Manaus, 19 de Novembro de 2018
Siga o JCAM:

Comenda para Phelippe Daou Júnior

Por: Jefter Guerra jguerra@jcam.com.br
15 Dez 2017, 17h34

Crédito:Divulgação/Aleam
A Aleam (Assembleia Legislativa do Amazonas) realizou, na manhã de ontem (14), a entrega da Comenda Jornalista Phelippe Daou, no plenário Ruy Araújo. A homenagem foi proposta pelos deputados Sabá Reis (PR) e Alessandra Campêlo (PMDB) e foi entregue ao CEO Phelippe Daou Júnior.

Durante a cerimônia, o empresário agradeceu a família, amigos e aos deputados propositores pela homenagem em memória do seu pai, Jornalista Phelippe Daou. "Hoje completa exatamente um ano o falecimento do meu pai, mas o que ele mais fez, foi semear. E por conta das sementes que plantou, este ano recebi muitas homenagens importantes. Mas o mais importante do que as homenagens, têm a ver com a vida dele, ao legar o seu nome para a Ponte Rio Negro e recentemente, para o shopping Phelippe Daou, na região que compreende as zonas Leste e Norte da cidade. Uma vez que ele era um homem que gostava de empreender e gerar oportunidades para as pessoas e ações socioambientais. Em suma, essa medalha resume mais um legado de sua vida", disse Phelippe.

O empresário disse ainda, que o pai sempre defendeu o desenvolvimento e a integração da Amazônia. "E sobre essa medalha, o importante é que a gente tenha muito claro alguns atributos que o meu pai tinha, como a autenticidade e a verdade, o que foi plantado nos corações de muitos de nós. Que germinou e cresceu, para que faça a diferença na vida das pessoas", salientou.

Outra característica do doutor Phelippe Daou apontada pelo filho, era o desapego das coisas materiais. "Esse desapego foi percebido por mim e pela minha irmã, Cláudia Daou, quando fomos separar os objetos de valores dele, depois falecimento. Não que elas não tinham importância para ele, mas eram, efetivamente, o segundo plano na vida dele. E tem que ser uma característica de um empreendedor e de quem quer proteger a Amazônia, não deixar as coisas materiais à frente dos objetivos", lembrou.

Para finalizar, o empresário disse que tudo o que ele é atualmente, deve aos esforços dos pais. "Pois se aprendi a amar e me envolver com a região, aprendi com meu pai. Seja pelas viagens que fiz, pois tive o orgulho de conhecer muitos municípios através dele. E nessas viagens me apaixonei pelos projetos gasoduto de Urucu até Manaus; da cachoeira da Onça, em Presidente Figueiredo. E tivemos a chance de conhecer Pacaraima, em Roraima, onde moram e vivem os amazônidas, que são os nossos objetivos. A gente se emocionou ainda com o Forte São José, em Macapá. E quando olhávamos para Rondônia, apreciávamos a chegada dos asfalto naquela estrada. Lugares que a nossa empresa levou uma esperança", salientou.

O grupo Rede Amazônica está a frente de vários projetos de comunicação para região e para o mundo como: Portal Amazônia, Amazon Sat, Rádio Amazonas FM e o Portal G1. E para março de 2018, o novo projeto da rede é o Google Play.

Propositores


A comenda partiu dos deputados Sabá Reis (PR) e Alessandra Campêlo (PMDB). Sabá ressaltou a importância de Phelippe Daou, sobre amor que ele tinha pela região Amazônica. "Ele foi enfático ao clamar pela região, não por pessoas, mas por uma região que tem direito pelo seu tamanho. Dizendo ainda, que é maior do que o Brasil, e que o mundo deveria sempre festejar. Ele dizia também, que os rios e riquezas precisavam ser eficientes. E que façamos da Amazônia o grande bem do Brasil", parafraseou o deputado.

Já para a deputada Alessandra, a ideia de homenagear o doutor Phelippe Daou partiu de sua história de vida juntamente ao trabalho do empresário à frente da TV Amazonas. "Conheci o trabalho do doutor Phelipe quando era estudante de jornalismo na Ufam (Universidade Federal do Amazonas) . E quando fui servidora pública da Secretaria de Produção Rural do Estado, vi que ele era sempre preocupado com o setor primário. E quando fui secretária de Esporte e Lazer do Estado, passei também a conhecer o trabalho dele no meio esportivo. E com isso, passei a entender que ele via o Amazonas por vários setores. Dessa forma, é mais que merecido prestarmos essa homenagem a ele. Pelo seu empreendedorismo em várias áreas da região", salientou ela.

Em nome do plenário, o deputado Serafim Corrêa (PSB), que conhece o trabalho do doutor Phelipe desde a década de 60, citou um momento histórico da vida do amigo. "Lá nos anos 60, valia para a região um discurso de que a Amazônia seria integrada ao Brasil pela 'pata do boi´, ou seja, o caminho era cortar a árvore, plantar o capim e criar gado. Porém, pensadores como Samuel Benchimol, no Amazonas, e o professor Armando Mendes, no Pará, tinham um discurso oposto. Eles diziam que essa integração seria pela presença do homem. E nessa época, o doutor Phelippe, que trabalhava na linha editorial do Jornal da Tarde, comandada pela empresa Archer Pinto, defendeu a implantação da Universidade do Amazonas, em 1965. Justamente, porque a universidade manteria o homem na amazônia", lembrou saudosamente o deputado.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário