Manaus, 21 de Setembro de 2018
Siga o JCAM:

Ventos bons nas concessionárias

Por: Hellen Miranda hmiranda@jcam.com.br
06 Jul 2017, 19h59

Crédito:Divulgação
A vendas de veículos novos no Amazonas subiu 7,28% em junho deste ano ante o mesmo mês do ano anterior, aponta a Fenabrave (Federação Nacional de Distribuidores de Veículos Automotores). Ao todo, o sexto mês emplacou no Estado 3.421 mil novas unidades, incluindo automóveis, comerciais leves, caminhões, motocicletas, ônibus, implementares rodoviários e outros contra 3.189 mil em junho de 2016. Na comparação com maio, houve alta de 2,86% quando foram comercializados 3.326 mil veículos. Já de janeiro a junho a venda registrou queda de quase -4%, em relação ao acumulado do ano passado. Em todo o Estado foram vendidos 711 carros a menos no período. Apesar do resultado, as concessionárias estimam expansão nas vendas para 2017.

Na avaliação do diretor comercial da concessionária Mardisa, Ítalo Vasconcelos, o resultado positivo é reflexo da volta da confiabilidade do consumidor somado às melhores condições de pagamentos ofertados no mercado. Ele comentou que em junho, o grupo obteve o melhor índice de vendas nos últimos 18 meses. "Desde janeiro de 2016 não tínhamos um resultado tão positivo e a estimativa de alta chegou a 30%. Apesar da crise, o mercado premium vem mantendo a média de vendas, puxado principalmente por planos que dão maior flexibilidade de pagamento ao cliente", afirmou. A taxa de 7,28% do Amazonas é maior que a média nacional com 5,15%.

Para atrair o consumidor e aumentar o volume de venda, o diretor explicou que a concessionária tem investido em estratégias que incluem zero de juros, pagamento a longo prazo e recompra de veículos. "Hoje o cliente consegue comprar um carro zero com 30% de entrada, 20% financiados e os 50% restantes será pago depois de dois anos. E caso, nesse período não tiver condições o veículo pode ser devolvido através do plano de recompra garantida, o que ajuda a movimentar as vendas", disse Vasconcelos. "Em situações de troca por um novo, ele pode dar como entrada, desde que o saldo devedor do veículo tenha atingido uma porcentagem mínima. O cliente pode fazer um bom negócio no ato da troca de um usado por um novo com boas avaliações", acrescentou. Aproximadamente 70% das vendas na empresa é nessa linha.

Enquanto os carros populares sentiram mais os efeitos da crise do país, ao que parece ela passou bem longe do mercado de carros de luxo, afirmou o gerente. A estimativa é que a venda de veículos de marcas cresça ainda mais em relação a 2016. "A marca premium se destaca porque o consumidor da classe A reage diferente, uma vez que prioriza o bem-estar e não deixa de investir nisso por conta da crise. Com isso, esse mercado vem crescendo nos últimos anos com destaque para Mercedes, Jaguar e Land Rover. Também tem recebido grandes investimentos e nos mantemos otimistas com estimativa de alta de 5% até o fim de 2017", projetou Vasconcelos.

Conforme o balanço, as vendas de veículos novos terminaram o mês de junho com alta de 2,86% em relação a maio. Foram exatas 3.421 mil unidades comercializadas no sexto mês de 2017 contra 3.326 no segundo, ou seja, um aumento de 95 unidades. Os automóveis de passeio e os comerciais leves somaram 2.168 unidades vendidas e lideram a lista, enquanto as motos aparecem em seguida com 1.179 do total.

Na comparação entre junho e o mesmo mês em 2016 o crescimento chegou a 7,28% quando foram comercializados 3.189 veículos naquele período.

Segundo a Fenabrave, no acumulado do ano, a comercialização de veículos caiu de 3,89%, em relação ao ano passado. Enquanto, de janeiro a junho foram 17.575 mil veículos vendidos, no igual período de 2016 foram 18.286 mil unidades. Os únicos segmentos que tiveram resultado positivo nesse tipo de confronto foram de automóveis/comerciais leves e de caminhão/ônibus.

Categorias mostram distinção
Os segmentos de automóveis e comerciais leves, somados, apresentaram aumento de 4,89% em junho quando comparado ao mês anterior. No Amazonas foram emplacadas 2.168 unidades contra 2.068 em maio deste ano. Já em relação a junho de 2016 com 1.864 unidades, o resultado aponta crescimento de 16,31%. No Estado, o acumulado do ano desse segmento subiu 2,66%. Foram 10.766 mil unidades comercializadas nos seis primeiros meses de 2017, contra 10.487 em 2016.

Na venda de caminhões e ônibus, também houve aumento de 100% em junho em relação maio, onde subiu de 24 para 48 unidades, segundo os dados. Na comparação com junho do ano passado, a alta foi de 33,33% e no acumulado do ano 30,89%. No caso da venda dos ônibus, alta no sexto mês de 2017 bateu 128% sobre igual mês de 2016, quando cresceu de 191 para 250 unidades. Em relação a maio, a alta chegou a 300%. Já no acumulado do ano, a taxa positiva é de 246%.

Ainda de acordo com a Fenabrave, na comercialização de motos, na comparação de junho, quando foram comercializadas 1.179 unidades contra 1.206 de maio, houve recuo de 2,24%. Quando comparado a junho do ano passado, as vendas caíram 6,28% ao registrar 1.258 unidades em 2016. Em relação ao acumulado do ano, a queda é de quase 13%. De janeiro a junho de 2017, foram 6.433 mil unidades vendidas e 7.391 unidades no ano anterior.

Concorrência
Os modelos de automóveis de passeio mais vendidos no Amazonas em junho foram Onix (179); Prisma (101); Mobi (94); Gol (89) e HB20 (87). Já a concorrência entre os modelos de comerciais leves ficou entre S10 e Toro, com 261 e 83 unidades vendidas, respectivamente. Logo depois, vem a Saveiro (68) e Hilux (59). Entre as motos aparecem CG 160 da Honda com 333 unidades. Em seguida aparecem a NXR 160 (187); BIZ (157); POP 110 (89) e CG 125 (51).

Comentários (0)

Deixe seu Comentário