Manaus, 21 de Novembro de 2018
Siga o JCAM:

Mercado internacional compra US$ 70 mi do PIM

Por: Antonio Parente - aparente@jcam.com.br
22 Fev 2018, 19h38

Crédito:Walter Mendes
Segundo levantamento realizado pelo MDIC (Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços), em janeiro, o número de exportações no Amazonas cresceu 70% em relação ao mesmo período do ano passado. Em 2017, foram registrados cerca de U$ 41,2 milhões em receitas para o estado. Neste ano, os índices apontaram cerca de U$ 70 milhões comercializados. O fim das férias de fim de ano das empresas do PIM (Polo Industrial de Manaus), foi um dos principais fatores que motivaram o crescimento, afirmam representantes do setor.

Entre os produtos mais exportados estão os concentrados de bebidas não alcoólicas, que geraram cerca de U$ 17 milhões, valor que representa 24,36% do total. Em seguida, vem o setor de duas rodas, que arrecadou U$ 14 milhões em produtos comercializados, números que representam 20,14% do total exportado pelo Amazonas.

Segundo o gerente-executivo do CIN-AM (Centro Internacional de Negócios do Amazonas), Marcelo Lima, o aumento foi motivado devido a quantidade de dias que as empresas do PIM atuaram no mês de dezembro. Para ele, a maioria das indústrias entraram em recesso no ínicio do mês, fato que ocasionou a diminuição de exportação dos produtos.

"Geralmente, janeiro é um mês fraco para exportações. Acredito que esse crescimento foi decorrente do que deixou de ser exportado em dezembro devido as festas de fim de ano e a quantidade de dias que as empresas trabalharam. Muitas delas encerram suas atividades antes do Natal e como janeiro não tem feriado, as vendas para o exterior cresceram", disse.

O gerente-executivo afirmou que o crescimento das exportações varia muito no no início de cada ano, e destacou que, ainda de forma pequena, a quantidade de feriados que ocorrem nos meses influenciam diretamente na produção e nos números nos indicadores. "Os dias produzidos e feriados influenciam muito, você verá que em março os números serão diferentes, devido aos feriados de carnaval e a quantidade de dias do mês de fevereiro", afirmou.

Lima explicou também, que a leve retomada da economia foi outro fator que teve uma participação significativa para o alavancamento das exportações e explicou que a expectativa é que os números venham a ter bons reflexos no futuro, principalmente devido aos incentivos que a FIEAM (Federação das Indústrias do Estado do Amazonas) têm dado aos empresários para que comercializem mais seus produtos no exterior.

"Estamos confrontando uma economia que vem engatinhando desde 2014 e os números estão sendo animadores visto o grande incentivo dado pela FIEAM aos empresários amazonenses. A Federação vem investindo para que os empresários do nosso Estado exportem mais e ganhem espaço em outros países", destacou.

Para o professor em desenvolvimento econômico regional, Luiz Roberto Coelho, a alta nas exportações mostra que os produtos brasileiros estão tendo uma boa aceitação no mercado internacional.

Consequentemente, cria-se uma cadeia de crescimento na economia regional possibilitando a criação de mais empregos ao setor e uma melhor remuneração aos colaboradores das empresas, explica. "Abrir mercado é importante para o país e para região. Quando um setor desenvolve mais, as empresas pagam melhores salários porque ela apresenta um melhor posicionamento no mercado e remunera melhor seus colaboradores. E isso explica que existe uma taxa de câmbio favorável e as empresas estão buscando mercado fora", disse.

O economista conta também, que a comercialização dos produtos no exterior, ajuda a diminuir o déficit das contas das empresas do PIM, que têm adquirido mais produtos de fora do que vendido. A criação de políticas de incentivo por parte do Governo é de suma importância para ajudar a alavancar a inserir os produtos do PIM dentro do mercado internacional, conta Coelho.

"As empresas precisam fazer um trabalho muito mais eficiente para conservar os laços com esses países. O governo precisa criar políticas para facilitar as exportações, melhorar logísticas, os processos burocráticos e as taxas de câmbio", ressaltou.

Capacitação

Com a finalidade de capacitar empresários do setor industrial a se inserirem no mercado internacional, o CIN-AM programa para este ano, uma série de seminários, palestras e treinamentos, que estarão abertos a todas as empresas que tenham interesse em atuar no mercado exterior e ampliar os negócios."Mesmo que essas indústrias não tenham experiência nenhuma com o mercado internacional ou com exportação, esta consultoria promove chances reais de inserção no mercado internacional", destacou Marcelo.

Outra ferramenta de grande visibilidade das companhias para o mercado internacional, é a participação das grandes feiras internacionais como feira Expocomer no Panamá, a Foodex no Japão e a Canton Fair na China, que surgem como grande oportunidade de inserção do empresário no cenário internacional. "O CIN incentiva muito a participação das empresas do Amazonas nesses eventos e acredito que os bons resultados são frutos destas ações", aponta Lima.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário