Manaus, 16 de Novembro de 2018
Siga o JCAM:

Cresce busca pelo curso de Nutrição

Por: Jefter Guerra jguerra@jcam.com.br
31 Mar 2017, 20h00

A prática da boa alimentação começa desde cedo, ao nascimento, com o aleitamento materno exclusivo até os 6 meses de vida. Após esta fase, a amamentação poderá ser feita de maneira complementar até os 2 anos. Em cada fase da vida (criança, adolescente, adulto ou idoso), o ser humano possui diferentes necessidades nutricionais.

E na busca de ensinar futuros especialistas na área de Nutrição e Saúde, as Faculdades e Centros Universitários de Manaus buscam oferecer os melhores ensinos aos seus discentes quando se trata de avaliar, cuidar e preparar uma alimentação saudável.

E na necessidade de formar profissionais qualificados na área, instituições de ensino superior como o Centro Universitário Nilton Lins, UniNorte /Laureate e a Fametro (Faculdade Metropolitana de Manaus) enviam todos os anos jovens Nutricionista com competências e habilidades para desenvolver ações como: planejar; pesquisar a utilização científica dos alimentos; supervisionar os programas de alimentação destinados à recuperação e manutenção da saúde do homem; participar de programas de alimentação e nutrição, identificando as carências nutricionais das populações atendidas; elaborar programas de educação alimentar; atuar em ensino e pesquisa; prestar assessoria em administração de Unidades de Alimentação; desenvolver pesquisas em laboratórios de análise de alimentos; e participar na implantação de programas de instituições voltadas à Saúde Pública.

De acordo com a coordenadora do curso de Nutrição da Centro Universitário Nilton Lins, professora Osmarina Monteiro, o objetivo principal do Curso de Nutrição é formar o profissional com visão generalista, humanista e crítica, capacitado a atuar em todas as áreas do conhecimento em que alimentação e nutrição se apresentem fundamentais para a promoção, manutenção, recuperação da saúde e prevenção de doenças de indivíduos ou grupos populacionais. "Este curso oferece também uma segurança alimentar e atenção dietética, formando um profissional com aptidões de liderança, empreendedorismo e busca constante de aprendizado".

Segundo a também Especialista em Nutrição Clínica - Metabolismo, Prática e Terapia Nutricional pela Universidade Gama Filho, a característica diferenciada do Curso está no fato de que os docentes atuam como profissionais de nutrição em diferentes áreas de atuação no mercado local. "Assim sendo, a vivência na área por parte dos discentes passa a ser um elo facilitador para que possam ter oportunidades de desenvolver ações extracurriculares junto com seus professores do curso, com características de estágios, extensão, bem como visitas técnicas, entre outros", explica a nutricionista.
Há cinco anos na instituição, Monteiro fala ainda do trabalho de extensão realizado pelo Centro. "Por exemplo, temos o atendimento social com pagamento de uma pequena taxa no Hospital Nilton Lins, onde os alunos finalistas do curso de nutrição realizam atendimento nutricional a comunidade sob a minha supervisão", revela ela, ao ressaltar também que, atualmente, ainda há uma procura grande pelo curso no Centro Universitário.

UniNorte
Já na UniNorte, a coordenação do curso de Nutrição fica por conta da Nutricionista, com especialização em Nutrição Clínica, mestra em Gestão Ambiental, professora Esther-Léa Azulay Benayon Cunha.
Há 10 anos na instituição, Azulay explica que a proposta do curso de nutrição na UniNorte/Laureate é formar nutricionistas aptos a enfrentar a situação de insegurança alimentar e nutricional existente no Amazonas. "Bem como prestar atendimento dietético de forma individual e coletiva, com competências e habilidades para melhoria da qualidade de vida de indivíduos ou grupos populacionais, por meio da promoção, manutenção e recuperação da saúde e prevenção de doenças".

E sobre o a demanda e o mercado de trabalho para os alunos de Nutrição, Azulay informa que a busca de jovens iniciantes no curso na UniNorte é muito boa. "Todos os semestres fechamos duas turmas nos turnos matutino e noturno no Uninorte. E o mercado de trabalho vem crescendo a cada ano, pois está exigindo a presença deste profissional em todas as áreas que envolvem alimentação, principalmente, quando trata-se de segurança e qualidade dos alimentos".

Em relação a saúde ou a falta dela, o coordenadora explica que o açúcar e o sal são, ainda, os vilões. "Pois os dados estatísticos vêm mostrando que a obesidade, a hipertensão e a diabetes são tidos como problemas de Saúde Pública. E vem cada vez mais ocorrendo uma inversão no quadro epidemiológico relacionado a transição nutricional, aumentando a obesidade", alerta ela.

Fametro
Já em relação ao mercado de trabalho para o Nutricionista, a coordenadora do curso de Nutrição da Fametro, Silmara da Cunha Pimentel, revela que 80% a 85% dos alunos formados na Faculdade Metropolitana de Manaus saem da instituição com emprego garantido. "E isso acontece porque muitos deles se destacam nos estágios, que abre o mercado de trabalho, pois acabam seguindo carreira na empresa onde iniciam seu estágio", afirma ela.

"Acredito que a área da nutrição está em constante crescimento, porém é necessário promover a qualidade de ensino para que esta seja vislumbrada constantemente pela população. Todos, independente da classe socioeconômica almejamos qualidade de vida que se inicia pela alimentação saudável desde a primeira infância até a fase da melhor idade.

Atualmente, Nutrição é o curso que mais cresce, por ter uma procura alta", revela Pimentel, bacharel em Nutrição e em ciências contábeis.

Dados da OMS
Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), as doenças cardiovasculares são as principais causas de morte, sendo responsáveis por 30% das mortes no mundo. A base para ocorrência de doenças cardiovasculares é a aterosclerose. A formação da placa de ateroma na parede dos vasos sanguíneos está associada a hipercolesterolemia, hipertrigliceridemia, diminuição do HDL-c, hipertensão arterial sistêmica, diabetes mellitus e obesidade.

Sobre à saúde
O colesterol do nosso organismo tem duas origens:
Endógena: Em torno de 80% do colesterol é produzido pelo nosso próprio corpo, principalmente pelo fígado.

Exógena: É adquirido através dos alimentos principalmente de origem animal: gema de ovo, leite e derivados, carne bovina, pele de aves e miúdos, frutos do mar.

Apesar de o colesterol alimentar estar relacionado à elevação do colesterol no sangue, os maiores vilões para que isto ocorra são grande ingestão das gorduras trans e gorduras saturadas, menor participação de alimentos fontes de colesterol como o ovo e o camarão.

Ácidos graxos saturados: manteiga, dendê, leite integral, bacon, toucinho, carne bovina gorda, queijos amarelos, creme de leite.

Efeitos negativos à saúde: Aumento da incidência de doença coronariana e aumento da colesterolemia.
Ácidos graxos trans: são produzidos por meio de hidrogenação, processo que se aplica aos óleos vegetais líquidos à temperatura ambiente, com o objetivo de conferir consistência de semissólida a sólida. A principal fonte de gordura trans na dieta é a gordura vegetal hidrogenada, utilizada industrialmente na produção de biscoitos, bolachas recheadas, empanados tipo nuggets, sorvetes cremosos, tortas e alimentos comercializados em restaurantes fast food.

Efeitos negativos: Elevam o LDL-Colesterol, a colesterolemia, reduzem o HDL-colesterol e grande associação entre consumo de trans e incidência de doença coronariana.

Os 5 maiores vilões que elevam o colesterol sanguíneo:
1. Margarina (fonte de gordura Trans): muita atenção aos produtos industrializados confeccionados à base de margarina como nuggets, biscoitos recheados, sorvete cremosos, croissant. São alimentos ricos em gordura trans. A margarina não deve ser utilizada em pães ou preparações, podem ser usados creme vegetal ou queijos magros ou na versão light com redução de gordura.

2. Frituras: batata frita, pastel, salgadinhos. Mesmo utilizando óleo vegetal (canola ou soja) ou azeite, se um alimento for utilizado em elevadas temperaturas ele passa por reações químicas oferecendo perigo à saúde, se tornando um óleo saturado. O ideal é fazer preparações assadas, cozidas e ensopadas. Ainda contém grande quantidade de sódio. Alimentos fritos são ricos em ácidos graxos saturados.

3. Carnes gordas: miúdos, bacon, costela, vísceras (fígado, coração), pernil, pele do frango, embutidos (salsichão, salsicha, mortadela, salame), são ricos em gorduras saturadas. Ao se preparar carnes, deve-se remover a gordura aparente e a pele (aves), pois a gordura penetra no interior da carne durante o preparo. Entre os tipos de preparação, deve-se dar preferência ao grelhado, bem passado, pois a carne mal passada com gordura apresenta as maiores taxas de gordura saturada. Dar preferência aos assados, cozidos, ensopados e grelhados.

4. Queijos "amarelos": prato, coalho, emental, brie, cheddar, mussarela, parmesão, minas padrão, entre outros. Estão presente em sanduíches e em inúmeras preparações, são alimentos ricos em gorduras saturadas. A crença popular de que queijos de cor branca são adequados à saúde cardiovascular deve ser revista. Queijos minas padrão, requeijão e cream cheese têm alto teor de gordura saturada. Qualquer queijo cujo principal ingrediente seja o leite integral será fonte de gorduras saturadas. Podem ser substituídos por cottage, ricota, requeijão light, minas frescal light (cuidado com o tamanho da fatia), queijo prato light, mas sempre usando com moderação.

5. Leite integral, manteiga e creme de leite: Estes alimentos estão inseridos em muitas preparações: suflês, bolos, molhos cremosos, doces (tortas, pavês), sopas cremosas, empadões, quiches, saladas cremosas. São grandes fontes de gordura saturada e de calorias.

Em substituição ao leite integral pode ser usado leite desnatado e em preparações que utilizem creme de leite pode ser usado requeijão light, creme de ricota, requeijão 0% de gordura ou iogurte.

Data comemorativa
Em 31 de março comemora-se o Dia Nacional da Saúde e Nutrição, que faz parte do calendário do Ministério da Saúde. Data esta importante para refletir como são feitas nossas escolhas, quando se trata de avaliar nossa alimentação. Afinal, essas escolhas estão intimamente relacionadas à nossa qualidade de vida.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário