Manaus, 17 de Novembro de 2018
Siga o JCAM:

Inspiração para empreendedores

Por: Antônio Parente aparente@jcam.com.br
30 Out 2017, 18h53

"O homem tem que estar motivado e sempre ocupado fazendo algo para família e a comunidade. O trabalho dignifica o homem e quando ele perde essa condição ele deixa de viver". É com essa frase que o empresário José dos Santos da Silva Azevedo, iniciou a sua grande trajetória de sucesso no mundo do empreendedorismo. Aos 84 anos, o presidente e fundador da TV Lar, uma das mais tradicionais lojas varejistas do Amazonas, vislumbrou uma grande jornada de crescimento e inovação.

Em 1946, ainda na juventude, José trabalhava com consertos de rádios e vitrolas. Insatisfeito com a condição de trabalho que se encontrava unido a vontade de crescer buscando novas oportunidades, resolveu abrir uma pequena loja de componentes eletrônicos criando assim um novo segmento de negócio próprio.

"Comecei como um rádio técnico, consertava muitos rádios e vitrolas. Mas, para consertar rádios e vitrolas eu tinha que comprar componentes. Foi quando pensei que se eu montasse uma pequena loja de componentes não precisaria estar comprando todo tempo eles para os consertos dos rádios, e ainda poderia vendê-los para outras oficinas criando um novo mercado. Então, além de consertar rádios eu comecei a vender os seus componentes", disse.

O advento da Zona Franca comercial possibilitou o empresário alçar voos mais altos no mundo dos negócios. Com a implantação das indústrias e as alternativas de adesão de produtos eletrônicos, ele foi um dos primeiros empreendedores a comercializar televisão no Estado do Amazonas, oportunidade que foi fundamental para o nascimento da TV Lar, empresa genuinamente amazonense.

"Eu comecei a vender componentes eletrônicos e fomos crescendo bastante e depois veio o advento da Zona Franca e me lancei às importações com um negócio ainda pequeno. E a nossa empresa foi a primeira a importar televisores. E eu tendo uma visão a longo prazo desse investimento notei que a cidade de Manaus não tinha televisão naquele período e pensei 'Manaus tem que ter televisão' porque somente as pessoas do Sul tinham televisão. Então coloquei o nome da loja de TV Lar porque foi uma grande oportunidade de vendermos televisores aqui em Manaus. Na época eu mesmo instalava as TVs e antenas e dava garantia ao consumidor. E com muito trabalho fomos crescendo e o início da Zona Franca comercial nos possibilitou um crescimento rápido. E o mercado nos possibilitou muito esse crescimento, e mesmo após o declínio da Zona Franca conseguimos nos manter porque já tínhamos uma certa estrutura e um certo amadurecimento e a nossa mercadoria era importada, e estamos até hoje na luta e ainda acreditando muito no nosso Estado e no Brasil que é um país grande e muito rico e acreditamos no povo", disse José.

José sempre valorizou o capital pessoal baseado na filosofia de respeito e profissionalismo, sempre teve em mente que mais importante do que construir um grande negócio comercial é o de valorizar seus colaboradores contribuindo também com o crescimento e desenvolvimento da cidade.

"Nós dependemos um do outro e não podemos viver isoladamente e eu não cheguei sozinho aqui, muita gente contribuiu para o crescimento da TV Lar. Com muita dedicação e trabalho conseguimos chegar onde estamos hoje. Manaus era uma atração a nível de Brasil porque as pessoas vinham para cá comprar produtos e era uma loucura. E o meu mercado era mais o mercado de Manaus e começamos a abrir várias lojinhas na cidade sempre com a ideia e objetivo de crescimento. E sempre que ia abrindo as lojas eu ia admitindo pessoas, preparando as pessoas e treinando. Estamos acreditando no presente e acima de tudo no futuro do país e queremos contribuir com o crescimento do Estado gerando emprego e renda", concluiu ele.

Além da criação da TV Lar outro grande investimento do empresário foi a construção do Manaus Plazza Shopping, a menina dos olhos do empreendedor que hoje conta mais de 140 opções no setores de comércio, lazer e serviço, além de um grande centro de convenções com capacidade de receber grandes eventos de cinquenta a três mil pessoas.

"Onde hoje é o Manaus Plazza era um grande centro de desporto para os funcionários com campo de futebol, campo de vôlei e piscina. Mas, depois de certo tempo quem menos frequentava o setor eram os funcionários. Então, com o crescimento de Manaus e com um bom terreno em uma área privilegiada da cidade não podíamos deixar de ter um outro investimento, então partimos para a criação do shopping. Ainda há muita coisa pra fazer", conta, você tem que fazer as coisas e trabalhar com prazer, pois é a grande motivação para se viver mais. Você tem que sentir que seu trabalho é útil para sua família e para a comunidade, nossos funcionários é uma grande família que temos uma responsabilidade de cuidar", disse ele.

A TV Lar começou na rua Henrique Martins, no Centro da cidade, em 1964, e atualmente possui 23 lojas na capital e cinco no interior do estado.

Virada de chave nos negócios
O empreendedorismo sempre foi tratado como uma ferramenta ligada à criação de um negócio com a finalidade de explorar novas oportunidades de trabalho. A vida da paulistana Sarah Carrion é um livro de desafios e novas descobertas profissionais sempre com o intuito de melhoria. Há 20 anos trabalhou no segmento de varejo alimentar, onde atuou como gerente de vendas, distribuição e logística em empresas conceituadas como Nestlé, Danone, Batavia (Brasil Foods).

A pedido de uma empresa francesa de lácteos, Sarah mudou-se para Manaus em 2009, onde atuou como gerente de vendas durante 6 anos. Segundo ela, em 18 meses a empresa cresceu 5 vezes o volume de faturamento e após isso migrou para os serviços de carnes no frigorífico JK.

"Sempre me desafiei em aprender coisas novas e sempre busquei novas mudança de ares. Gosto muito de contribuir para melhoria de condição de vida de pessoas, isso para mim é muito satisfatório", conta.
Atualmente Sarah formou-se em Coach e comprou uma franquia master da empresa Limpidus Serviços Avançados de Limpeza, onde é responsável em gerenciar franquias locais.

"Após a formação de Coaching eu decidi empreender para que pudesse elevar o potencial das pessoas, as conduzindo do ponto A (status atual) ao ponto B (condição de vida melhorada). Utilizo o conhecimento de coach para o treinamento de minha equipe. O novo segmento é uma virada de chave, entretanto a ideia de contribuir para a geração de centenas de empregos é minha mola propulsora", explica.

A experiência em vendas no comércio paulistano motivou Sarah a ampliar seus horizontes profissionais, e hoje com uma empresa própria reinventa-se a cada dia em busca de melhoria e desafios, e destaca que mesmo em um período econômico difícil é possível driblar a crise.
"Nos momentos de crises, uns recuam enquanto outros criam diferenciais, e o setor de limpeza profissional está em supercrescimento, pois até a lei da terceirização nos favorece. Digo que sempre haverão os que choram e os que vendem lenços, portanto quero sempre me posicionar dentre os vendedores de lenços", conta.

Saiba mais
Segundo dados da Unitfour, empresa que fornece informações do mercado, a região Norte do país registrou uma variação de crescimento de 42% no segmento EIRELI (Empresa Individual de Responsabilidade Limitada) empresas que possuem um capital social maior como as franquias.
Segundo dados do Sebrae (Serviços de Apoio as Micros e Pequenas Empresas), 11 milhões de empresas foram criadas no Brasil devido a atual crise econômica. Devido a necessidade de trabalho houve um crescimento de novas empresas de 29% em 2014 para 43% em 2015.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário