Manaus, 19 de Setembro de 2018
Siga o JCAM:

Educação sem crise

Por: Jefter Guerra jguerra@jcam.com.br
10 Abr 2017, 19h27

Com ensino bilíngue, período integral, currículo inspirado no de outros países, forte presença tecnológica em sala de aula e mensalidades que podem alcançar R$ 8 mil, novas escolas que acabaram de abrir as portas no Brasil vêm atraindo famílias de classe alta e, além de preencherem todas as vagas, já têm fila de espera e planos de expansão.

Em Manaus é o caso do Colégio Martha Falcão, das Escolas Nilton Lins, do Centro Literatus e de muitas outras Escolas de Alto Padrão.

Há 31 anos oferecendo uma educação de alta qualidade para seus mais de 503 alunos, o Colégio Martha Falcão conta hoje com o um corpo de 80 professores.

De acordo com a diretora do Colégio, Nelly Falcão de Souza, a qualidade no ensino na instituição é possível por conta da grade curricular que obedece a legislação brasileira, a Lei de Diretrizes e Bases.
"Porém, os programas trabalhados de forma integrada ao projeto pedagógico do nosso colégio seguem metodologias aplicadas nos países de língua inglesa, onde se encontram as escolas tidas como as mais modernas e bem conceituadas".

Além de uma metodologia aplicada em escolas de países de língua inglesa, o Colégio Marta Falcão proporciona aos seus alunos vários programas de forma integrada e vários opcionais, como: a Escola da Inteligência (que trabalha valores sócio-emocionais), o DSOP (educação financeira), Projeto Pequeno Leitor (estímulo a leitura), Projeto Bioclick (fotografia e meio ambiente), MangaHigh (matemática e lógica através de jogos), Lego Zoom education for life (ciências, matemática, física, robótica), AppProva (preparatório para vestibulares e Enem). "De forma opcional temos o turno Integral Bilíngue (acompanhamento de tarefas, esportes e vivência na língua inglesa), Martha Falcão School: Middle e High School (o aluno se forma com certificação americana e brasileira), Clube do Futuro Cientista (projetos de pesquisa e ciência) entre outros", explica a diretora.

E ao ser questionada sobre a influência das novas tecnologias na sala de aula, a diretora é enfática ao que dizer que a informática e a tecnologia caminham lado a lado para a qualidade do ensino no colégio. "Em um mundo cada vez mais globalizado, utilizar as novas tecnologias de forma integrada ao projeto pedagógico é uma maneira de inovar a educação permitindo aos alunos explorarem múltiplos conteúdos extrapolando as paredes da sala de aula, proporcionando com isso, velocidade, abrangência, inovação, interação, cooperação, autonomia e ensino lúdico", relata ela.

Para se ter uma educação de qualidade no Colégio Martha Falcão, os pais precisam investir um valor expressivo para preparar seus filhos para faculdade e um mercado de trabalho promissor. "Nossos pais investem uma média de R$ 1.450 a R$ 2.900 variando de acordo com o segmento do aluno e os projetos opcionais escolhidos", revela Nelly.

Em resumo, a diretora reforça que o principal retorno para os pais é a preparação do seu filho para um futuro cada vez mais exigente e competitivo, proporcionando ensino de qualidade em que o conhecimento e as habilidades adquiridas por eles sejam permanentemente atualizados e eficazes. "Oportunizando a formação do homem íntegro no sentido moral, intelectual e emocional, capaz de atuar de maneira competente, transformadora e criativa para a sociedade tornando-se completo e feliz", resume ela.

Nilton Lins
Outra Escola de Alto Padrão que busca formar alunos para um futuro promissor, são as escolas Nilton Lins.

Conforme a Coordenadora do Ensino médio da instituição, Keyle Cristina Lima Ribeiro, a Nilton Lins vem crescendo em qualidade de ensino há 31 anos. E conta, atualmente com o corpo discente de 419 alunos e 34 professores.

E para esta crescente educacional, a Nilton Lins, conta também com a influência de outros países. "Certamente. Considerando a importância da segunda língua para uma multiculturalidade, nossa matriz contempla o Inglês intracurricular com a metodologia Yazigi, a 1ª franquia de idiomas do Brasil, com 66 anos de tradição em educação de idiomas. Todos os nossos alunos, tem uma carga horária diferenciada para contemplar o inglês de forma eficiente e coesa".

Além da Robótica Educacional, que também integra a matriz curricular da Escola, inserindo através das montagens, abordagens e relações entre as disciplinas, propiciando um aprendizado robusto e repleto de significado. "E ainda estamos com a parceria junto a Google for Education, trazendo para o ambiente escolar, ferramentas que viabilizam um cotidiano educacional mais interativo e com a perspectiva de incentivo a um processo de construção do aprendizado mais dinâmico e integrado". E sobre o investimento para uma educação de qualidade nas Escolas Nilton Lins, Keyle disse que é variável. "O que de fato deve ser levado em consideração pelas famílias é a importância de uma base educacional coesa que irá permear todo o desenvolvimento da criança em sua vida pessoal e consequentemente, profissional. Trazendo para essa criança, maiores e melhores oportunidades pelo diferencial ao qual a mesma foi inserida, considerando o currículo escolar por ela vivenciado", finaliza ela.

Centro Literatus
Já para o Centro Literatus, com 26 anos de existência, 18 anos de Educação Profissional e 150 professores, as novas tecnologias também estão transformando a vida dos mais de 7 mil alunos da instituição."Os professores recebem formação para usar a tecnologia a favor da aprendizagem. Eles recebem treinamento sobre a forma correta de utilizar a internet, fazer pesquisas, comportamento adequado. Além disso, também incluímos aulas online no currículos de alguns cursos. Essa metodologia desenvolve inúmeras habilidades neles, expondo-os a novos hábitos que serão exigidos no mercado de trabalho", explica a assessora de tecnologia educacional do CEL Amanda Cunha.

Cursos online CEL incentivam a inclusão digital
Entre as habilidades, Cunha explica que a tecnologia é uma aliada, uma ferramenta para auxiliá-los dentro e fora da sala de aula, e isso tem sido um dos maiores desafios da instituição. "Já recebemos aqui alunos que nunca tinham tido acesso ou então possuíam pouco domínio com a tecnologia, mas, apesar da resistência de alguns por conta da insegurança, as aulas online tem se mostrado eficazes na formação profissional do aluno", apontou a assessora de tecnologia educacional do CEL.

É o caso da estudante do curso técnico de enfermagem, Juliana Macedo, que avalia que as disciplinas online trouxeram um diferencial para a aprendizagem. "Através dessa metodologia de ensino, com o celular na mão, posso estudar até no ônibus, o que me incentivou a ler mais, pois passei a querer me aprofundar no assunto e, além disso, somos cobrados da mesma forma que nas disciplinas presenciais, o que tem ajudado a me manter motivada", comenta a estudante.

O investimento para se estudar na CEL chega a aproximadamente R$ 5 mil, em 20 parcelas. "E o retorno é a inserção rápida no mercado de trabalho, com reconhecimento de suas habilidades intelectuais e comportamentais", finaliza Cunha.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário