Manaus, 18 de Setembro de 2018
Siga o JCAM:

População da capital cresce 1,71%

Por: Hellen Miranda hmiranda@jcam.com.br
31 Ago 2017, 14h08

Crédito:Walter Mendes
Manaus tem uma população estimada em 2.1 milhões de habitantes, apontou indicadores divulgado ontem (30), pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Com isso, a capital do Amazonas é a mais populosa da região Norte do país. Segundo a pesquisa, a população manauara cresceu 1,71% e permanece como a sétima cidade brasileira mais habitada. O dado é referente a 1º de julho deste ano e foi publicado no DOU (Diário Oficial da União). Na mesma data do ano passado, o número de habitantes era pouco mais de 2 milhões.

De acordo com o levantamento, entre os anos de 2016 e 2017, capital amazonense ganhou 35,8 mil residentes. Com o número, Manaus continua em 7º lugar na lista dos 17 municípios com mais de 1 milhão de pessoas, com população estimada de 2.130.264 de habitantes. "O crescimento de Manaus é fruto principalmente do crescimento vegetativo, uma vez que a cada ano nascem mais pessoas do que morre, fazendo com que a cidade tenha um crescimento natural positivo", informou o IBGE.

Na avaliação do economista Francisco Mourão Júnior, a população da capital amazonense cresce de maneira centralizada, principalmente por conta da ZFM (Zona Franca de Manaus). "Quando não há emprego no interior do Estado, as pessoas vão para a capital em busca de melhores condições e isso também impacta na porcentagem populacional dessa área", disse Mourão. Ele comentou ainda que, esse movimento de migração gera fatores que necessitam de políticas públicas de Estado.

"Embora isso signifique maior consumo, também significa que vamos ter problemas estruturais para a economia, de transporte coletivo, saúde, abastecimento de produtos, geração de emprego e até questões ambientais. Por isso a necessidade de políticas públicas e um planejamento econômico para acompanhar o crescimento populacional", recomendou o especialista, ao destacar que esse será o maior desafio do governador eleito, no último domingo (27) e para os próximos líderes.

O segundo município do Amazonas com o maior número de habitantes é Parintins (363 km de Manaus) com 113 mil pessoas. Outras cidades do Estado com maior número de pessoas são Itacoatiara ao registrar 99.8 mil, Manacapuru (96.4 mil), Coari (84.7 mil) e Tabatinga (63.6 mil). Por outro lado, o menos populoso é Japurá, com 4.2 mil habitantes. Em seguida aparecem Itamarati (8.128), Itapiranga (9.125) e Silves (9.211).

Já na lista dos Estados brasileiros, o Amazonas é o segundo mais populoso da região Norte, com 4 milhões de habitantes, atrás apenas do Pará, que tem 8,3 milhões. Já o mais habitado é São Paulo, que conta com 45 milhões de pessoas. Por outro lado, Roraima (522.636) é último em número populacional do país.

RMM
Composta por 13 municípios, a RMM (Região Metropolitana de Manaus) está em 11° lugar com 2.612.747 habitantes, o que equivale a 1,3% da população do país. Segundo a pesquisa, a Região Metropolitana de São Paulo lidera a lista com 21.391.624 habitantes e 10,3% da população nacional.

Já os municípios amazonenses com as maiores TCG (Taxa de Crescimento Geométrico) ficou com Manaquiri com 3,05%, seguido de Santa Izabel do Rio Negro (2,91%), Juruá (2,76%), Presidente Figueiredo e Ipixuna (2,58%). Em contrapartida, Japurá (-9,76%), Fonte Boa (-2,62%), Jutaí (2,32%) e Santo Antônio do Içá (-1,30%) estão entre aqueles que possuem TCG anual negativa. Dos 62 municípios do Amazonas, pelo menos 8 perdem população anualmente.

Nacional
Ainda de acordo com a pesquisa, no plano nacional, a população chegou a 207 milhões de habitantes. Em 2016, estimava-se que o Brasil tinha 206,1 milhões de pessoas. O IBGE prevê que a população brasileira deve atingir a marca de 228,4 milhões de pessoas em 2042.

Conforme a tabela do IBGE, São Paulo continua como a cidade mais populosa do Brasil, com 12.1 milhões de habitantes. Em segundo lugar vem o Rio de Janeiro com 6.5 milhões. Depois aparecem Brasília (3 milhões), Salvador (2.9 milhões), Fortaleza (2.6 milhões) e Belo Horizonte (2.5 milhões).

Comentários (0)

Deixe seu Comentário