Manaus, 19 de Novembro de 2018
Siga o JCAM:

Mercado de seguros expande no Amazonas

Por: Hellen Miranda - hmiranda@jcam.com.br
25 Jan 2018, 22h36

Crédito:Walter Mendes
Com a melhora econômica brasileira, o mercado de seguros teve expansão de 5,7% até novembro de 2017 ante 2016, totalizando uma arrecadação de R$ 222,8 bilhões, segundo dados CNseg (Confederação Nacional das Seguradoras). Em Manaus não foi diferente e muitas seguradoras também sinalizaram aumento no volume de vendas de seguros e contribuições de previdência e capitalização.

Segundo a superintendente da seguradora Mongeral Aegon em Manaus, Fabiana Perdiz, houve fatores importantes que demandaram a maior procura para soluções de seguro de vida e previdência na região. "Entre eles, posso enumerar a maior conscientização da população brasileira sobre a importância de realizar um planejamento financeiro e também a intensificação do debate da reforma da Previdência no Congresso Nacional", avalia.

De janeiro a dezembro de 2017, a contratação do seguro Doenças Graves da companhia cresceu 84% em relação ao mesmo período do ano anterior diz Fabiana. "Percebemos um aumento da procura dos manauaras para um planejamento financeiro, principalmente com a crise. De janeiro a dezembro, a unidade em Manaus apresentou crescimento de 46,9% na procura de seguros de vida e previdência", afirma.

Com o mercado em ritmo de crescimento, a expectativa é manter a expansão ao longo de 2018. "A Mongeral Aegon trabalha com uma série de opções de seguros de vida que se encaixam em todos os perfis e bolsos. Assim, esperamos para este ano proteger ainda mais pessoas e famílias", destaca a executiva.

Para o empresário e corretor de seguros, Érico Parente, o ano passado também foi considerado melhor para o mercado de seguros possibilitando, inclusive abertura de novos negócios no ramo na capital.

"Surgiram muitas empresas com profissionais jovens e capacitados, que assim como eu, enxergaram na crise uma oportunidade de atuar", disse.

Em meados de julho de 2017, Parente abriu as portas da sua própria seguradora - Mais proteção financeira - especializada em serviços para proteção de renda pessoal e patrimonial. "Fiz um plano estratégico antes e isso permitiu um faturamento dentro da expectativa. Nosso desafio é manter o negócio e crescer, pelo menos, de 10% a 12% ao ano", projetou.

Números de DPVAT

De janeiro a novembro de 2017 foram pagos 355.238 indenizações pelo Seguro DPVAT (Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre), uma redução de 9% em comparação ao mesmo período de 2016, aponta levantamento da Seguradora Líder-DPVAT.

Em casos de Invalidez Permanente, apesar de ainda representarem a maioria das indenizações pagas no período ( 311.729 casos), registraram redução de 15% ante o mesmo período de 2016. Por outro lado, no número de pagamentos de indenizações por morte e despesas médicas subiu para 37.492 indenizações por morte e 53.823 por despesas médicas.

Em Manaus, a Capemisa Seguradora tem acesso ao sistema do seguro e atua na regulação da operação deste serviço, conforme legislação vigente. A empresa vem crescendo no mercado e promove atendimento especializado às vítimas de forma ágil, prática e segura em todo o país. A partir da data da entrega da documentação relativa ao acidente, o pagamento das indenizações é feito pela Seguradora Líder em até 30 dias.

"O benefício pode ser solicitado em até três anos contados a partir da data do acidente. A única exceção é para casos de invalidez permanente. Se o tratamento ainda não tiver sido concluído, o prazo é contado a partir do laudo conclusivo do Instituto Médico Legal", informou a companhia.

Planos para MEI

Em 28 de dezembro, a ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) regulamentou a contratação de plano de saúde coletivo por empresários individuais. Mas para ter direito, o empresário deve comprovar sua condição de MEI (Microempresário Individual), apresentando documentos que confirmem a inscrição nos órgãos competentes por no mínimo seis meses e sua regularidade cadastral na Receita Federal.

Segundo o órgão regulador, a medida tem como objetivo coibir abusos relacionados a esse tipo de contratação, como a constituição de empresa exclusivamente para esse fim. Também busca dar mais segurança jurídica e transparência ao mercado, ao estabelecer as particularidades desse tipo de contrato.

De acordo com a presidente da Acoplan (Associação dos Corretores de Planos de Saúde) Rosa Antunes, os clientes devem se atentar à regularização contábil da empresa contratante para não perderem o acesso ao plano. "Pessoas nestas situações precisam procurar um profissional de contabilidade e reativar aquele mesmo CNPJ utilizado na época da compra do plano. Caso contrário, irão perder o direito e benefícios de seus planos", orientou.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário