Manaus, 17 de Novembro de 2018
Siga o JCAM:

Muraki oferece formação para empresas no PIM

Por: Jefter Guerra - jguerra@jcam.com.br
22 Jan 2018, 14h52

Crédito:Divulgação
Empresas de grande e pequeno porte do PIM (Polo Industrial de Manaus) já deram sinais positivos para adquirir o PPRH (Programa Prioritário de Formação de Recursos Humanos), um dos 70 cursos de qualificação profissional oferecido pela Fundação de Apoio Institucional Muraki.

Dentre as empresas interessadas no PPRH são: a Positivo, que está se instalando a Manaus, LG Eletronics Da Amazônia, Samsung Eletrônica da Amazônia LTDA, Flex Mídia Painéis Eletrônicos, Amazon Pepper entre outros.

A Fundação Muraki foi habilitada para realizar o programa no final do ano passado pelo MDIC (Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços), por meio da Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus ) e do CAPDA (Comitê das Atividades de Pesquisa e Desenvolvimento na Amazônia) para elevar qualificação profissional das empresas incentivadas pela Lei de Informática. Poderão aplicar os recursos de P&D no PPRH.

De acordo com o diretor-executivo da Muraki, Paulo Alcântara, o objetivo da Muraki é, até o final do ano de 2018, alcançar mais de 90% das empresas do PIM para oferecer o PPRH para seus funcionários. Ele explica que os investimentos prioritários são originários da contrapartida contida na obrigatoriedade de investimento em P&D pelas empresas do PIM, que é 5% para cursos de tecnologia.
Para o diretor-executivo, ao entrar no PPRH, as empresas que atualmente sentem a necessidade de mão de obra qualificada, investem em qualificação profissional de ponta. "O mais relevante é que este investimento proporcionará uma melhoria no ambiente interno da empresa. Pois o nosso papel é fazer somente ponte entre as empresas e as instituições de ensino que irão ministrar o curso e que, ao final, prestará conta a Suframa", explica Paulo.

Dentre as instituições de ensino que irão participar do programa são: Ifam, Ufam, UEA. IEL e Sesi.
Os benefícios oferecidos pelo PPRH as empresas são: a ausência de risco de glosa (reprovação do projeto e pagamento de multa); a comprovação do cumprimento da obrigação tributária, correspondente ao investimento em P&D, pode ser feita apenas com a apresentação do recibo de depósito na conta do PPRH; há desburocratização de prestação de contas relativo à P&D, dentre outros. Todos os benefícios estão amparados legalmente e disciplinados pela legislação vigente (Lei nº 8387/91, Decreto n. 6.008/2006, Resol. nº 71/2016 e Resol. do CAPDA nº 4/2017).

Alcântara reforçou ainda, que a responsabilidade da Muraki é de incentivar os institutos de ensino e pesquisa a atuarem como executores dos cursos, de acordo com os interesses das empresas e diretrizes do CAPDA/Suframa.

Podem participar do PPRH, todas as empresas do PIM. "Entretanto, o público com mais benefícios à usufruir será o eletroeletrônico e o de informática. "Vale ressaltar que a formação desses profissionais será contínua por meio dos cursos oferecidos pelas instituições executoras do Programa", finalizou diretor-executivo.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário