Manaus, 14 de Novembro de 2018
Siga o JCAM:

Alugar em janeiro foi mais barato

Por: Antonio Parente - aparente@jcam.com.br
30 Jan 2018, 22h44

Crédito:Walter Mendes
A variação positiva de 0,76% do IGP-M (Índice Geral de Preços-Mercado) gerou expectativas positivas para o setor imobiliário de locação. Para especialistas em Manaus, apesar da alteração ser pequena, a notícia representou um bom sinal para o segmento. Os dados são do Ibre (Instituto Brasileiro de Economia) da FGV (Fundação Getúlio Vargas). Usado como referência para realizar reajustes nos preços de contrato de vendas e aluguéis do segmento, o informativo mostrou uma queda de 0,13 pontos em relação ao verificado em dezembro do ano passado.

Segundo a presidente do Sindimóveis-Am (Sindicato dos Corretores de Imóveis do Amazonas), Márcia Chagas, baseado no último índice que apresentou resultados negativos de 0,89%, o indicador é um bom sinal para os proprietários de imóveis alugados, e conta que apesar da redução na movimentação de preço os proprietários ainda mantém a estratégia de manter o imóvel ocupado.

"Tendo em vista que o índice apresentou resultados negativos no acumulado, isso representa de certa forma, um bom sinal para os proprietários de imóveis alugados, mas não quer dizer que teremos um aumento no valor das locações, pois muitos proprietários continuam sem reajustar para manter os seus locatários", disse.

A presidente afirmou ainda, que além da queda dos valores nos indicadores, a movimentação de diferentes perfis de consumidores em Manaus, tem feito o mês de janeiro ser um excelente mês para movimentar o mercado, fator que contribui para donos de imóveis, alugarem mais rápido os seu empreendimentos.

Márcia explicou, que enquanto a economia do país não se estabilizar, alugar imóveis ainda continuará sendo uma boa opção para quem ainda irá adquirir seu imóvel próprio e destacou que 2018 será um ano de muita oferta comercial e residencial no setor.

"O que tem contribuído é justamente essa queda nos valores, isso tem possibilitado a locação rápida de imóveis comerciais na faixa de R$ 800 até R$ 3.500 e no caso dos imóveis residenciais na faixa de R$ 1.000 a R$ 3.000. Tudo isso em decorrências também de pessoas que estão em trânsito em Manaus ( como militares, estudantes) e aqueles que estão abrindo pequenos e médios escritórios", explicou ela.

Para o corretor de imóveis, Márcio Cesar de Souza, no mês de janeiro, o índice positivo contribuiu para movimentar o mercado, gerar mais negócios e dar mais rotatividade no aluguel de imóveis na cidade. Souza conta ainda que a adaptação do setor à realidade econômica do país, aliado a flexibilidade dos proprietários em relação à mudanças de preços, tem contribuído para o bom desempenho no segmento.

"Com essas adaptações, naturalmente há uma valorização dos imóveis para venda e nos ajustes das cobranças de aluguéis que estavam muito baixas e agora retornam ao patamar normal. Acredito muito que isso trará mais fluidez para o mercado e para quem trabalha no setor. Significa que os proprietários dos imóveis estão um pouco mais acessíveis para as mudanças nos valores, e isso faz com que a procura aumente e facilite pequenos ajustes nos valores", disse

O INCC (Índice Nacional de Custo da Construção), é outro dado, que segundo Souza, é importante para calcular o IGP-M. De acordo com a FGV, em janeiro, o indicador passou de 1,36% para 0,22%, Souza explica, que por se tratar de custos gerais como o valor das obras e outros fatores, isso influenciará diretamente no preço final do aluguel.

"Normalmente o INCC tem seu pico no meio do ano e não no final. Tem as questões dos custos gerais de obras que influenciam nos valores dos imóveis e consequentemente nos valores dos aluguéis. Esses números são bons porque movimenta a economia, gera dinheiro e mais negócios na cidade. Isso ajuda na rotatividade do aluguel de imóveis na cidade", disse ele.

Márcio conta, que a sensação de quem investe recursos para colocar seu imóvel para locação é de perda de dinheiro, mas explica, que o processo para se obter um bom retorno financeiro é a longo prazo. "Se pensar a longo prazo , o valor que a pessoa está investindo hoje, será muito maior no futuro, isso porque o IGP-M já estará ajustado", concluiu.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário