Manaus, 14 de Novembro de 2018
Siga o JCAM:

Amazonino aponta avanços na gestão

Por: Jefter Guerra - jguerra@jcam.com.br
12 Jan 2018, 17h53

Crédito:Aguilar Abecassis/Agecom
O governador do Estado, Amazonino Mendes, afirmou ontem que está satisfeito com os avanços que sua administração está tomando para reorganizar o casa. A afirmação foi feita na manhã de ontem (11), na sede do governo do Estado do Amazonas, ao apresentar o balanço do seu governo nos primeiros 100 dias à frente do Executivo.

Amazonino também explanou sobre a expectativa do governo para os próximos meses que antecedem a nova eleição que será em outubro de 2018. Dentre os pontos destacados por Amazonino, o diagnóstico das contas públicas, a adoção de medidas para a contenção de gastos e o aprimoramento de gestão que, no último trimestre de 2017, tiveram seus gastos reduzidos de 33% para 28%, o que fez com que o Estado encerrasse o ano com superávit de 1,76%, o equivalente a R$ 273 milhões. Mas a meta do governo é reduzir os gastos em até 24% em 2018.

"A minha primeira medida foi vincular a Secretaria Executiva de Orçamento à Sefaz (Secretaria de Estado da Fazendo). Antigamente a unidade era integrada a Secretaria de Estado e Planejamento e com essa mudança, foi permitido que fossem empenhadas despesas compatíveis com o arrecadado, o que não vinha acontecendo", frisou.

Saúde

Amazonino disse que após o reajuste das secretarias pôde realizar um levantamento do acervo de contratos e da legalidade de pagamentos de dívidas na área de saúde. "Quando assumi o governo, as contas do Estado estavam em desequilíbrio e eram superiores a R$ 500 milhões. Tendo as contas da saúde como prioridade, através da Susam (Secretaria de Estado de Saúde), conseguimos selar um acordo histórico com as cooperativas e empresas prestadoras de serviços, para pagar a dívida que alcançava o valor de R$ 311 milhões, adquirida do governo passado. Desse total, R$ 213 milhões já foram pagos a empresas terceirizadas e mais R$ 29 milhões para fornecedores de medicamentos e produtos de saúde", apontou.

Segurança

Na área da segurança, o governador disse que a prioridade da SSP (Secretaria de Segurança Pública do Estado) foi priorizar as áreas estratégicas da Manaus. "Com isso conseguimos reduzir o número de homicídios em 7,2% na comparação ao último trimestre de 2016 e a redução de 13% na ocorrência de latrocínio (roubo seguido de morte). E a apreensão de drogas também foi recorde foram apreendidas 6,5 toneladas de entorpecentes. Mas com o reforço do nosso governo, o ano de 2017 encerrou com 15,8 toneladas de drogas apreendidas, um recorde nos últimos 12 anos", disse.

O novo governo também avançou na valorização do serviço de segurança, ao convocar 244 aprovados no concurso da Polícia Civil de 2009.

Educação

A educação foi outra área que teve uma atenção redobrada do governo atual. A Seduc-AM (Secretaria de Estado de Educação) criou um grupo de trabalho, com a PGE (Procuradoria Geral do Estado) e da CGE (Controladoria Geral do Estado) para analisar a legalidade de processos de reconhecimento de dívidas herdadas de governos passados. "Após a análise de parte da dívida dessa secretaria, o governo está preparando um novo concurso público para oferecer 8 mil vagas", ressaltou o governador.
Para a infraestrutura, o governo do Estado pretende, por meio da Seinfra (Secretaria de Infraestrutura), concluir 63 obras até o final de 2018, sendo 24 na capital e 39 no interior com investimento estimado em R$ 502 milhões, oriundos do Estado e da União. "Vale ressaltar que os nossos interiores estão abandonados em todos serviços públicos, tanto na educação, segurança e, principalmente, na infraestrutura, pelos governos anteriores", destacou.

Em Manaus, das obras retomadas pelo governo, destaca-se as margens do igarapé dos Franceses/Cachoeirinha, na zona Sul, onde foram investidos R$ 73,8 milhões. Para a realização das obras, o governo indenizou 27 famílias que perderam suas casas em um incêndio e esperavam pelo benefício desde 2012. Também destaca-se à construção de uma trincheira na avenida Noel Nutels, no bairro da Cidade Nova, zona Norte da capital.

Setor primário

Outro a receber uma atenção especial do governo, é o setor primário, ao reformular o projeto da LOA (Lei Orçamentária Anual) logo nos primeiros dias de gestão. O objetivo foi retomar a destinação original do FTI (Fundo de Fomento ao Turismo, Infraestrutura, Serviço e Interiorização do Desenvolvimento do Estado do Amazonas) que vai beneficiar a agricultura familiar e os pequenos produtores.

Para essa ação, R$ 40 milhões serão disponibilizados pela Afeam (Agência de Fomento do Estado do Amazonas), R$ 44 milhões pelo Banco da Amazônia e R$ 49 milhões pelo Banco Central.

Ao falar de fomento, o governador destacou a realização em dezembro do ano passado da oferta de crédito pela Afeam de R$ 2,2 milhões, para beneficiar cerca de 562 empreendedores, dos quais 199 foram famílias atendidas pelo Crédito Solidário, programa gerenciado pelo FPS (Fundo de Promoção Social e Erradicação da Pobreza). No mesmo mês, outros R$ 464 mil foram liberados em 113 operações de microcrédito, realizadas no município de Maués.

Ao final, o governador reclamou que, quando assumiu o executivo, o Estado estava totalmente endividado.

"Muitas das dívidas foram contraídas de forma ilegal e o pior, com a ausência de serviços prestados à população. Mas, ao sabermos de tudo isso, tentamos botar as coisas nos eixos, arrumar a casa. E iniciarmos mexendo nas finanças do Estado.

E a expectativa para esse ano de 2018 é finalizar o que já estava sendo feito e construir mais para o melhor serviço da população amazonense", finalizou Amazonino.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário