Manaus, 19 de Novembro de 2018
Siga o JCAM:

R$ 44 bilhões foram sacados das contas inativas do FGTS

Por: Antônio Parente e Assessoria
07 Ago 2017, 17h09

Crédito:Divulgação
Cerca de 25,9 milhões de trabalhadores foram beneficiados pelo saque das contas inativas do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço. A informação é da Caixa Econômica Federal que contabilizou R$ 44 bilhões sacados desde o início do processo.

Segundo dados do banco foram realizados 31,3 milhões de atendimento nas agências de todo Brasil, números muito abaixo das expectativas de trabalhadores que era esperada. A estimativa era que 30,2 milhões iriam ser beneficiados, mas a quantidade subiu para 32,9 milhões devido a novos acertos cadastrais de trabalhadores.

Segundo o presidente da Caixa, Gilberto Occhi, o término do prazo para o saque foi no dia 31 de julho e não será reaberto.

"Está descarta a possibilidade de reabrir o prazo. Não é intenção da caixa fazer nenhuma prorrogação. Mais de 30 milhões de trabalhadores foram a caixa e mais de R$ 20 bilhões foram pagos", disse.
Segundo Occhi, com a atual crise no cenário econômico muitos trabalhadores usaram os recursos sacados para quitação de dívidas e outros fins.

Ao colocar R$ 44 bilhões na economia, o trabalhador usou este valor para pagar dívidas e, o restante, para o consumo, para a poupança ou em um fundo de investimento", declarou Gilberto Occhi.
O presidente da Caixa afirmou ainda que nesta terça-feira (8), o governo anunciará em São Paulo, linha de crédito no valor de R$ 1,5 bilhão destinado para lotes urbanos com infraestrutura

"Estamos falando de produzir o loteamento. Criar com toda a infraestrutura necessária, com água, pavimentação, condomínio fechado", disse.

Grata surpresa
A servidora pública, Waleska Ribeiro, viu no recurso a oportunidade de quitar algumas contas em aberto e ficou surpresa com o dinheiro depositado em sua conta.

"Foi uma grata surpresa. Era um dinheiro que eu nem sabia que existia porque há muitos anos que sou servidora pública e achava que não tinha mais nada para receber. Aproveitei a oportunidade para quitar algumas dívidas e isso ajudou muito a equilibrar o orçamento da família. Além de ser um direito do trabalhador acho muito a liberação desses recursos, especialmente no momento de crise que o país está atravessando e com muitas pessoas perdemos seus empregos", disse ela.

Para o gerente administrativo, Alexandre Silva, os recursos inativos foi uma boa saída tanto para o governo quanto para as pessoas.

"Para o governo pois encontrou um jeito de inserir dinheiro no mercado sem investir em nada, para as pessoas, porque chegou em um momento de perspectiva péssima e de muitas dúvidas e contas a pagar. Muitas pessoas que sacaram já não tinha uma renda mensal, então foi ótimo. Pra mim veio em um momento tranquilo, não estava "precisando", mas auxiliou demais para adiantar umas contas", disse.



Comentários (0)

Deixe seu Comentário