Manaus, 24 de Setembro de 2018
Siga o JCAM:

FAEA alinha proposta para fabricação de queijo artesanal no Amazonas

Por: Jefter Guerra jguerra@jcam.com.br
08 Jun 2017, 17h05

Em busca de alinhar propostas para solucionar os entraves na produção de queijo artesanal no Estado, em especial dos queijos do tipo coalho, manteiga e mussarela de búfala, a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Amazonas (FAEA), realizou na última quinta-feira, 7, uma reunião com representantes de órgãos como Sepror, Idam, Adaf e Superintendência do MAPA no Amazonas.

O encontro ocorreu após fiscalização da Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (ADAF), na última semana, onde foram embargadas aproximadamente seis toneladas de queijo produzidos nos municípios de Autazes e Careiro da Várzea.

"Vimos a necessidade de reunir representantes da cadeia produtiva do queijo no Amazonas para balizarmos uma proposta que vise trazer para a regularização todos os produtores de queijo artesanal do Estado, de forma a dar condições para que eles atendam exigências e critérios e possam garantir a segurança alimentar do consumidor", destacou o presidente da FAEA, Muni Lourenço.

Outra medida acertada foi o pedido previsão orçamentária para indenização de produtores que tenham o rebanho sacrificado em caso de resultado positivo nos exames de brucelose e tuberculose. Um terceiro pleito a ser encaminhado será a criação de uma Lei Estadual, a exemplo da já existente no Estado de Minas Gerais, que estabeleça as regras para a produção do queijo artesanal no Amazonas.

"Também ficou definido na reunião, a solicitação de uma linha de crédito especial para os produtores do segmento para que eles tenham condições de se adequar as regras e que iremos criar um Grupo de Trabalho para identificar as regras e prazos para que o produtor da cadeia produtiva de queijo no Estado possa se adequar, assinando, inclusive, acordo de compromisso com a ADAF", detalhou Lourenço.



Medidas
E nesta quinta (8), na ADAF, o grupo de trabalho adotou, no meu entendimento, o melhor caminho para amenizar a grave crise que os produtores de queijo (sem serviço de inspeção sanitária) de Autazes e Careiro do Várzea vem passando após a apreensão ocorrida na semana passada.

O grupo vai convocar todos os laticínios privados, prioritariamente os que atuam na região, para saber qual o potencial de compra de leite "in natura" e, também, o preço que será pago aos produtores que ainda não contam com o SIE.

Lourenço explica que, após a reunião do Grupo de Trabalho, compostos por participantes de todos os órgãos que na área sanitária do Amazonas e produtores, os itens da proposta, ou seja, o documento será encaminhado ao Governador, logo após sua consolidação. "Nossa proposta principal é criar um marco regulatório através de uma lei estadual para o queijo artesanal, semelhante ao que existe no Estado de Minhas Gerais", finalizou ele.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário