Manaus, 24 de Setembro de 2018
Siga o JCAM:

Mercado imobiliário cresce 10%

Por: Priscila Caldas pcaladas@jcam.com.br
31 Out 2017, 20h37

Crédito:Walter Mendes
A redução da taxa de juros e a facilidade no acesso ao crédito contribuem para um impulso às vendas no mercado imobiliário, no Estado. No mês de setembro deste ano, o setor teve crescimento de 10% nas comercializações de imóveis em relação a igual período do ano anterior. Setembro ainda foi responsável por mais de 50% das vendas do terceiro trimestre do ano, com a comercialização de 236 novas unidades, entre imóveis horizontais (casas e terrenos), verticais (apartamentos) e comerciais. De julho a setembro, foram vendidas 429 unidades residenciais. Os dados são da Pesquisa de Mercado Imobiliário Setembro/2017 e do Censo Imobiliário Trimestral, divulgados ontem pela Ademi-AM (Associação das Empresas do Mercado Imobiliário do Amazonas) e pelo Sinduscon-AM (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Amazonas).

Conforme a pesquisa, no terceiro trimestre, o mercado imobiliário movimentou R$124 milhões, no Estado. No período, foram comercializadas 429 unidades, com maior expressividade aos imóveis de dois dormitórios, que representaram 65,5% das vendas das unidades residenciais. Das 429 unidades comercializadas de julho a setembro, 252 imóveis são do padrão econômico (Minha Casa Minha Vida), 115 dos demais padrões verticais e 64 são unidades horizontais.

De acordo com o presidente do Sinduscon-AM, Frank Souza, o mercado reage à redução da taxa de juros e à maior facilidade no acesso ao crédito, fatores que segundo o empresário, estimulam a compra de imóveis. "O mercado deu uma leve aquecida em termos de negócios. É um momento em que a confiança do consumidor e do investidor tem melhorado. Apesar de termos diminuição no volume de lançamentos, o mercado continua em movimento com maiores demandas aos imóveis de até 50 metros quadrados e de dois dormitórios", disse Souza.

Maior procura
Os imóveis de dois dormitórios representaram 65,5% do total de vendas do trimestre com a comercialização de 281 unidades. A venda de unidades residenciais de dois dormitórios cresceu ao longo dos trimestres do ano. No primeiro trimestre, foram vendidas 131 unidades dessa tipologia, o que representou 48,9% do total de unidades comerciais vendidas. No segundo trimestre do ano, quando foram comercializados 337 imóveis de dois dormitórios, a tipologia representou 64,3% das vendas. A segunda tipologia mais procurada no período foi o imóvel de três dormitórios com 63 unidades vendidas, o que representa 14,7% dos imóveis residenciais.

"O imóvel de dois quartos é, historicamente, a tipologia mais vendida no Estado do Amazonas. Normalmente, esses imóveis fazem parte do Padrão Econômico, com menores valores e menores metragens quadradas, tornando-se mais acessíveis financeiramente aos interessados. Essa pesquisa reforça essa tendência", destaca o presidente.

Souza ainda comentou que o acesso aos recursos para financiamentos por parte de empresas bancárias podem viabilizar a ocorrência de novos lançamentos de empreendimentos imobiliários na capital amazonense. Ele acredita que os novos projetos podem surgir a partir de janeiro de 2018. "A Caixa Econômica Federal e o BNDES estão buscando novos acordos que possibilitem financiamentos, o que proporcionará novas alternativas ao mercado e ao setor imobiliário com o surgimento de novos lançamentos", expressou.

Perfil
O perfil dos compradores também reflete a retomada do poder de compra, visto que mais de 44% optou pelos imóveis econômicos, que tem o valor entre R$ 250 mil a R$ 400 mil. "São pessoas que esperaram a economia começar a estabilizar para adquirir um imóvel. Estão investindo um dinheiro que foi levantado em um momento de turbulência econômica, mas que agora sentem-se seguras em realizar a compra", explicou o presidente da Ademi (Associação das Empresas do Mercado Imobiliário do Amazonas), Romero Reis. Em relação aos imóveis horizontais, a pesquisa aponta que foram vendidas 10 casas e 32 terrenos. A maior parte dos imóveis vendidos (92 unidades) vai demorar entre sete e 36 meses para ficar pronta.

Venda por bairro
Entre os 26 bairros com unidades disponíveis​ e analisados​ em sete regiões​, o Tarumã ​Oeste 2​ segue liderando o número de vendas. No terceiro trimestre, o bairro vendeu 106 unidades, o que representou 50,7% das vendas. Enquanto o bairro Ponta Negra, que vendeu 56 unidades, liderou o total de valores movimentados - um montante de quase R$ 30 milhões.

Alvarás
De acordo com o Censo Imobiliário, de janeiro a setembro, a Prefeitura de Manaus liberou 1.572.546 alvarás de construção - documento concedido no início da obra. Desse total, 687.802 alvarás foram para áreas residenciais, 352.81 para áreas comerciais, 163.762 para a indústria e 368.901 para serviços.

A quantidade de alvarás liberados em 2017, até setembro, já ultrapassa o total das licenças concedidas no ano passado, quando a Prefeitura liberou 1.264.481 documentos. O número mais representativo é da área comercial, já que em 2016 foram liberados 155.379 documentos, enquanto que, neste ano, o número já chega a 352.81 licenças. O número de Habite-se, documento concedido quando a obra é concluída, para unidades comerciais chegou a 362 até setembro de 2017. Em todo o ano passado, o Implurb liberou apenas 73 documentos para essa área.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário