Manaus, 19 de Setembro de 2018
Siga o JCAM:

CBN Amazônia completa 4 anos

Por: Jefter Guerra jguerra@jcam.com.br
13 Out 2017, 20h00

Crédito:Divulgação
O aniversário de 4 anos da Rádio CBN Amazônia em Manaus foi marcado em uma transmissão ao vivo pela CBN Amazônia Notícias e do Audiência Pública direto do Museu da Amazônia, na manhã desta sexta-feira (13).

Intermediada pela radialista, jornalista e apresentadora Luana Borba, a transmissão iniciou a partir das 8h, pela 95,7 FM, e contou com a participação dos ouvintes, pelas redes sociais e estudantes de jornalismo do Uninorte e Ufam.

Entre as personalidades que estiveram presentes na transmissão, o presidente do Jornal do Commercio Guilherme Aluízio, o gerente de Rádio da Rede CBN, Cristovão Nonato, o diretor geral do Musa da Amazônia Enio Candotti, a coordenadora de Jornalismo, Publicidade e Propaganda e Mídias Sociais e Digitais do Uninorte Edilene Mafra e o advogado, sociólogo e cientista político Carlos Santiago puderam lembrar o passado e debater sobre o futuro do radiojornalismo no Amazonas com o surgimento das novas tecnologias e a relação do ouvinte com o rádio.

Parceiro no projeto de trazer a Rede CBN para a Amazônia, o presidente do JC Guilherme Aluízio, disse que a data celebra a coroação de uma luta e conquistas que estão se solidificando a cada dia. "Lembro que o processo de imigração para a nossa região foi demorado, porém, em novembro de 2016, conseguimos fixar a rádio de vez em nossa cidade. Agora é só correr para o abraço", disse.

Para o advogado Santiago, a implantação da rádio na região é de suma importância porque é um veículo de comunicação que traz informações do mundo para a Amazônia. " Mas também que leva notícias da Amazônia para o mundo. Uma rádio cidadã que discute as notícias de forma séria, correta e com imparcialidade. E agora, com a coluna A Agenda da Ordem, aberta à OAB-AM, tivemos um grande prazer de termos essa parceria com essa rádio séria, que vem contribuindo também com a melhoria da qualidade da política local", afirma.

E para o diretor do Museu da Amazônia, Enio Candotti, cada vez mais o espaço está aberto para celebrar além da cultura, a história e a memória, uma data especial como o aniversário da Rede CBN Amazônia. "E com isso, há um acervo, uma história, uma memória que precisa ser estudado pelas novas gerações. Uma vez que viemos de longe e queremos ir longe, ajudando a construir um sistema de comunicação independente e que possa receber ideias diferentes", ressalta.

Comunicadores
Mas quem pôde ver os primeiros passos da Rádio CBN Amazônia em Manaus, foi o gerente e jornalista, Cristovão Nonato.

Ele explicou que a vinda da Rede CBN para a região Norte é um projeto do Phelippe Daou Jr. "Ele quer montar a maior rede de emissoras de rádio da Amazônia, o mesmo ideal do pai, Phelippe Daou, com a televisão. Também destaco que essa integração com o Jornal do Commercio e a Rádio Baré, na área econômica e política, só veio somar para esses quatro anos da rádio e os leitores do jornal", disse.
Nonato lembra que o primeiro desafio enfrentado pelos empresários que queriam trazer a CBN para a região Norte, foi a implantação da primeira mini rede ligada à Rede Nacional. " E a segunda grande missão, é levar a Amazônia para todo o Brasil, uma vez que a gente tem prioridades de entrar em rede nacional, porque o Brasil pouco conhece a Amazônia. Principalmente o clima, cultura, economia e sua maior concentração étnica", disse, ao ressaltar, que a missão da rádio é produzir um conteúdo de qualidade.

E ao falar sobre as mudanças que o rádio vem passando com as novas tecnologias, a professora Edilene Mafra, reforça que historicamente o rádio tem a sua importância no desenvolvimento da Amazônia. " E ao comemorarmos esses quatro anos, entendemos que esse tempo a Amazônia começou a ter sua voz. E isso se deve através de uma programação rica, que dialoga e discute a realidade amazônica, e isso provoca mudanças. Fora a sua audiência, que é muito grande na região, que mobiliza a opinião pública", reforça a professora.

Notícia Padrão
O CBN Amazônia Notícias segue o padrão da edição nacional da CBN, apresentado pelo Milton Yung, mas com uma diferença, conta Nonato. "A emissora tem o diferencial se ser a única a ter, depois da palavra CBN, o nome da região, prova da importância que temos no contexto nacional.

O programa reúne entrevistas, articulistas e colunistas", disse. "Atualmente a CBN Amazônia atinge toda a cidade de Manaus, boa parte dos municípios da Região Metropolitana e segue até a fronteira com a Bolívia e Acre, sem falar das entradas sistemáticas que fazemos em rede nacional", enumera Nonato. O programa começa às 8h15 e segue até às 9h30, de segunda a sexta-feira, há quase quatro anos, conta. "A estreia do programa ocorreu no dia 13 de outubro de 2013 e desde então as nossas informações diárias têm se mantido com uma grande audiência entre os ouvintes até onde chegam as ondas da rádio", lembrou.

Com 5 horas diárias de conteúdo e 3 horas aos sábados, atualmente a Rádio CBN Amazônia conta com 19 funcionários distribuídos em Manaus, Guajará (RO) e Acre (AC) fixos, 25 comentaristas responsáveis em comentar sobre saúde, economia, educação e outras editorias.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário