Manaus, 17 de Novembro de 2018
Siga o JCAM:

Vendas de veículos crescem no AM

Por: Priscila Caldas pcaldas@jcam.com.br
03 Out 2017, 19h50

Crédito:Walter Mendes
A venda de veículos novos teve crescimento de 32% no mês de setembro em comparação a igual mês do ano anterior, no Estado. Em relação a agosto deste ano, os números registraram queda de 18% no volume comercializado. Os resultados também foram positivos no acumulado do período de janeiro a setembro. Nos nove meses de 2017 foram vendidos 28,2 mil veículos, entre carros, motos, ônibus e caminhões. Enquanto no mesmo período de 2016 esse saldo foi de 26,8 mil unidades. Houve crescimento de 5%. Os números foram divulgados na terça-feira (3) pela Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores).

Na avaliação do presidente do Sincodiv-AM (Sindicato das Concessionárias e Distribuidoras de Veículos do Amazonas), João dos Santos Braga Neto, o crescimento nas vendas é resultado do maior acesso ao crédito. Ele explica que a redução da taxa dos juros tornou os bancos mais flexíveis na liberação de crédito para financiamento.

De acordo com Neto, apesar de os números mostrarem redução nas vendas quando comparado ao mês de agosto deste ano, o sindicato registrou crescimento de 7% no volume de vendas diárias nos dias úteis no mês de setembro.

"Toda venda de bens duráveis está relacionada ao aumento do crédito. Os juros estão caindo e os bancos demonstram mais flexibilidade na liberação de crédito. Caso o crédito continue sendo facilitado, com certeza a expectativa é que tenhamos um segundo semestre com melhor desempenho nas vendas do que os primeiros seis meses. Sempre que há aumento nas vendas temos como principal alavancador o crédito", disse.

Para o economista e consultor, Francisco Mourão Júnior, o período é propício para a compra ou a troca do veículo. Ele frisa que o consumidor pode adquirir o carro por juros mais baixos em um período em que as concessionárias estão com os estoques cheios. Júnior afirma que a baixa dos juros está estimulando as comercializações na capital.

"Esse aumento é decorrente das medidas do Banco Central, com a redução da taxa de juros. O Copom (Comitê de Política Monetária) já sinaliza a continuidade na baixa da taxa de juros devido a inflação que está controlada. Essa perspectiva da baixa de juros está estimulando as vendas de automóveis. Acredito que muitos consumidores estão dando o carro usado como entrada para amortizar a dívida de um novo. É o momento de oportunidades", cita.

Segundo Júnior, o período é propício para quem deseja trocar o veículo porque a concessionária tem o interesse de escoar os produtos, novos ou seminovos, por estar com o estoque abastecido. Mas, ele alerta ao consumidor amazonense para ter cautela na hora da decisão para que o financiamento não se torne um pesadelo após a compra pela falta de condições para honrar os pagamentos mensalmente.
"Em toda a crise surgem oportunidades. As concessionárias estão com os estoques cheios e atualmente a pessoa consegue comprar um carro com taxa de juros mais acessível e com emplacamento pago. Porém, é bom ter cautela e analisar a real necessidade de trocar o veículo. Se a decisão for pela compra, que os valores estejam dentro do planejamento financeiro para que a pessoa não entre em uma dívida prolongada sem ter condições para o pagamento", orientou.

Conforme a Fenabrave, os automóveis e o segmento de comerciais leves registrou em setembro deste ano venda de 2.232 unidades. Em igual período de 2016 esse volume foi de 2.577, o que representou uma redução de 13%. No acumulado de janeiro a setembro o registro de vendas foi de 17,4 mil veículos. Nos nove meses do ano anterior foram comercializados 15,4 mil carros. O crescimento chegou a 13% no período.

Em relação aos segmentos de caminhão e ônibus o aumento chegou a 81,8% em setembro deste ano em comparação a igual mês de 2016. Se comparado a agosto, o crescimento nas vendas foi de 27,6%. Também houve crescimento no período acumulado de janeiro a setembro com aumento de 39,18% quando comparado a igual período do ano anterior.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário