Manaus, 19 de Setembro de 2018
Siga o JCAM:

Importações crescem 39,6% no semestre

Por: Hellen Miranda hmiranda@jcam.com.br
02 Ago 2017, 13h48

Crédito:Luiz Ribeiro
A balança comercial amazonense registrou aumento de 39,6% nas importações no primeiro semestre deste ano, em relação a igual período do ano anterior, segundo o Mdic (Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços). No total foram US$ 3,956 bilhões importados de janeiro a junho, contra US$ 2,833 bilhões em 2016. Por outro lado, as exportações nesse período foram de US$ 283,9 milhões com variação de -6,53% no mesmo tipo de confronto. A China continua sendo a líder dos países importadores para o PIM (Polo Industrial de Manaus), com mais de US$ 1 bilhão comercializados somente nos primeiros seis meses de 2017. Insumos para fabricação de TV, rádio, telefones celulares, dentre outros, compõem a lista dos itens mais demandados pelo setor no período.

O presidente do Cieam (Centro da Indústria do Estado do Amazonas), Wilson Périco, pede cautela ao analisar a alta nas importações do Estado. Segundo ele, mesmo com o saldo positivo isso não representa que atividade industrial aumentou no período. "Na verdade isso demonstra que as empresas estão buscando insumos fora do Brasil para se fortalecer, como as indústrias de componentes. No meu entendimento não cresceu a produção e demonstra apenas que o pátio industrial está comprando mais insumos", avaliou o empresário.

Segundo os dados, de janeiro a junho as importações cresceram US$ 1,1 milhão no Estado ou 39,6% no confronto com igual período do ano anterior. No total foram US$ 3,956 bilhões importados contra US$ 2,833 bilhões em 2016. Em relação ao mês de junho, as importações cresceram US$ 696,5 milhões com variação positiva de 47% no confronto com o mesmo mês de 2016, quando registrou US$ 471,7 milhões. Na comparação com maio, que fechou com US$ 646,1 milhões, o crescimento foi de 7,8%. Já abril fechou com US$ 678,8 milhões importados. Até agora, o mês de março foi o melhor do ano para as importações com US$ 710,6 milhões.

O gerente-executivo do CIN-AM (Centro Internacional de Negócios do Amazonas) departamento da Fieam (Federação da Indústria do Estado do Amazonas), José Marcelo Lima, explicou que o aumento nas importações, principalmente no segundo trimestre é reflexo dos pedidos feitos para a produção de fim de ano do setor industrial. "Esse crescimento é tendência porque hoje o PIM utiliza muita matéria-prima de outros países, principalmente o segmento de eletroeletrônico com componentes importados para atender sua linha de produção. Isso significa que está tendo incremento na produção do polo e acredito que seja um sinal de reaquecimento das indústrias ", analisou Lima.

Em sentido oposto
Ao contrário das importações, o Amazonas exportou menos nos seis primeiros meses. Com US$ 283,9 milhões exportados, a variação negativa foi de 6,53% se comparado a igual período do ano anterior, quando fechou com US$ 303,7 milhões. Referente aos números negativos, José Marcelo Lima avaliou como normal para a época devido a crise política e econômica do país. "É comum começar o ano com volume de vendas mais lenta e a partir do segundo semestre haverá um aquecimento ainda que de forma tímida", concluiu o gerente do CIN-AM.

Por outro lado, junho deste ano registrou aumento nas exportações, com US$ 53,5 milhões e variação de 16,7% em relação a igual mês do ano anterior, quando fechou com US$ 45,8 milhões. Até agora, este número é o melhor de 2017.

Já na comparação com maio (US$ 52,5 milhões) a variação positiva foi de 1,95%.

Países líderes na importação
Conforme o Mdic, a China continua sendo a líder dos países importadores para o pátio industrial, com US$ 1,351 bilhão em importações de janeiro a junho deste ano. Um crescimento de 39% em relação ao mesmo período de 2016, quando fechou com US$ 969,6 milhões. A segunda colocada é a Coreia do Sul com US$ 448 milhões vendidos ao PIM, número maior que do ano passado, onde atingiu as cifras de US$ 309,5 milhões. Um crescimento de 44%.

Já o terceiro colocado foi os Estados Unidos, que teve alta de 41% no período, com US$ 407,5 milhões importados ao setor industrial de Manaus. E na quarta colocação aparece o Taiwan com US$ 279,9 milhões contra US$ 183 milhões em 2016, representando alta de quase 53%.

Principais produtos
De janeiro a junho deste ano, insumos para aparelhos receptores de rádio e televisão continuam ocupando o primeiro lugar na lista de produtos mais importados pelo Amazonas, apontou o Mdic.

Segundo a balança comercial, esse tipo de produto teve um crescimento expressivo de 67,7% e um total de US$ 795,1 milhões importados. No mesmo período de 2016, a cifra foi menor ao registrar US$ 474 milhões. Em seguida vem as partes de aparelhos de telefonia, que cresceram 31,8%, atingindo US$ 294,8 milhões em importações no período. Os microprocessadores ocupam a terceira posição com US$ 190 milhões e um crescimento de 43,1%.

Ainda segundo os dados do órgão, o produto mais exportado pelo Amazonas nos seis primeiros meses foi a bebida concentrada. Mesmo com o indicador, o produto teve queda de 16,39% ao comercializar US$ 84 milhões, cifra menor que US$ 100 milhões em 2016. No mesmo tipo de confronto, o segundo colocado são as motocicletas com US$ 47,1 milhões, alta de 18,8% na comparação com igual período do ano anterior, quando fechou em US$ 39,6 milhões.

Em terceiro aparecem as lâminas de barbear, que teve alta de 30,3% no período, com US$ 18,5 milhões exportados do setor industrial de Manaus.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário