Manaus, 22 de Novembro de 2018
Siga o JCAM:

Varejo tem lampejo em maio

Por: Jefter Guerra jguerra@jcam.com.br
18 Mai 2017, 14h02

Dia das Mães aqueceu timidamente comércio do Centro de Manaus. Comerciantes das avenidas Eduardo Ribeiro e Sete Setembro avaliam que a data comemorativa levou mais pessoas para as compras este ano, em comparação ao ano passado.

Lojas dos segmentos de calçados, roupas, tecidos e semijoias tiveram seus espaços visitados neste período.

Para o presidente da assembleia geral da ACA (Associação Comercial do Amazonas), Ismael Bicharra Filho, os empresários informaram a associação que houve um crescimento nas vendas de apenas 2 a 3% nesse período das Mães. "Tivemos lojas que tiveram um lucro maior, por conta da confiabilidade que cresceu nas pessoas neste ano e também no investimento dos empresários em comprar mais produtos".
Bicharra aponta que o crescimento de 3,5% do PIB (Produto Interno Bruto), a queda da inflação, a queda dos juros e o aumento de investimento no país, promoveu a confiança dos brasileiros de irem as compras e do empresário investir em produtos. "Mesmo assim, o comércio ainda está sentindo muito os dois anos (2015/2016) de recessão que o país passou. Estamos esperando que haja um crescimento maior da economia para o segundo semestre deste ano", finalizou ele.

Calçados e bolsas
No setor de calçados, o gerente da Sapataria Classe, Sérgio Ferreira, disse que a loja se preparou três meses para atender suas clientes antes do Dia das Mães. "Abastecemos com mercadoria, precificação, promoção e parcelamos os calçados. E na semana que antecedeu a data, fizemos uma remarcação dos preços para melhor atender os nossos clientes que vieram comprar o presente de suas mamães. Mesmo tendo passado a data, vendemos o mês todo", disse ele.

Ferreira acredita que houve um crescimento nas vendas neste período de 30 a 40%, em comparação ao mesmo período no ano passado. "Em 2016, vi que a crise econômica no país e a reforma na avenida Eduardo Ribeiro, contribuíram para a queda das nossas vendas", afirma ele.

E pensando nas próximas datas comemorativas, como Dias dos Namorados, Natal e Ano Novo, o gerente ressalta ainda, que a loja já está com uma nova coleção para abastecer suas vitrines nesses períodos festivos. "Agora o nosso foco é o Dia dos Namorados. Espero que as nossas vendas sejam iguais ou superiores a esta data", finaliza o gerente da loja, que está há mais de 35 anos no mercado e tem cinco filiais espalhadas pelo centro da cidade.

Moda feminina
Mas o que foi bom pra muitos , não foi tão bom para outros comerciantes, é o caso da loja de moda feminina Rima Fashion.

Segundo a gerente de vendas da loja, Regina Leite, as vendas foram piores que o ano passado. "Esperávamos um fluxo bem maior e, por isso, tivemos nossas vendas bem baixo".

Para o Dia das Mãe, a loja apostou em uma coleção de roupas da personagem Ritinha, interpretada pela atriz Isis Valverde, da novela Global "A Força do Querer". "Porém, não tivemos saída das peças. Agora esperamos que sejam vendidas no Dia dos Namorados. Para isso, vamos mudar a estratégia de venda dessas peças, como lançar uma promoção delas", finaliza ela.
Leite aponta ainda a crise como responsável pela queda nas vendas da loja. "Entendo que as pessoas estiveram sem dinheiro para comprar o presente para suas mães. Isso é lamentável", disse ela.

Joias e semijoias
Já segundo a vendedora da loja Dara, do segmento de semijoias, Natacha Alves, as vendas do estabelecimento foram muito boas durante os dias que antecederam o Dia das Mães. "Na sexta-feira vendemos muito. Como joias e semijoias são bastante apreciadas pelas mulheres, tivemos uma venda bem expressiva. Espero que no Dia dos Namorados os homens tenham bom gosto de nos visitar e levar um presentinho para suas amadas", espera ela.

Tecidos
Outro setor que teve um leve aquecimento nas vendas foi o de tecidos. De acordo com a gerente da loja Planetas dos Tecidos, Jane França, houve um breve aquecimento nas vendas de tecido. "Mesmo as pessoas ainda preferindo dar presentes de produtos acabados como eletroeletrônico, roupas, enfim, tivemos uma busca considerável de clientes, porque ainda tem muitas pessoas que preferem exclusividade na vestimenta"

França aponta um crescimento de 30% nas vendas de tecidos, em comparação ao mesmo período do ano passado. "Mesmo com a venda de tecidos, a loja vende muito em datas especiais, porque as empresas de confecções compram dela para costura de moda em larga escala".

Há 40 anos em Manaus, a loja Planeta dos Tecidos fornece tecidos profissional, que são mais comprados por confecções que fornecem fardamentos para o PIM (Polo Industrial de Manaus).

Comentários (0)

Deixe seu Comentário