Manaus, 12 de Novembro de 2018
Siga o JCAM:

Entre farpas e afagos na Assembleia Legislativa

Por: Hellen Miranda - hmiranda@jcam.com.br
01 Fev 2018, 21h54

Crédito:Divulgação
A primeira sessão plenária do ano teve "climão" entre o presidente da Aleam (Assembleia Legislativa do Amazonas), deputado David Almeida (PSD) e o governador, Amazonino Mendes. Isso porque, o atual governador não perdeu a oportunidade de alfinetar Almeida durante cerimônia de abertura dos trabalhos legislativos, realizada nesta quinta feira (1) na casa legislativa.

Em discurso, Amazonino reafirmou que recebeu um estado quebrado da antiga gestão e classificou o Amazonas como delicado, que segundo ele, não poderia ser dirigido por qualquer pessoa. "Você pode ter até bons princípios e vontade, mas se não tiver experiência, qualificação e se deixar levar pela politiquice, ela vai arrastar o Estado para ruína. Hoje falo nesta tribuna com a serenidade de velho, um homem experiente e tolerante", disse. Amazonino afirmou que o Amazonas está avançando como resultado de sua gestão, após o 'vendaval' chegar ao Estado, destacando os trabalhos da segurança e sáude pública por evidenciarem melhora, mesmo sem investimentos algum. "Tudo está sendo feito sem dinheiro porque não tem, mas há uma força escondida, fantástica e invencível que move, é o amor a causa pública", discursou. Em seu quarto mandato como chefe de Estado, Amazonino também garantiu que pretende injetar R$ 1,5 bilhões aos recursos dos cofres públicos em 2018, além de equilibrar as finanças.

"Nosso empenho é entregar o Amazonas com a casa arrumada e com bases para enfrentar o futuro", comentou o governador ao informar que não pretende falar sobre reeleição. "Estão proibidos de falar de política comigo, falem de administração, recomposição e reconstrução de um Estado cansado de sofrer", acrescentou.

Divergências de ideias
Após a fala de Amazonino, o presidente da Assembleia Legislativa, David Almeida, que foi governador interino antes da eleição suplementar, também discursou. Ele disse que o ano de 2018 será de muito trabalho e desafios e declarou que as instituições (Aleam e Governo) estão acima das pessoas. "Quero dizer que posso divergir no campo das ideias e opiniões, mas nunca no campo pessoal e ao senhor o meu respeito, a esta pessoa que não tem igual no Amazonas e governou o nosso Estado por quatro vezes", disparou Almeida. Em seu discurso, ele afirmou que sempre trabalha com propostas, uma vez que a população está cansada de ver políticos brigando e ressaltou em alto e bom tom, que não é aliado do governador, mas sim parceiro do povo. "Tudo que vier para beneficiar o povo do Amazonas vai ter na minha pessoa um parceiro. Não me tenha como aliado, mas como parceiro do povo, independente de quem seja o governador, quero o bem do meu Estado e da minha terra", disse o parlamentar.

Na ocasião, Almeida declarou ainda que o poder legislativo estadual está a disposição da população amazonense, assim como seu mandato, trabalho e serviço. David reafirmou que a sociedade está cansada de promessas políticas, que carece de atitudes e decisões corretas para que possam melhorar, de fato a qualidade de vida do povo do Amazonas.

"Buscamos o bem comum e cabe ao senhor com sua experiência e expertise conduzir o Amazonas nesse momento em que a economia nacional e estadual se recuperaram", declarou David.

"Não ouvi nada do que ele disse"

Em entrevista coletiva, após a solenidade de Abertura do Ano Legislativo, o governador informou que além de convocar aprovados no concurso público da Susam (Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas) de 2014, deve ajustar o salário dos secretários e enviar proposta de uma reforma administrativa ainda este mês para a Casa Legislativa. Ainda segundo ele, os servidores da saúde devem voltar a receber o benefício de ticket alimentação. Ele também anunciou que neste ano vai reajustar os salários de todas as categorias do Estado e que pagará a data-base em atraso para todas os servidores públicos. Questionado sobre o discurso de Almeida no plenário da Aleam, Mendes afirmou que não sabe o que foi dito pelo parlamentar. "Honestamente eu estava sem meu aparelho auditivo, não ouvi nada do que ele disse. Só agora estou usando o aparelho", ironizou o governador.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário