Manaus, 20 de Setembro de 2018
Siga o JCAM:

A Belle Époque entre Manaus e a França

Por: Evaldo Ferreira eferreira@jcam.com.br
23 Out 2017, 19h04

Crédito:Divulgação
No mundo globalizado no qual vivemos hoje, fazer intercâmbio é a maneira mais rápida e eficiente para melhorar o nível do idioma de qualquer pessoa, pois se trata de um período de vivência cultural e estudantil no exterior cujo aprendizado com a língua estrangeira se torna natural.

O francês é uma das línguas mais procuradas, menos pelo glamour do país de origem, e mais pelas excelentes universidades que possui. Há 45 anos em Manaus, a Aliança Francesa é a porta de entrada para quem quer estudar naquele país europeu.

A França, durante o período da Belle Époque, que durou do final do século 19 até 1914, exerceu forte influência no mundo, e em Manaus não foi diferente. Vivendo o auge do período do comércio da borracha, a rica capital amazonense assimilou o que de bom e de melhor vinha do país como os vinhos, os queijos, a gastronomia e a moda. Mas até hoje a França não perdeu o seu encanto. "Anualmente passam por aqui cerca de dez alunos que pretendem estudar na França e cerca de 15 que vão fazer curso para aprimorar o idioma", falou Davi Michel, diretor da Aliança Francesa, em Manaus.

"Na Aliança Francesa temos cursos de 3h, 6h e 15h semanais que, dependendo da pessoa, ela pode chegar ao nível B2 (de excelência) em três meses, ou pode levar até um ano e meio. Quem pretende estudar fora, tem pressa em aprender, mas existem aquelas pessoas, geralmente de mais idade, que estudam por prazer e não se importam com o tempo", explicou.

Para os interessados em fazer cursos de intercâmbio, é necessário saber um mínimo de francês. Uma avaliação é realizada pela Aliança Francesa de Lyon e eles determinam qual o nível do francês do interessado e qual o grau do curso ele deverá fazer. "Os cursos têm a duração de um mês, geralmente em julho, e sempre acontecem em cidades diferentes da França. Esse ano foi em Lyon, que se repetirá no próximo ano. O aluno escolhe se quer ficar numa casa de família, num estúdio ou numa residência universitária. Essa última é a mais difícil de se conseguir uma vaga", adiantou. O aluno terá 3h de aula/dia, e ainda participará de ateliês sobre a música e a gastronomia francesa, e fará visitas guiadas aos pontos turísticos da cidade e suas redondezas. O curso de intercâmbio custa 1.891 euros, "e dependendo do interesse do aluno ele poderá voltar de lá com o nível B2", garantiu.

Para estudar na França a situação é um pouco mais complicada. "Primeiro o idioma francês do interessado deve ser o B2. Então, em Manaus, ele faz uma prova para receber o DELF (Diploma de Ensino da Língua Francesa). Ele será avaliado em quatro competências: compreensão oral e escrita; e produção oral e escrita. Na Aliança Francesa temos um curso preparatório para essa prova", explicou.

Passando nessa prova, o interessado receberá o apoio do Campus France, agência do governo francês que orienta aqueles que querem estudar ou realizar pesquisas na França. "Antes, porém, aqui na Aliança Francesa, fazemos uma entrevista pré-consular, que serve para avaliar qual o projeto que o interessado quer pôr em prática na França. Se o projeto for aprovado, ele recebe o Visto de Estudante", falou. O Visto tem validade de um ano, renovável, e o aluno poderá trabalhar por meio período. "A maioria dos alunos manauaras que quer estudar na França, já tem uma faculdade e pretende realizar a pós-graduação, o mestrado ou o doutorado lá, e não necessariamente em Paris, como poderia se supor. Eles vão atrás das melhores faculdades que, dependendo do curso, podem ser encontradas nas mais variadas regiões da França", ensinou.

Ainda este ano a Aliança Francesa irá realizar dois cursos intensivos para quem desejar dar os primeiros passos no idioma de Napoleão Bonaparte, Maria Antonieta, Edith Piaf, Charles Aznavour, Zinédine Zidane e do time do PSG. O primeiro começa no dia 6 de novembro e segue até o dia 29; e o segundo começa no dia 30 de novembro e vai até 22 de dezembro. Ambos têm carga horária de 51h, com três horas por dia em três horários distintos, e a taxa de matrícula custa R$ 50 e o total do curso: R$ 1.140.

No primeiro sábado de novembro, na sede da instituição, à rua Lauro Cavalcante, no Centro, a Aliança Francesa realizará um jantar em homenagem ao aniversário de Manaus com um cardápio preparado pelo chef Ramiro Hitotuzi, mesclando a cozinha regional amazônica com os famosos temperos franceses. Ou seja, a Belle Époque continua entre Manaus e a França.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário