Manaus, 15 de Outubro de 2018
Siga o JCAM:

PIM registra 926 novas vagas

Por: Hellen Miranda hmiranda@jcam.com.br
21 Nov 2017, 20h48

Crédito:Walter Mendes
O PIM (Polo Industrial de Manaus) registrou em setembro o melhor índice na geração de emprego no ano. Ao todo, a mão de obra chegou a marca de 86.990 trabalhadores, entre efetivos, temporários e terceirizados. No período de janeiro a setembro de 2017 o saldo entre admissões e desligamentos resultou em 926 vagas. Apesar do indicador positivo, o número está abaixo dos registrados nos últimos três anos.

Segundo os Indicadores de Desempenho do PIM da Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus) atualizados até o mês de setembro, mostraram que no acumulado do ano as empresas admitiram 20.283 trabalhadores e no mesmo período foram registradas 19.355 demissões, resultando na criação de 926 postos de trabalho. A média mensal neste ano é de 85.380 pessoas.

De acordo com o presidente da Suframa, Appio Tolentino, os resultados apurados em setembro foram muito positivos, considerando-se, principalmente, a evolução dos empregos e do faturamento em diversos segmentos representativos do PIM. Para ele, o indicador permite projetar melhores índices para os dois últimos meses do ano, com crescimentos gradativos na retomada da mão de obra.

"O aumento da mão de obra foi impactada diretamente pela contratação de trabalhadores temporários, que teve um incremento de 16% em relação ao mês de agosto. No geral, tivemos ótimos resultados em diversos aspectos e, a continuar assim, poderemos fechar 2017 com o melhor índice de faturamento dos últimos três anos", disse o superintendente.

Conforme o balanço, a perda de empregos chegou a pouco mais de seis mil vagas no último ano, quando houve 25.898 admissões contra 31.977 desligamentos. Ainda assim, a mão de obra no pátio industrial totalizou 87.806 pessoas, em 2015 esse número foi de 100.710 trabalhadores e 2014, 120.198 trabalhadores.

Apesar de modesto, o saldo em setembro é 1,18% maior que o registrado no mês anterior, com 85.975 trabalhadores. Por outro lado, o número foi 0,92% inferior na comparação com o índice registrado no mesmo período de 2016. Já em relação a 2015 e 2016, a queda é mais acentuada (-13,62%) e (-27,62%), respectivamente.

Nos nove meses de 2017 a média de pessoas empregadas no PIM totalizou 85.380 pessoas. Enquanto no período de janeiro a setembro do ano anterior o número chegou a 85.654. Uma diferença de 274 vagas e recuo de 0,31% no volume de contratações em relação a igual período de 2016.

Atividades
Conforme os dados, o subsetor que apresentou maior variação no número de empregos foi o setor de eletroeletrônicos, que teve crescimento de quase 9,0% no índice de contratações. Em 2016, a atividade empregava 32.596 trabalhadores e até setembro deste ano foram geradas 2.932 vagas, o número totalizou 35.528 pessoas.

O setor de bebidas também apresentou crescimento na mão de obra no período. Nos nove meses do ano foram geradas 285 vagas, totalizando ocupação de 2.306 postos de trabalho. No último ano o saldo de empregos da atividade era de 2.021 vagas. O crescimento foi de 14%. Em seguida, aparece o setor de papel e papelão, com variação positiva de 13,19%.

Avanço no faturamento
Ainda segundo os indicadores da Suframa, no período de janeiro a setembro deste ano o PIM registrou faturamento de R$ 58,6 bilhões, número que representa um crescimento de 8,4% em relação a igual período de 2016. Em dólar, o crescimento alcançou 18,6%, com faturamento de US$ 18.5 bilhões.

Desse montante faturado, o setor eletroeletrônico é responsável por 29,2%. De janeiro a setembro, o segmento contabilizou um faturamento de R$ 17,1 bilhões. Já na somatória entre eletroeletrônico e bens de informática, ambos considerados destaques do PIM, o saldo de R$29 bilhões representa a metade do faturamento do pátio industrial. O terceiro setor com maior participação no faturamento é o de duas rodas, que representa 13,5% do total, seguido do setor Químico (11,9%) e Metalúrgico (6%).

Em relação aos produtos, o maior crescimento registrado vem dos monitores de LCD, com 819,2 mil unidades em setembro deste ano: crescimento de 222,2%. rádios e gravadores portáteis (32,4%), além de ar condicionado (50,4%) e home-theater (66,6%)também apresentaram crescimento no período.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário