Manaus, 20 de Setembro de 2018
Siga o JCAM:

Mudança repercute em Manaus

Por: Jefter Guerra jguerra@jcam.com.br
24 Mai 2017, 19h06

A saída da agora ex-superintendente da Suframa, Rebecca Garcia, causou um grande reboliço no meio empresarial e político amazonense. Com um bom trabalho à frente da autarquia, a saída da economista do comando surpreendeu a maioria dos interlocutores ligados ao Polo Industrial de Manaus.

Em sua página no Facebook, o deputado estadual Serafim Corrêa (PSB) disse lamentar que a Suframa, mais uma vez, vire balcão de troca de votos no Congresso Nacional. "A demissão da economista Rebeca Garcia foi exatamente isso. As nomeações que se seguirão vão mostrar o que digo. Por esse caminho não chegaremos a lugar algum. Meu abraço à Rebeca que terminou sendo vítima de um jogo nada republicano", disse ele.

Já o deputado estadual Adjuto Afonso (PDT-AM), classificou como retrocesso a saída de Rebecca Garcia da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa). Ele que é presidente da Comissão de Indústria, Comércio Exterior e Mercosul (CICEM), da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), ficou surpreso com a notícia, tendo em vista o trabalho que Rebecca estava desenvolvendo à frente do órgão.

"É um retrocesso. Ainda ontem o Congresso discutiu taxas a partir de um processo que foi conduzido por Rebecca, para que as taxas cobradas sirvam de investimento na região. A Rebecca é política, mas também é técnica, e vinha fazendo um grande trabalho na Suframa, tem o apoio dos empresários, tem o apoio do ministro, eu mesmo constatei na última reunião em que estive lá. O próprio ministro falou da sua competência, da sua dedicação pelo Pólo Industrial, e de repente, talvez por questões políticas ela sai", disse o deputado. De acordo com o sócio-diretor de empresa Tutiplast Industria Comercio LTDA, Cláudio Barrella, a ex-superintendente Rebecca Garcia fez um exelente trabalho frente Sufram. " O problema é que, o que pode fazer de bom pela industria, ela fez. Mas não adianta administrar um órgão sem o apoio do Governo Federal. A administração daquele órgão não depende só dela", afirmou.

Já para o presidente do Centro das Indústrias do Estado do Amazonas (Cieam), Wilson Périco, a saída da superintendente Rebecca Garcia do cargo pode gerar um atraso em muitos assuntos que estavam em tramitação no órgão. "Principalmente porque isso vem acontecer em um cenário inseguro de um presidente sendo investigado, e o nosso estado em transição de governo".

Na visão do presidente, Rebecca fez uma ótima administração dentro do que foi proposto no inicio do seu mandato. "A gestão dela foi transparente e aberto com os empresário e diretores de empresas. Mas como a estadia dela no cargo dependa do Governo Federal, esteramos que o próximo superintendente possa realizar o mesmo trabalho transparente", finalizou ele.

Outro empresário a elogiar o trabalho da ex deputada, foi o presidente da - Federação do Comércio do Amazonas (FECOMÉRCIO), José Roberto Tadros.

Para ele, Rebecca fez um bom trabalho na frente da Suframa. " Ela fez o melhor que pode. E acho essa saída lamentável, uma vez a Suframa seja um órgão de desenvolvimento empresaria. E com a exoneração da Rebecca, as expectativas do empresariado ficam sempre negativas quanto ao futuro dos negócios de uma empresa ligada diretamente a Suframa", explica ele. A ex-superintendente foi nomeada no cargo em outubro de 2015, pela então presidente na época, Dilma Rousseff (PT).

Comentários (0)

Deixe seu Comentário