Manaus, 17 de Novembro de 2018
Siga o JCAM:

Motociclistas celebram seu dia

Por: Jefter Guerra jguerra@jcam.com.br
26 Jul 2017, 19h16

Crédito:Cesar Pinheiro
Hoje, 27 de julho é comemorado o Dia Nacional do Motociclista. A data celebra todos os que, seja profissionalmente ou por hobbie, pilotam motocicletas.

Conhecido popularmente como motoqueiro, o motociclista não apenas pilota motos, mas também vivencia o que é conhecido como "cultura da motocicleta".

Inclusive, os motociclistas contam com uma Associação que orienta e organiza reuniões e demais eventos para os apaixonados por motos-, a Abram (Associação Brasileira de Motociclistas).

Almas Livres Moto Clube
E em Manaus há 35 anos, os integrantes do Almas Livres Moto Clube se reúnem para trocar experiências de viagens de curta e longa distância.

De acordo com o presidente do Almas Livres, Alyssonn Carrer, o clube conta hoje com 35 membros que, entre eles, participam médicos, engenheiros, industriários, advogados, empresários e outros profissionais apaixonados pelo veículo de duas rodas. "O clube surgiu durante o Campeonato Peladão de Futebol Amador de 1984. Nessa época, motociclistas se encontravam no Bar do Afrânio, que fica localizado entre as ruas Tefé com a Borba, para acompanhar as partidas do campeonato. E numa dessas confraternizações surgiu a ideia de fundar o Almas Livres", relembra Alyssonn.

Após a fundação do clube, os amigos passaram a viajar pelos interiores do Amazonas em busca de desbravar as estradas e as paisagens da Região Amazônica.

Atuamente, além da região Norte e outros Estados brasileiros, os membros do clube já realizaram excursões por quase todos os países da América do Sul e também para os Estados do Unidos, onde parciparam do Daytona Bike Week, maior evento de moto do mundo.

Dica de segurança
Para o presidente, umas boas dicas para uma viagem segura são: "Revisar se os pneus estão bons e levar um reserva. E se for uma viagem longa, manter o óleo no nível; verificar a corrente ou cardan (transmissão do veículo); levar o equipamento de segurança como botas, calça, jaqueta, luvas, capacete, mochila, alforge (malas laterais com água e alimento não perecíveis e de rápido preparo) e as ferramentas específicas da moto, para um caso de emergência".

Ele indica ainda marcas de motos mais resistentes para viagens de longa e curta distância. "Graças a tecnologia no polo de duas rodas temos muitas marcas de motocicletas para uma boa viagem. Pois, na atual circuntância que a rodovia BR-319, que liga a cidade Manaus a Porto Velho, está esburacada, as motos das marcas Bros da Honda, Xt 660 da Yamaha e Faizer, são muito boas para passeios curtos. E para as longas viagens, as Big Trail, BMW, V Strom, XC Trainer e a Tiger, são as mais confiáveis", disse ele.

Para Alyssonn, o prazer de viajar de moto é a liberdade, o estilo de vida e curtir a paisagem. "Além da possibilidade de refletir sobre a vida e nas coisas que acontecem no nosso cotidiano, fugindo assim um pouco dos problemas, seja com a família ou até do trabalho. É muito gostoso sair de moto por essas estradas afora", enaltece o motociclista apaixonado.

Aragão
Outro amante do hobbie é o Tecnólogo em Radiologia, Elivando Queiroz Aragão, que atende com o nome de guerra entre os amigos motociclistas somente como Aragão.

Segundo ele, o custo de uma viagem varia muito, dependendo da distância. "Uma viagem para a Argentina, por exemplo, fica em torno de R$ 3 mil a R$4 mil, incluindo combustível, hotéis e alimentação. Isso se o motoqueiro for com um acompanhante, como esposa, namorada ou noiva", ressalta ele.
Há 22 anos como membro do Almas Livres Moto Clube, Aragão disse que ele tem muita história pra contar em suas viagens pelo clube.

"Me associei quando só tinha 19 anos. E desse tempo pra cá, nós viramos uma família muito unida. Compartilhamos tudo, desde as alegria até as tristezas nas nossas viagens pelo mundo", conta ele, que já foi vice-presidente duas vezes do clube.

E para as viagens de longa distância, Aragão indica que a programação seja planejada com um ano de antecendência. "E quando chega três meses antes da viagem, o grupo de motociclistas se reúnem para discutirem todo o roteiro e o que deve levar para o lugar de destino", revela ele.

Segurança
Entre os equipamentos de segurança para uma viagem de moto, os representantes da Almas Livres indicam: luva, capacete, botas, além do abastecimento de alimentos não perecíveis. E sempre o primeiro motociclista do grupo observar o motociclista atrás dele, assim por diante, se forem em comboio.

Recentemente quatro membros de motociclistas da Almas Livres ficaram 25 dias viajando por países como Perú, Bolívia, Chile até chegar na Argentina. E há pouco mais de dois anos, um membro do clube fez a famosa rota americana, a Rota 66.

Para Aragão, algumas das motos capacitadas para viagens de longa viagens são: Custom, BMW, Suzuki V Strom, Trifon, Harley Davidson e Honda Shader. "Varia muito de marca para marca. Até a CG pode se associar ao motoclube, pois nós não temos discriminação sobre marca de moto", ressalta ele.

E para o tecnólogo em Radiologia, não existe coisa melhor do que levar a família em suas viagens. "É um prazer muito grande, porque estamos perto de quem amamos e que nos dá força", afirma ele.

Próximo encontro
O próximo encontro dos motoclicistas da Almas Livres acontecerá em Roraima, onde 250 deles saem de Manaus rumo ao 11º Encontro Internacional de Motos de Alta Cilindrada que ocorrerá nos dias 6 e 7 de outubro, no estacionamento do Estádio Canarinho, zona Leste de Boa Vista.

No encontro, as bandas nacionais como Titãs, Racionais, Raimundos, RPM e O Rappa vão arrepiar os participantes dos clubes de todo o Brasil e do mundo estarão, inclusive os motociclista da Bolívia e Peru.
"Infelizmente aqui em Manaus ainda não temos o potencial de fazer um encontro de grande porte como esse em Roraima. Espero que em pouco tempo possamos celebrar nosso encontros também", lamentou Aragão.

Origem do Dia do Motociclista
A data surgiu a partir de uma tentativa da Associação Brasileira de Motociclistas de estipular um dia comemorativo oficial para os motoqueiros.

Em 27 de julho de 1974, morria o motociclista e mecânico da Honda Marcus Bernardi, que era bastante querido por todos. Por sugestão de Rogério Gonçalves -proprietário da Concessionária Honda de Sorocada, São Paulo -o deputado Alcides Franciscatto, em 1984, propôs que o Dia do Motociclista fosse comemorado em 27 de julho, em homenagem ao ex-mecânico.

A Abram acabou por escolher esta data, entre todas as outras, como a oficial da Associação.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário