Manaus, 14 de Novembro de 2018
Siga o JCAM:

Maior incentivo ao empreendedorismo

Por: Hellen Miranda hmiranda@jcam.com.br
29 Abr 2017, 21h05

Com o objetivo de estimular o desenvolvimento dos setores produtivos da economia e a melhoria da qualidade de vida da população amazonense, o governo do Estado por meio da Afeam (Agência de Fomento do Estado do Amazonas), oferece soluções financeiras para todos os públicos, contribuindo com a geração de emprego e renda.

Os principais atrativos dos financiamentos, são as facilidades dos empréstimos, o valor dos juros e a diferenciação do prazo de pagamentos em relação ao mercado financeiro. A instituição atua no comércio, indústria e serviços.

"Somos uma agência de fomento com objetivo de fomentar crédito sobretudo para micros e pequenas empresas, além do microcrédito. Aqui, aquele cidadão que não tem acesso ao crédito e precisa de poucos recursos consegue, no entanto nosso trabalho não é unicamente financeiro e econômico, mas também social", afirmou o presidente da Afeam, Alex Del Giglio. À frente da instituição desde novembro do ano passado, ele comentou que a proposta da nova gestão é aumentar a atuação da agência no Estado sem deixar de lado as questões sociais.
"Temos muitos desafios, mas estamos com gás e queremos desenvolver inúmeras coisas.
A ideia é consolidar os produtos já existentes, buscar novidades e possibilidades para fortalecer a Afeam, onde se consiga obter mais lucro em paralelo com as questões sociais.
Dentre essas fontes, de modo ilustrativo devemos trazer algum cartão de crédito e débito", contou Alex. "A tendência é expandir, mas sempre deslumbrando os índices de inadimplência e riscos do próprio mercado, como o movimento de taxa de juros, taxa de câmbio e inflação, tudo isso influência no nosso negócio", completou.

Banco do Povo
Um dos mais procurado é o programa de microcrédito Banco do Povo, que lidera os empréstimos com 90% das operações e abrange o atendimento da Afeam para área rural do Amazonas. Criado em 2015, o programa financiou no ano passado R$ 50,8 milhões em microcrédito no Estado. O valor correspondeu a 10.243 operações de crédito, gerando ou mantendo 30.651 ocupações em todos os setores econômicos. Para este ano, o valor orçado é de R$ 66 milhões, sendo R$ 21 milhões destinado para Manaus e R$ 45 milhões para os municípios do interior.

Para quem quiser ter acesso, o primeiro passo é o agendamento, orientou o diretor de Crédito da Afeam, Jacques Douglas. "O interessado comparece a agência no dia e hora marcados para assistir à palestra de orientação sobre o programa de microcrédito. Após isso, o mesmo é encaminhado ao curso de capacitação oferecido pelo Sebrae, onde terão conhecimento de fluxo de caixa, gestão de negócios, geração de resultados etc. Feito isso, o cliente dá entrada no processo para a solicitação do recurso", explicou. A demanda de atendimento da instituição é de 100 pessoas por dia.

Segundo Douglas, o processo é necessário para que os interessados recebam as orientações de crédito adequadamente. "Na palestra as pessoas vêm cheias de anseios e é nesse momento que os nossos técnicos tiram todas as dúvidas. A ideia é que eles ao pegarem o financiamento, apliquem de forma correta para que gerem resultados", destacou o diretor.
O agendamento exclusivo pode ser feito pelo site www.afeam.am.gov.br

Valores e prazos
Na linha do microcrédito, os trabalhadores autônomos, produtores rurais, microempreendedores, micros e pequenas empresas podem financiar valores entre R$ 500 a R$ 15 mil. Já para a categoria de profissionais liberais, o financiamento pode chegar até R$ 50 mil. "É importante lembrar que temos várias linhas de crédito que podem chegar a R$ 500 mil de uma forma ordinária e excepcionalmente até R$ 1 milhão em alguns casos", ressaltou Alex Del Giglio.

O prazo máximo de quitação de pagamento é de 48 meses, com até seis meses de carência, para Investimento Fixo e Misto. Para as operações de investimento financeiro são de até 24 meses, sendo admitido até três meses de carência. "Como a taxa no Banco do Povo é de 3% ao ano, esse é um dinheiro que está muito abaixo da inflação e também abaixo da própria taxa Selic, que serve de referência para os financiamentos de um modo geral", afirmou o presidente.

Interior do Estado
Além da capital amazonense, a Afeam possui postos e técnicos nos municípios de Eirunepé, Itacoatiara, Manacapuru e Tefé. Nas outras localidades, o atendimento é realizado por meio de ações itinerantes em calhas que seguem um calendário mensal. Segundo a instituição, em apenas três meses, o Banco do Povo já financiou pouco mais de mil empreendedores em 24 municípios, distribuídos em três calhas de rio. Juntas, as atividades atendidas pela linha de microcrédito estão criando ou mantendo aproximadamente 3 mil ocupações, direta e indiretamente. 

Neste ano, o Banco do Povo ampliou o número de zonas rurais com atendimento exclusivo, como na Vila Rica de Caviana (Manacapuru) e em Novo Remanso e Vila do Engenho (Itacoatiara). Da mesma forma está previsto nas agrovilas do Caburi, do Mocambo e Vila Amazônia (Parintins) e em Santo Antônio do Matupi (Manicoré).

Em maio, os técnicos do Sebrae e Idam que são os parceiros da Afeam no atendimento do Banco do Povo no interior do Estado, estão em Pauini, Boca do Acre, Lábrea, Tapauá, Canutama e Beruri, na Calha do rio Purus. No próximo mês será a vez da Calha do rio Madeira (Apuí, Humaitá, Novo Aripuanã, Borba, Nova Olinda do Norte, Manaquiri, Careiro Castanho, Autazes) mais o município de Rio Preto da Eva. 

Agronegócio
Atualmente, o município de Benjamim Constant produz polpa de frutas industrializadas, inclusive já exporta para países como o Canadá.

Em Itamarati o forte é o açaí e Manacapuru também trabalha com a produção de polpa de frutas e laticínios. "Em Eirunepé financiamos uma balsa para os cooperados, que agora faz a coleta dos produtos", lembrou Jacques Douglas. Também recebem apoio as associações que dão os insumos para as agroindústrias, como castanha, juta, borracha e farinha.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário