Manaus, 21 de Setembro de 2018
Siga o JCAM:

Construindo uma nova urbanidade

Por: Hellen Miranda hmiranda@jcam.com.br
29 Mar 2017, 14h11

As soluções tecnológicas vêm sendo destaque no planejamento em políticas pública de Manaus. Com base nas dificuldades peculiares da região, em 2013 a capital ganhou um projeto que visa contribuir para que a cidade se desenvolva e ganhe status de 'Smart City'. Para isso, projeto foi dividido em duas fases: o que já foi feito e o que está sendo proposto para os próximos anos. O intuito do projeto intitulado 'Cidade Inteligente' é buscar soluções para facilitar a vida da população, afirmou o subsecretário de Tecnologia da Informação da Semef (Secretaria Municipal de Finanças, Tecnologia da Informação e Controle Interno), Eudo Assis. Ele destacou que a implantação representa uma eficiência na prestação de serviços inteligentes para o cidadão nas áreas de transporte público, saúde e educação, entre outros.

Assis explicou que conceito do modelo apareceu para orientar os administradores públicos dos grandes centros urbanos a tentar construir cidades com mais qualidade de vida. "A preocupação surgiu com o crescimento das cidades, há algum tempo cada vez mais pessoas estão migrando do campo para as áreas urbanas e Manaus não é diferente dessa realidade. Hoje, 99% da nossa economia é gerada aqui e mesmo com o imenso tamanho da zona rural a quantidade de pessoas que vivem nessa área é muito pequena", comentou. Na avaliação do subsecretário, Manaus já começa ser diferente das demais cidades por conta da extensão rural e concentração de pessoas na capital.

Entre as principais dificuldades enfrentadas, estão o tamanho do município e o caos no trânsito. "Manaus cresceu horizontalmente e só agora os prédios começaram a se concentrar em algumas zonas da capital. O trânsito é outro desafio porque é necessário ter um transporte público que cubra toda a cidade que é grande, além da educação e saúde", analisou Assis. "Mas a grande vantagem é que o modelo vai se ajustando conforme as particularidades do município e já funciona em outros lugares do Brasil, inclusive o mercado dispõe de empresas especializadas, basta ter vontade e recursos para fazer", acrescentou.

Base da Cidade Inteligente
O projeto já recebeu um subsídio de R$ 74 milhões do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), sendo que R$ 17 milhões foram investidos em um dos mais modernos datacenters do país. Assim a Prefeitura de Manaus já conta com essa plataforma digital avançada, que hospeda as informações da administração municipal a uma estrutura georreferenciada da cidade. Segundo Assis, o equipamento tecnológico é o principal suporte para os caminhos da 'Smart City'. "Para criarmos o modelo precisávamos de uma solução que fosse confiável e estável. Então fizemos o projeto do zero com a nossa equipe e colacamos o que há de melhor em tecnologia, os equipamentos são os mesmos usados por empresas como o Google, Facebook e grandes bancos mundiais", afirmou. Projetado para pelo menos 10 anos, o datacenter foi dividido em quatro partes: monitoramento, comunicação, energia, e servidores.

Referente ao sistema de gestão educacional, o pai poderá acessar funcionalidade que vão desde o boletim escolar pela web do filho, ver a frequência escolar, ter o conhecimento do calendário e até da agenda escolar. Também será possível o envio de SMS e realizar a matrícula online georreferenciada com informações das escolas disponíveis mais próximas da casa do aluno. Já no sistema de gestão de saúde, a prioridade será agendar consultas e exames médicos e odontológicos, análises clínicas, imunização do cidadão, prontuário eletrônico, controle de exames laboratóriais e atendimentos. Por ser um dos maiores desafios, estão sendo estudados soluções para melhorar o transporte público em Manaus. Entre as alternativas estão a implantação de displays de informação em tempo real nos pontos de ônibus, terminais e avenidas; monitoramento pelo Centro de Operações e Controle; novos aplicativos e website com informações integradas com software de mapas da prefeitura. Também aparece o uso de Cartão Cidadão e Efetuação de Recargas no próprio ônibus, além da disponibilização de informações aos passageiros em diversos meios eletrônico e estático. Outra ferramenta é a de sinais inteligentes. "Tudo é programável, existe a semafórica em tempo real e controle do tráfego que daria prioridade para bombeiro, ambulância e transporte coletivo reduzindo as paradas. Um estudo crítico mostrou que agilizaria o trânsito em 30% na capital",afirmou.

O acesso Wi-Fi grátis aos serviços municipais como emissão de nota fiscal, consulta de nota escolar ou de algum exame, inicialmente é visado nos terminais e locais públicos, mas futuramente deverá ser disponibilizado em todos os prédios da prefeitura adiantou Assis. "Hoje todos tem um celular e por meio dele, o cidadão conseguiria ter acesso de casa a todo o sistema municipal. Caso ele for se deslocar pela cidade, o objetivo é que tenha informações relacionadas ao trânsito, transporte público e onde encontrar qualquer serviço", finalizou. Entre os projetos mais caros e com previsão de término até o fim deste mandato do prefeito Arthur Neto, está a criação da própria rede de fibra óptica que reduzirá em 80% o custo mensal e o serviço de telefonia seria mais segura.

Manaus inteligente fase 1
Além da plataforma digital, também foram implantados a nova rede de fibra óptica, geoprocessamento, Semef atende, Call center e web chat, Siged, ITBI web, aplicativo de celular, gestão inteligente, fomento de empreendedorismo e portal da transparência. O subsecretário destacou que o geoprocessamento é outro pilar da Cidade Inteligente, tendo como vantagens a troca de informações ágeis e dinâmicas entre as secretarias, além do acesso aos dados através de qualquer equipamento. "Quando você navega com o Waze, coloca a localização para chegar em um ponto e tem que usar o geo para saber quais os caminhos disponíveis. Assim, no município o georreferrenciamento é usado para saber a localização de escolas ou unidades de postos de saúde", exemplificou.

No portal Semef atende, a ideia é que o cidadão faça tudo de casa como emitir nota fiscal ou via de IPTU. Mas para quem preferir, foi criado a Central Semef Atende para atendimento direto, sendo possível o agendamento eletrônico de serviços. Também já existe o Call center 156 e web chat que centraliza o contato no número 156. O objetivo é oferecer atendimento especializado para as demandas de informação e serviços.

Outro avanço é o Siged (Sistema Integrado da Gestão Eletrônica de documentos). Ele é um processo eletrônico que reduz o uso do papel por aperfeiçoar o arquivamento de documentos, melhorando a produtividade com mais transparência, segurança e maior fluidez dos processos. "Hoje 99% dos processos já estão arquivados no computador, gerando grande economia porque acabou o aluguel de galpões para armazenar os documentos, motos para recolhimento e pessoas para lançar e pesquisar", disse Assis.

No projeto ITBI web, as vantagens são a disponibilidade do sistema e agilidade na liberação que reduziu de 10 dias para apenas 20 minutos, sendo todo o tendimento direto pela internet. Além da segurança, já que os cartórios e demais partes interessadas têm acesso ao software que valida os DAMs pagos, permitindo o acesso a autenticidades dos documentos.

Outro ponto alto da Smart City é o aplicativo para celular que facilita a vida do empresariado. Nele é possível acessar informações tributarias, IPTU, Alvará, certidão negativa, pagamento da prefeitura, calendário fiscal, situação de processo, entre outros. Referente ao fomento de empreendedorismo, já é possível tirar o alvará de funcionamento de uma empresa considerada de baixo risco (escritórios de advocacia ou contabilidade) em até 30 minutos. Já as de autorrisco (posto de gasolina e hospital) está sendo estudado alternativas para agilizar o processo. Segundo a Semef, durante o ano passado foram abertas 1.750 empresas na capital, sendo concedidos 1.300 alvarás provisórios.

Mais uma ferramenta é o portal da transparência que reúne todas as informações sobre a prefeitura como receita, despesas, contratos, licitações, convênios, entre outras sendo aberto para consulta popular. No final de 2016, foi concluída a nova rede de fibra óptica na prefeitura, que permite uma solução de comunicação de dados em todas as unidades como secretarias, hospitais e escolas. Além do aumento no link de internet para 1 Giga ampliando a velocidade, disponibilidade de rede e serviço de proteção de ataque. A economia anual com o datacenter e a nova rede de dados é estimada pela Semef em torno de R$ 12,4 milhões. "Antes se gastava R$ 23,3 milhões com rede de dados, internet, aluguel de imóvel e manutenção de TI e com o novo projeto, apenas refizemos os contratos e caiu para R$ 10,8 milhões. Uma redução de 53%", contou Assis.

Manaus inteligente fase 2
Na preparação da cidade para o futuro, a prefeitura começou a construir os projetos priorizando os que farão diferença de imediato na vida da população. "A ideia é que em até um ano estejam funcionando o sistema de gestão educacional e saúde, além do transporte público e estamos tentando incluir o acesso a Wi-Fi grátis aos serviços municipais", informou Assis. Outros projetos são: sinais inteligentes, gestão das contas de consumo, sensores de bueiros, monitoramento de áreas de risco, integração das câmeras de vigilância, aplicativo de serviços municipais, 156 municipal, centro de monitoramento da cidade, aumento link de internet e criação da própria rede de fibra óptica.

Referente ao sistema de gestão educacional, o pai poderá acessar funcionalidade que vão desde o boletim escolar pela web do filho, ver a frequência escolar, ter o conhecimento do calendário e até da agenda escolar. Também será possível o envio de SMS e realizar a matrícula online georreferenciada com informações das escolas disponíveis mais próximas da casa do aluno. Já no sistema de gestão de saúde, a prioridade será agendar consultas e exames médicos e odontológicos, análises clínicas, imunização do cidadão, prontuário eletrônico, controle de exames laboratóriais e atendimentos. Por ser um dos maiores desafios, estão sendo estudados soluções para melhorar o transporte público em Manaus. Entre as alternativas estão a implantação de displays de informação em tempo real nos pontos de ônibus, terminais e avenidas; monitoramento pelo Centro de Operações e Controle; novos aplicativos e website com informações integradas com software de mapas da prefeitura. Também aparece o uso de Cartão Cidadão e Efetuação de Recargas no próprio ônibus, além da disponibilização de informações aos passageiros em diversos meios eletrônico e estático. Outra ferramenta é a de sinais inteligentes. "Tudo é programável, existe a semafórica em tempo real e controle do tráfego que daria prioridade para bombeiro, ambulância e transporte coletivo reduzindo as paradas. Um estudo crítico mostrou que agilizaria o trânsito em 30% na capital",afirmou.

O acesso Wi-Fi grátis aos serviços municipais como emissão de nota fiscal, consulta de nota escolar ou de algum exame, inicialmente é visado nos terminais e locais públicos, mas futuramente deverá ser disponibilizado em todos os prédios da prefeitura adiantou Assis. "Hoje todos tem um celular e por meio dele, o cidadão conseguiria ter acesso de casa a todo o sistema municipal. Caso ele for se deslocar pela cidade, o objetivo é que tenha informações relacionadas ao trânsito, transporte público e onde encontrar qualquer serviço", finalizou. Entre os projetos mais caros e com previsão de término até o fim deste mandato do prefeito Arthur Neto, está a criação da própria rede de fibra óptica que reduzirá em 80% o custo mensal e o serviço de telefonia seria mais segura.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário