Manaus, 16 de Novembro de 2018
Siga o JCAM:

O luxo nos desfiles da Aparecida

Por: Evaldo Ferreira - eferreira@jcam.com.br
05 Fev 2018, 20h30

Crédito:Walter Mendes
O Carnaval de Veneza, na Itália, é um dos mais conhecidos no mundo, principalmente pelas belas e luxuosas fantasias dos brincantes (como as vestimentas típicas do século 18), que desfilam pelas ruas da cidade durante dez dias. No Brasil foi o carnavalesco maranhense Joãosinho Trinta quem elevou o luxo ao seu mais alto grau, nos desfiles das escolas de samba do Rio de Janeiro, mais especificamente na Beija Flor de Nilópolis, campeã dos desfiles de 1976, 1977, 1978, 1980 e 1983, exatamente como resultado do luxo apresentado. Joãosinho ainda fez história ao dizer a célebre frase, "o povo gosta de luxo. Quem gosta de miséria é intelectual".

Em Manaus, possivelmente se inspirando na frase do carnavalesco maranhense, a escola de samba Mocidade Independente de Aparecida, criada em 1981, exatamente um ano após a quarta vitória de Joãosinho no Carnaval do Rio, foi a divisora do que apresentavam as escolas de samba de Manaus na avenida, e o que passaram a apresentar depois de seu primeiro desfile ainda na avenida Djalma Batista.

"A Aparecida tem essa fama, de se apresentar com muito luxo, e isso vem desde o seu começo. Vendo vídeos da década de 1980, dá pra perceber isso", falou Saulo Borges, o presidente da escola de samba. A receita do luxo nas fantasias deu tão certo que a Aparecida foi campeã no seu ano de estreia e nos quatro anos seguintes e até hoje é a maior campeã dos desfiles de escolas de samba de Manaus com 21 títulos conquistados. "Os mais antigos brincantes da escola contam que esse traço do luxo nas fantasias se deu pelo fato da proximidade da escola com a sede do Rio Negro. O Rio Negro sempre foi um clube frequentado pela elite manauara, que nos bailes de Carnaval, brincava com belas e caras fantasias. Muitas dessas pessoas resolveram desfilar na Aparecida, naquele ano de 1981, com aquelas fantasias e isso chamou a atenção dos jurados e do público. Como a escola foi a campeã, a fórmula foi repetida nos anos seguintes, nos carros, nas alegorias, nas fantasias de destaque e mesmo nas alas, e vem dando certo", afirmou.

Babado da Folia

Esse ano a Aparecida apresenta o enredo 'Os Maués: Origem da Vida, Destino Humano, Trinta Anos Depois', repetindo o mesmo enredo de 1988, quando conquistou o seu sétimo título. "Mas o luxo de agora é bem diferente daquele daquela época quando os bordados eram feitos pacientementes por mãos de habilidosas bordadeiras. Hoje usamos aplicações e o trabalho é concluído mais rapidamente", contou. "Ainda assim é necessário um trabalho artesanal e artístico", completou.

Há 20 anos a maior parte do material utilizado pela Aparecida para a confecção de carros, alegorias e fantasias de luxo é comprado no Rio de Janeiro, na loja Babado da Folia, especializada em produtos para Carnaval. "Eles atendem o país inteiro e, além dos preços mais em conta, facilitam o pagamento. Como nós já temos crédito com eles, pagamos sempre depois do Carnaval.

Em Manaus, além de os preços serem mais caros, devido o frete que as lojas daqui pagam, não encontramos material em quantidade, então é melhor comprar direto no Rio. 80% do material de luxo é comprado na Babado da Folia. No geral, contando com o material para as fantasias das alas, compramos 50% no Rio e 50% em Manaus", informou.

Entre os materiais de luxo adquiridos pela Aparecida, veludo, pedras, cristais, strass, plumas e penas de pavão. "Outra coisa que ajuda na rapidez da produção de uma fantasia de luxo é que o veludo que compramos já vem decorado, ou laminado.

É um tipo de tecido muito utilizado em decoração de ambientes, mas serve perfeitamente para confeccionar uma bela fantasia.

Entre os materiais mais caros, destaco as penas de pavão. Elas são usadas nas fantasias dos mestres salas e porta-bandeiras.

Temos três casais adultos e dois infantis. E só de penas gastamos uns R$ 6 mil, mas essas penas são reutilizadas. Se bem cuidadas, podem durar anos, recoloridas e utilizadas em outras fantasias", contou.

Às vésperas do desfile no sábado, as costureiras, os estilistas e os aderecistas da Aparecida se desdobram nos seis ateliês que a escola possui. "Temos umas dez costureiras somente confeccionando as fantasias de luxo e uns 30 aderecistas, responsáveis por colar as pedras e os cristais nas peças.

Os estilistas atendem aos particulares. As fantasias de ala custam em média R$ 150, e ainda há desconto para quem comprar em grupo, mas uma fantasia de luxo, por baixo, custa em torno de R$ 700, mas dependendo do brincante, se tiver um bolso forte, tem fantasia que sai por R$ 5 mil, ou até mais, dependendo da paixão pelo Carnaval e querer se destacar para o público", ressaltou.

O Grêmio Recreativo Escola de Samba Mocidade Independente de Aparecida será a terceira agremiação a se apresentar neste ano, no sambódromo, com início às 22h40.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário