. A longo prazo, queremos deixar um legado permanente suportado por nosso sistema de gestão e cultura", afirma.
De acordo com dados da Ambev, nos últimos cinco anos, foram investidos cerca de R$ 1 bilhão em diversas iniciativas voltadas à sustentabilidade, relacionadas não apenas à gestão de recursos hídricos. Além dos diversos trabalhos de redução no consumo de água, essas iniciativas também incluem redução nas emissões de gases de efeito estufa, no consumo de energia e matérias-primas e até mesmo a troca de refrigeradores em bares, lanchonetes e supermercados por modelos ecológicos, que garantem uma economia de até 30% de energia na comparação com os tradicionais.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário