Manaus, 18 de Setembro de 2018
Siga o JCAM:

Rebecca volta em outubro à luta pela ZFM

Por: Jefter Guerra jguerra@jcam.com.br
22 Ago 2017, 19h58

Crédito:Adriane Oliveira
Em visita ao Jornal do Commercio, na manhã de ontem (22), a empresária e ex-deputada federal Rebecca Garcia (PP) falou sobre seu trabalho frente à Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus), sua visão sobre o primeiro turno da eleição suplementar ao concorrer a vaga para o governo do Estado do Amazonas, quando teve mais de 200 mil votos, e projetos futuros.

Acompanhada do pai, o empresário Francisco Garcia, Rebecca conversou com o presidente do JC Guilherme Aluízio sobre os seus próximos passos depois da eleição. "Ainda estou naquele momento da quarentena, porque ao sair da superintendência não poderei assumir nenhum cargo na iniciativa privada por seis meses, até dia 24 de outubro. E a partir desta data, volto para a direção da empresa da família, a GBR Componentes da Amazônia Ltda. Com isso, volto a trabalhar pelo fortalecimento do Polo Industrial de Manaus e da economia do nosso Estado, tanto aqui como em Brasília", disse a ex-deputada.

Rebecca disse ainda, que ficou muito satisfeita pelo trabalho que desenvolveu na Suframa. "Acredito que tudo que nós fizemos foi um sucesso. Tudo por conta de um quadro técnico muito qualificado que a superintendência tem de servidores. Muitas vezes, por falta de um direcionamento, eles acabavam se perdendo na rotina do dia a dia, que é muito burocrática. Uma vez que acredito, que se não for dada uma direção para o desenvolvimento de projetos na intenção de gerar alternativas para a região, não haveria muitas empresas trazendo investimentos para o nosso Estado", ressaltou ela.

Eleição 2017
Sobre a eleição suplementar, Rebecca disse que, quando decidiu se candidatar ao cargo, entendia que o Amazonas estava pedindo mudança. " Realmente isso é fato. E nós vemos todos os dias nas manchetes dos jornais e na quantidade dos votos nulos, brancos e até de abstenção de votos que o Estado somou", lamentou ela.

Ela ressalta que, mesmo sem um resultado positivo no primeiro turno da eleição suplementar, está extremamente satisfeita com os mais de 200 mil votos que recebeu da população. "Dez dias antes do processo político, percebi que todos os 'canhões' foram mirados na minha direção, por conta das pesquisas que mostravam que se nós chegássemos ao segundo turno, teríamos chances reais de vencer a eleição. Então, eu passava, naquele momento, a ser o adversário de todos que tinham a intenção de vencer no segundo turno. E ainda assim, conseguimos ter esse excelente resultado, considerando os nove candidatos e as distâncias, pois não conseguimos ir a todos os municípios", lamentou ela.

Para Rebecca, a eleição foi completamente atípica, ao se tratar dos dois adversários que passaram para o segundo turno, referindo-se aos candidatos Eduardo Braga (PMDB) e Amazonino Mendes (PDT). "Esses candidatos estavam com quase quatro minutos de propaganda eleitoral, enquanto a gente com apenas 50 segundos. Então, o espaço que tivemos para levar o nosso nome ao entendimento da população foi curto", indagou ela.

Mesmo assim, a ex-candidata vê com bastante sucesso o resultado da eleição. "E não irei apoiar nenhum dos dois candidatos para o segundo turno. Uma vez que entendo que o melhor caminho é estar neutra, porque seria uma incoerência da minha parte depois de tudo o que defendi durante a minha campanha", afirmou.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário