Manaus, 21 de Setembro de 2018
Siga o JCAM:

Recuperação de ruas traz otimismo

Por: Priscila Caldas pcaldas@jcam.com.br
26 Jul 2017, 20h10

Crédito:Walter Mendes
A notícia de revitalização das ruas do Distrito Industrial 1 e 2 gerou boas expectativas aos empresários. Para os representantes do setor fabril, a recuperação das vias da área industrial favorecerá a logística dos produtos recebidos e escoados a partir do PIM (Polo Industrial de Manaus). Após anos de entrave quanto a definição da esfera responsável pelos trabalhos de recapeamento, a Prefeitura de Manaus firmou parceria com a Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus) e agora dá início à elaboração do projeto. O imbróglio chegou ao fim no mês de março deste ano, quando foi acordado que a execução das obras ficará sob a responsabilidade do município. Em dezembro de 2016 o Governo Federal sinalizou a liberação de R$ 150 milhões para os trabalhos.

Para o presidente da Fieam (Federação das Indústrias do Estado do Amazonas), Antonio Silva, a definição quanto a uma esfera do poder público ser responsável pelos trabalhos de recuperação na área do distrito já deveria ter ocorrido há um longo tempo. Ele afirma que na situação atual é constrangedor apresentar o parque industrial aos investidores que chegam à Manaus para conhecer a área de instalação das fabricantes.

Silva relata que por conta dos buracos, carretas que transportavam tanto as matérias-primas como os produtos acabados das fabricantes chegaram a tombar. Ele relata que devido à falta de estrutura nas vias, hoje as empresas enfrentam dificuldades para contratar serviços de transportes porque as transportadoras não querem correr o risco de registrar prejuízos em caso de acidentes com as cargas.
"Essa definição beneficiará a logística industrial com o escoamento de cargas entre as áreas portuárias e o Distrito Industrial, tanto para o recebimento quanto para a saída de mercadorias. Todas as vias apresentam problemas, mas principalmente na área do distrito 2 onde existem muitos buracos. Já tivemos vários acidentes com tombamentos de carretas. Agora, as transportadoras não querem mais prestar serviço às fabricantes por conta dos riscos decorrentes da falta de estrutura das vias", expressou.

O vice-presidente da Fieam, Nelson Azevedo, também comemora a notícia de que o distrito será revitalizado. O empresário ressalta a importância de voltar a apresentar a área industrial como um cartão-postal da cidade.

"O que mais almejamos é que o Distrito Industrial volte a ser visto como um cartão-postal de Manaus. Ficamos constrangidos de apresentar a área a qualquer visitante que chegue à cidade com o intuito de investir no PIM (Polo Industrial de Manaus). É uma notícia que agrada a todos os amazonenses e munícipes", disse. "Vale lembrar que durante todos esses anos já enfrentamos diversas situações ruins devido à falta de infraestrutura, como por exemplo, as carretas quando caem em buracos e as peças transportadas saem do local armazenado, sendo danificadas. Esse material precisará ser retrabalhado ou refeito e isso implica em custos, prejuízos. Precisamos de ruas pavimentadas", completou.

Recursos
A verba liberada pelo Ministério do Desenvolvimento está provisionada no tesouro nacional, até que a Prefeitura de Manaus e a Suframa concluam o projeto executivo e deem início aos serviços de infraestrutura. No primeiro momento, a prefeitura arcará com os custos da obra. Serão investidos R$ 2 milhões em contrapartida, além de outros R$ 2 milhões no orçamentário.

Acordo foi firmado em reunião entre Prefeitura e Suframa
As tratativas para o começo das obras de revitalização da área do distrito industrial foram definidas em reunião entre o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, o superintendente da Suframa, Appio da Silva Tolentino, e o vice-prefeito e secretário de obras, Marcos Rotta.

Segundo o prefeito, um grupo de trabalho cuida das minúcias técnicas do projeto executivo, para garantir a boa aplicação dos recursos e qualidade da obra.

"É um desejo comum da prefeitura e da Suframa de devolver para o povo de Manaus o cartão-postal do Distrito Industrial, não somente por sua beleza, mas pelo que vai resultar no faturamento do modelo, pela boa impressão aos investidores e até pelo valor turístico que poderá agregar à cidade", defendeu.
De acordo com o vice-prefeito, as atividades estão sendo programas conforme o parecer favorável da equipe técnica. "Estamos definindo metas e hoje tivemos um grande avanço, com a possibilidade de liberar a execução em lotes. O importante é que há muita boa vontade e disposição para que possamos concretizar esse sonho antigo de recuperar o Distrito Industrial", reforçou.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário