Manaus, 17 de Novembro de 2018
Siga o JCAM:

Migração impulsiona mercado

Por: Priscila Caldas pcaldas@jcam.com.br
31 Ago 2017, 19h10

Crédito:Walter Mendes
A migração do sinal de televisão analógico para o digital acontecerá no dia 30 de maio de 2018, em Manaus e nos municípios de Careiro da Várzea e Iranduba. A proximidade da transição tem impulsionado as vendas dos receptores digitais, ao mesmo tempo em que mantém a demanda pela fabricação do produto nas empresas do PIM (Polo Industrial de Manaus). Segundo os empresários do comércio, a procura pelos conversores digitais foi expressiva no primeiro semestre deste ano e deve se manter até a data do desligamento do sinal analógico. Eles acreditam que a transição do sinal também deverá incentivar as vendas dos aparelhos de televisão.

De acordo com o presidente da FCDL-AM (Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Amazonas), Ezra Azury Benzion, houve aquecimento nas vendas dos equipamentos digitais de janeiro a junho deste ano. Ele afirma que as comercializações se mantêm e a procura pelo equipamento deverá acontecer até o período da transição do sinal para o digital. Ele também estima um aumento, ainda que mínimo, nas comercializações dos aparelhos de TV digital nos próximos meses.

"Acredito que em Manaus boa parte da população já utiliza os receptores, mas a procura pelo equipamento deverá se manter até maio do próximo ano, principalmente pela comunidade que reside no interior, onde a transição deverá demorar mais um pouco para chegar. Houve maior procura nos primeiros meses deste ano", informou. "Acredito que o desligamento do sinal analógico também pode incentivar o consumidor a investir na aquisição de novos aparelhos de TV. Há uma maior demanda em período de eventos como a Copa do Mundo, mas a transição também deverá impulsionar a venda dos aparelhos que têm o receptor acoplados", completou.

O presidente da ACA (Associação Comercial do Amazonas), Ataliba Antônio Filho, espera crescimento nas vendas dos receptores durante o segundo semestre. Ele estima que a injeção do décimo terceiro salário e a liberação dos pagamentos do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) inativo devem incentivar o consumidor a adquirir o aparelho, devido à proximidade do término das transmissões analógicas. Ele também espera aumento nas vendas de TVs, ainda que em menor volume.

"O segmento varejista dos eletroeletrônicos mantém boas expectativas quanto às vendas dos receptores e das TVs digitais. As vendas foram boas nos primeiros meses do ano e devem crescer ainda mais neste período, até os primeiros meses de 2018. O consumidor que ainda precisa adequar o aparelho de televisão para o sinal digital com certeza deverá investir neste final de ano. Da mesma forma, acredito que teremos clientes que optarão por comprar uma nova televisão", comenta.

Números dos Indicadores de Desempenho do PIM, atualizados até maio deste ano, mostram que nos primeiros cinco meses do ano foram produzidos 2,4 milhões de receptores de sinal de televisão; 2,3 milhões de unidades do equipamento foram vendidos e houve faturamento de R$485,5 milhões. Em 2016 esses números foram superiores quando foram fabricados 6,3 milhões de receptores e praticamente todos foram vendidos. O faturamento foi de R$1,5 bilhão.

Conforme a Seja Digital (EAD - Entidade Administradora da Digitalização de Canais TV e RTV), uma instituição não governamental e sem fins lucrativos, responsável por operacionalizar a migração do sinal analógico para o sinal digital da televisão no Brasil, o cronograma do desligamento do sinal analógico é definido pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. A assessoria da empresa informou que a entidade inicia os trabalhos de comunicação, mobilização social, distribuição de kits com antena e conversor para digitalização dos canais três meses antes do desligamento do sinal, em cada região do país. Em Manaus, a atuação da empresa iniciará em fevereiro de 2018.

Processo de transição do sinal analógico para o digital de TV
De 2015 a 2018 todas as transmissoras e retransmissoras de TV de mais de 1300 municípios brasileiros passarão a transmitir a programação apenas pelo sinal digital, desligando o sinal analógico. Com este processo de migração do sinal de TV aberta, a programação estará disponível no sinal digital, que permitirá aos telespectadores continuar assistindo aos seus programas com imagem e som de cinema.
O processo, estabelecido pelo MCTIC, tem o objetivo de otimizar o uso do espectro de radiofrequência no Brasil. Como parte dessa política, em 2014, o órgão organizou um leilão para realização de uma limpeza no uso da faixa de 700 MHz, onde a televisão analógica atualmente é transmitida. Assim, será possível utilizar esse espaço para ampliar a oferta de banda larga móvel.

Como se preparar
Todos os televisores podem ser utilizados para assistir os canais abertos transmitidos pelo sinal digital. Se o aparelho for uma televisão de tubo, será necessário instalar um conversor de sinal. Se o televisor for de tela fina e não tiver o conversor embutido, também precisará de um conversor de sinal. Para ter certeza se o televisor já tem o conversor embutido, é importante consultar o manual do fabricante.
Além do conversor, também é necessário verificar se a antena é adequada para recepção do sinal digital.

Distribuição de kits
Famílias inscritas em programas sociais do Governo Federal têm direito ao kit. São mais de 20 programas do Cadastro Único que dão direito ao kit gratuito. Alguns meses antes do desligamento do sinal analógico de TV, a Seja Digital utiliza campanhas de comunicação para informar o público para que entrem em contato e agendem a retirada dos equipamentos.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário