Manaus, 18 de Setembro de 2018
Siga o JCAM:

Panificação projeta crescimento de 3% nas vendas

Por: Da Redação com informações da assessoria
13 Out 2017, 19h23

Crédito:Divulgação
Há mais de dois anos, o quilo do pão continua em média a R$ 8,00, em Manaus, valor avaliado pelo presidente do Sindicato das Indústrias de Panificação e Confeitaria do Amazonas (SINDPAM), Williams Barbosa, como o mais baixo de todo o Brasil. De acordo com o empresário, o preço do pão não vai aumentar, até pelo fato de não atingir o consumo médio indicado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que é de 63 quilos de pães por habitante ao ano, chegando o brasileiro a consumir apenas 32 quilos, e o manauara, menos ainda, apenas 28 quilos.

A afirmação foi feita nesta sexta-feira (13) na abertura da programação em comemoração ao Dia Mundial do Pão, realizado pelo SINDPAM no Manauara Shopping, piso Castanheiras, entrada pela Avenida Mário Ypiranga. A programação segue até domingo (15), com distribuição gratuita de pães produzidos na mini padaria montada no shopping, graças ao apoio da Associação Brasileira da Indústria de Panificação e Confeitaria (ABIP), Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI Amazonas), Sebrae Amazonas e Manauara Shopping, e patrocínio da Farinha de Trigo Trigolar, Farinha de Trigo Dona Maria e Real Equipamentos.

O presidente aproveitou para sugerir mais facilidades na oferta de insumos, principalmente porque hoje 100% do trigo consumido em Manaus são importados do Canadá e da Argentina, e de equipamentos de última geração que supram as necessidades da classe, já que as regiões Sul e Sudeste são as mais beneficiadas em relação à aquisição de equipamentos. Barbosa explica que consegue driblar as dificuldades no setor da panificação com criatividade, pois o segmento teve redução sim, mais prospecta finalizar o ano de 2017 com crescimento de 3% em relação ao ano de 2016.

O mercado de panificação em Manaus é formado por 1.460 padarias formais, gerando mais de 14 mil empregos diretos e 31 mil indiretos, movimentando em média, por mês, 125 milhões de reais. Mas o presidente do SINDPAM revela que a informalidade predomina, com mais de duas mil padarias informais.

O SENAI Amazonas, sob a liderança do instrutor Francijander de Oliveira, dá o suporte na realização dos pães durante toda a programação no shopping. O professor disse que a procura por cursos na área de panificação cresce a cada dia, pois as pessoas buscam se qualificar não só na arte de fazer pão, mas também em suas complementações na área para conseguir uma renda.

Oliveira disse que em três dias de programação serão distribuídos cerca de 50 mil pães franceses, no qual serão utilizados cerca de 30 a 35 sacas de trigo. "Produzimos antecipadamente, em dois dias, mais de 500 pães para a ornamentação do local, no qual foram utilizadas cerca de seis sacas de trigo. Destacam-se no local os pães rústicos e de massa semidoce, que são pães de leite, de chocolate, e de forma, entre outros, todos produzidos no SENAI", disse Oliveira, que irá contar com equipe formada por duas confeiteiras, Alice Santos e Zenilda Cavalcante, e mais 10 padeiros, em revezamento, nos três dias de evento para a produção dos pães franceses.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário