Manaus, 15 de Outubro de 2018
Siga o JCAM:

Obesidade ameaça infância

Por: Evaldo Ferreira eferreira@jcam.com.br
06 Out 2017, 19h37

Crédito:Walter Mendes
Dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) mostram que uma em cada três crianças brasileiras está acima do peso normal para a sua idade e altura. Já a OMS (Organização Mundial de Saúde) aponta a obesidade como um dos maiores problemas de saúde pública no mundo. Até o ano passado, segundo a Organização, existiam 45 milhões de crianças acima de seu peso normal no planeta e até 2025 a previsão é que esse número chegue a 75 milhões caso nada seja feito. O motivo da epidemia? Supermercados com prateleiras abarrotadas de alimentos pouco, ou nada, saudáveis e indústrias que não param de produzir esses alimentos, além de refrigerantes e sanduíches super calóricos.

Para a psicóloga paulista Silmara Batista Brizoti "a obesidade é um problema multifatorial, que envolve questão genética onde estudos apontam que na família onde os pais não são obesos a probabilidade de se ter um filho obeso é de 10%, mas se um dos pais for acometido, esta probabilidade aumentará para 50% e se os dois pais forem obesos a chance será de 80%. Há ainda a questão emocional, como por exemplo, o stress e a correria do dia a dia, o que interfere na qualidade de vida e consequentemente pode levar ao ganho de peso", falou. E completou. "O estilo de vida que a pessoa leva é outro fator importante.

Hoje notamos que ainda há muitas pessoas sedentárias devido a falta de tempo ou disposição. Pessoas que cada vez mais estão buscando o fast-food, o que também acaba atrapalhando no estilo de vida".
Em Manaus, a fisioterapeuta dermato funcional, Cláudia Simone Costa, há dois anos trouxe para a sua clínica Beleza Viva, o método de emagrecimento 5S, que pode servir tanto para adultos quanto para crianças, o 5S Kids.

"Os índices de obesidade na infância e na adolescência têm aumentado de forma significativa nos últimos anos. Várias doenças que antes eram diagnosticadas apenas na população adulta, agora têm sido observadas e diagnosticadas frequentemente em crianças", falou Cláudia.
"O 5S Kids consiste na associação de cinco técnicas que visam a reprogramação hipotalâmica de crianças com sobrepeso ou obesas, promovendo o emagrecimento progressivo, saudável e sustentável", garantiu.

Os motivos da obesidade
"O 5S Kids é voltado para crianças e adolescente, de ambos os sexos, na faixa etária de 5 a 13 anos, sem contraindicações, que precisam resgatar o peso ideal de forma saudável e sustentável, adotando um novo estilo de vida e aprendendo a controlar suas emoções, sempre com o consentimento e o acompanhamento dos pais e/ou responsáveis", adiantou.

As bases fundamentais para o tratamento da obesidade infantil são unanimes entre os especialistas. Incluem modificações no plano alimentar, no comportamento e na atividade física. E o método 5S Kids trabalha justamente esses pontos principais. Para iniciar o tratamento do problema é muito importante dispor de equipe multiprofissional, pois as ações são demoradas (no mínimo 90 dias), e por isso é desejável que o relacionamento da equipe com o paciente seja integrado. Um dos pontos do método é a desinflamação do hipotálamo. "Ao realizarmos essa desinflamação, fazemos a reprogramação hipotalâmica e a reedição alimentar. A diferença do tratamento do adulto para a criança é que com essas ensinamos de uma forma lúdica e animada", explicou. Ácidos graxos encontrados sobretudo em gordura animal provocavam a inflamação do hipotálamo, região do cérebro onde se encontram numerosos centros do sistema nervoso, reguladores do sono, do apetite, da temperatura corporal, entre outros", ensinou.
"Após a entrevista que fazemos com os pais, e mesmo com as crianças, descobrimos os motivos do sobrepeso e da obesidade: frituras, principalmente dessas batatas que servem, ainda por cima super salgadas em fast-foods; hambúrgueres gigantes disponibilizados nas lanchonetes; refrigerantes de qualquer tipo. Nenhum refrigerante é saudável e ainda fazem mal; e alimentos industrializados, esses que vêm em caixinhas e potinhos coloridos para atrair as crianças", identificou.

"O que deveria ser feito pelos órgãos de saúde, mas praticamente não se vê, é uma maior divulgação a respeito do que é uma alimentação saudável, principalmente na fase infantil, como forma não só de garantir crescimento e desenvolvimento adequados, mas também de se ter uma boa qualidade de vida na fase adulta", concluiu.

Cinco dicas de alimentação para crianças
Frutas e legumes de coloração alaranjada: alimentos como abóbora, laranja, manga e cenoura são ótimas fontes de vitamina A e devem ser incluídos na dieta.
Ovos: fonte de vitamina A e vitamina D, o ovo ainda é rico em proteínas. Além disso, o ovo é um aliado da saúde vascular e fornece minerais como ferro, zinco e potássio para o organismo.
Leite: conhecido por ser aliado contra a osteoporose, por ser uma importante fonte de cálcio, o leite ainda fornece boas quantidade de vitamina D.
Peixes: além de fornecer ômega 3, a 'gordura boa' que ajuda a controlar os níveis de colesterol, peixes são fontes de vitamina D.
Sol: pegar sol pode ajudar também nessa busca por uma vida saudável. Ele favorece a produção de calciferol (vitamina D) pelo organismo.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário