Manaus, 22 de Setembro de 2018
Siga o JCAM:

Empresários apoiam empreendedorismo em aldeia indígena

Por: Jefter Guerra jguerra@jcam.com.br
27 Jul 2017, 14h22

Crédito:Divulgação
Um grupo de empresários do Amazonas promoverá no próximo sábado (29) uma feijoada beneficente para arrecadar fundos para fomentar à produção agrícola de frangos caipira e as atividades culturais da comunidade indígena Kambeba, localizada no Km 46, estrada de Manacapuru.

A aldeia já serve de modelo para outros grupos indígenas de, pelo menos, sete municípios do Amazonas.
De acordo com a empresária do ramo de Soluções em Benefícios, Tânia Pinheiro, que já acompanha a vida na aldeia há um ano, o valor arrecadado pelo grupo vai servir para aumentar e alimentar o plantel de 100 para 500 frangos de corte e postura.

Segundo ela, a proposta inicial é garantir a continuidade produtiva da aldeia Tururukari-Uka, que fica às margens do lago do Ubim e posteriormente, passar a comercializar o excedente da produção na aldeia, criando a sustentabilidade, que é um caso raro de empreendedorismo sustentável na Amazônia. "Nós estamos auxiliando o Cacique Francisco Uruma nas articulações para abrir a aldeia para a recepção de turistas regionais e estrangeiros", salientou Pinheiro.

Francisco Uruma, 37, é a terceira geração de tuxauas Kambeba e declara: "Esse é o nosso melhor momento de parcerias e estamos repassando tudo isso para milhares de outros parentes indígenas".

Atualmente, a aldeia é formada por cerca de 56 indígenas entre adultos e crianças. Dentre as atividades da aldeia estão a produção de frangos orgânicos, mel de abelha, cultivo da mandioca, para fazer a farinha, banana, cupuaçu, entre outras frutas. Além disso, a caça e a pesca também fazem parte das atividades dos indígenas.

Empresas de Alimentação e Limpeza abraçam a causa
Valquiria Hernandes, empresária do ramo alimentício, cedeu o restaurante e sua equipe para fazer a feijoada. Ela afirma que a ajuda ultrapassa as doações, uma vez que o grupo pode oferecer condições de apoio ao crescimento cultural de uma aldeia inteira. "Isso gera a sustentabilidade na prática, ao mesmo tempo em que são ampliados os conceitos de educação para os indígenas e para nós", enfatizou.

Outra integrante do grupo com muito engajamento com os Kambebas é a empresária do ramo de Serviços de Limpeza, Sarah Carrion. "Com um pouco de esforço e vontade, a gente consegue apoiar o cacique na qualidade da educação, saúde e nutrição, principalmente às crianças. O valor agregado é imenso e eu recomendo a todos os empresários".

Os participantes do grupo afirmam que são algumas horas de contribuição, que geram grandes aprendizados pessoais e para os negócios. Para eles é o desenvolvimento sustentável na prática, sem teoria, apenas soluções adequadas para quem precisa e quer gerar mais resultados.

Serviço
Data: 29 de julho de 2017
Horário: A partir das 12h00
Local: Forest Food Restaurant, localizado na Av. Santos Dumont, TECA 3, (ao lado do terminal de cargas do aeroporto Eduardinho)
Valor: R$ 25,00 o prato

Comentários (0)

Deixe seu Comentário