Manaus, 18 de Setembro de 2018
Siga o JCAM:

Alta de 5% entre abril e maio

Por: Hellen Miranda hmiranda@jcam.com.br
22 Jun 2017, 13h47

Crédito:Walter Mendes
No mês de maio o Aeroporto Internacional de Manaus registrou aumento de 5% na movimentação de passageiros em comparação a abril deste ano. Segundo dados da Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária), quase 200 mil passageiros embarcaram e desembarcaram na capital amazonense contra pouco mais de 190 mil registrados no mês anterior. No mesmo período de 2016 a movimentação foi levemente maior com 201 mil pessoas, o que mostra um recuo de 0,66 %. Em relação à movimentação de cargas o aumento foi ainda maior. Conforme o levantamento, em maio foram processadas 9,5 milhões de toneladas no Teca (Terminal de Logística de Carga), uma alta de 13% na comparação com igual período no ano passado, quando registrou um volume de 8,4 milhões de toneladas. Já abril processou pouco mais de 9 mil.

De acordo com a Infraero, cerca de 101,5 mil passageiros embarcaram e outros 98,3 mil desembarcaram no aeroporto da cidade. Em maio o volume aumentou na comparação com abril deste ano, quando registrou 97 mil embarques e 92 mil desembarques. Por outro lado, houve recuo em relação a igual mês de 2016, com 98 mil passageiros embarcados e 102 mil desembarcados naquele período. Já no acumulado do ano, foram mais de 1 milhão de pessoas. "Entre os principais fatores para esse aumento estão os programas de fidelidades das companhias aéreas, onde o cliente é estimulado a acumular pontos para a compra de passagens. Além disso, em momentos de crise os preços dos bilhetes costumam cair e as linhas aéreas apelam para as promoções. Tudo isso contribui no final", avaliou o economista Francisco Mourão Júnior.

Mas o especialista pede cautela ao analisar o aumento de 5% no fluxo de passageiros. Segundo ele, apesar de positivo, o resultado não deve ser visto como uma retomada para o setor aéreo. "São questões de oferta e demanda, mas nada significativo. Se comparar com o mesmo mês do ano passado, a movimentação caiu e naquele período o setor ainda tava aquecido", disse Mourão Júnior, destacando que o governo precisa abrir o mercado para novas companhias se instalarem, estimulando a concorrência.

Das quase 200 mil pessoas que passaram pelo aeroporto local, cerca de 181 mil chegaram e partiram em voos regulares para destinos nacionais, uma queda de 3,8% se comparado a abril com 175 mil passageiros domésticos. Em igual mês de 2016 foram 183 mil passageiros, um recuo de 0,67%. Quanto ao fluxo de pessoas que embarcaram ou desembarcaram de viagens internacionais em Manaus, a queda foi mais acentuada. Segundo a Infraero, 7,4 mil passageiros com destinos internacionais chegaram e saíram da capital contra 6,7 mil internacionais de 2016, um decréscimo de % 11. "Em momento de crise as pessoas deixam de viajar e como reflexo para reduzir os custos dos voos, as empresas aéreas reduzem ou cancelam essas opções, como acontecem com alguns de Manaus. Outro ponto que também contribui para a queda na procura por outros países, é a questão política que gera instabilidade econômica e faz disparar o dólar, que fica especulativo. Isso consequentemente reflete no consumo do mercado interno, ou seja, as pessoas optam por destinos nacionais", explicou o economista.

Expectativa
A Infraero estima um crescimento de, pelo menos, 5% no número de passageiros embarcados e desembarcados no Aeroporto Internacional de Manaus para este ano. Segundo o órgão, devido ao cenário econômico do país em 2016 não foi favorável ao crescimento na movimentação de passageiros. O percentual é o mesmo projetado pela Abav-Am (Associação Brasileira das Agências de Viagens no Amazonas).

Para Mourão Júnior, de modo geral a economia brasileira em 2017 depende mais de fatores políticos que econômicos.

"Se o governo federal sustentar o nível de confiança das empresas e principalmente dos consumidores, teremos a partir de 2018 uma recuperação mais forte e substancial", projeta o economista.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário