Manaus, 14 de Novembro de 2018
Siga o JCAM:

Internet revoluciona manufaturados

Por: Jefter Guerra jguerra@jcam.com.br
21 Mar 2017, 14h58

Quem nasceu no início da década 90 vem acompanhando de perto o desenvolvimento da internet e sua influência na evolução de produtos manufaturados. Carros, lâmpadas e purificadores de água são alguns exemplos de produtos que estão passando por esta transformação ao oferecer maior conforto e comodidade àqueles que apreciam este avanço.

E para explicar sobre estes avanços e influências, esteve no último dia 10 de março em Manaus o executivo-chefe de Negócios do Cesar (Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife), Eduardo Peixoto.

Na capital, o executivo participou de uma apresentação para profissionais ligados à pesquisa e desenvolvimento, inovação e manufatura, com o propósito de difundir os conceitos de IoT (Internet of Things ou Internet das Coisas) bem como, foi apresentado no evento o KNoT, a meta plataforma de Internet das Coisas do Cesar.

Durante o encontro, o também mestre em Engenharia Eletrônica, Peixoto falou de seus estudos através do tema: Como os produtos manufaturados irão evoluir em função da IoT.

Segundo ele, a Internet das Coisas tem tudo para ser o carro-chefe da retomada do crescimento da indústria, puxada pelo setor de serviços, que hoje representa 72% do PIB (Produto Interno Bruto). "Vejo que os carros, os purificadores de água, as lâmpadas e muitos outros produtos estão passando por esta transformação. Ou seja, qualquer produto, a princípio, pode conter sensores e ser conectado a internet, ampliando funcionalidade e possibilitando a integração com serviços", comenta.

Ele explicou ainda que, este avanço foi possível com o barateamento dos circuitos integrados que a cada 18 meses, mais ou menos, dobram a complexidade pelo mesmo preço. "Então ficam baratos e potentes o suficiente para serem incorporados a qualquer produto. Com isso, quem ganha é o consumidor, porque os produtos terão inteligência e poderão tomar pequenas decisões. Serão Assistentes Inteligentes. Ainda, quem o produz poderá continuamente melhorar o produto, uma vez que tem a conexão com a internet, é um híbrido de hardware e software, logo pode ser atualizado", salienta Peixoto.

Quanto à mudança econômica que este avanço pode gerar no Brasil, Peixoto revelou que não existe este cálculo no país. "Mas lá fora do país, calcula-se que a IoT ( Internet of Things) vai gerar uma economia de 4 a US$ 11 trilhões até 2025",
O engenheiro prevê que o futuro da IoT será marcado por produtos intensivos em serviços. "Se as indústrias não caminharem nessa direção, se tornarão comoditizadas", alertou ele.

Ao final da sua apresentação, Peixoto destacou que a IoT abre também uma série de oportunidades para novos profissionais, novas plataformas de software e para as empresas que souberem acompanhar o novo cenário. Citando o exemplo da manufatura avançada, Peixoto destacou que as novas tecnologias não podem ser vistas apenas como uma forma de redução de custos. "Vão gerar ganhos para a indústria, mas a grande revolução será o surgimento de novos produtos e de um novo padrão de produção", concluiu o chefe de Negócios do Cesar.

Em 2016, o chefe de Negócios do Cesar, Eduardo Peixoto esteve em uma reunião em Manaus e apresentou o estudo PoETAS.IT (Políticas e Estratégias para Tecnologias, Aplicações e Serviços para a Internet de Tudo). Produzido em conjunto pelo Cesar, em parceria com o TecnoPuc (Parque Científico e Tecnológico da PUCRS), o NGPD (Núcleo de Gestão do PortoDigital), a Porto Marinho e o CIFS (um think tank -instituição ligada à produção e difusão de conhecimento -dinamarquês), o documento informa uma série de estratégias para políticas públicas para o incentivo à difusão da IoT no Brasil. "Nada do que pensarmos agora será definitivo. Muitas tecnologias ainda vão surgir, mas tentamos mirar alguns caminhos possíveis nesse estudo", explicou ele na época. O PoETAS.IT foi construído sob licença creative commons, ou seja, desde sua concepção foi pensado para ser um documento aberto à sociedade para que possa evoluir e ser implementado por qualquer cidade ou país do mundo.

Os interessados podem contribuir pelo e-mail poetas.it@cesar.org.br.
As sugestões aprovadas serão incorporadas à próxima versão do documento e o seu autor adicionado à lista de colaboradores.

Reunião Uninorte
No último dia 10 de março, o Cesar (Centro de Inovação de Recife) com uma filial em Manaus, realizou na capital uma apresentação para profissionais ligados à pesquisa e desenvolvimento, inovação e manufatura.

O evento, em parceria com a Uninorte, teve o objetivo de discutir temas atuais na área de inovação, difundir os conceitos de IoT (Internet das Coisas) e apresentar o KNoT, a metaplataforma de Internet das Coisas do Cesar.

O KNoT, como o PoETAS, é aberto ao uso e contribuição de todos e tem por objetivo interconectar as diferentes plataformas de hardware e cloud que existem, simplificando o desenvolvimento das aplicações de IoT.

Desenvolvimento da internet
Segundo o site http://www.suapesquisa.com/internet a rede mundial de computadores, ou internet, surgiu em plena Guerra Fria. Criada com objetivos militares, seria uma das formas das forças armadas norte-americanas de manter as comunicações em caso de ataques inimigos que destruíssem os meios convencionais de telecomunicações. Nas décadas de 1970 e 1980, além de ser utilizada para fins militares, a internet também foi um importante meio de comunicação acadêmico. Estudantes e professores universitários, principalmente dos EUA, trocavam ideias, mensagens e descobertas pelas linhas da rede mundial.

Foi somente no ano de 1990 que a internet começou a alcançar a população em geral. Neste ano, o engenheiro inglês Tim Bernes-Lee desenvolveu a World Wide Web, possibilitando a utilização de uma interface gráfica e a criação de sites mais dinâmicos e visualmente interessantes. A partir deste momento, a internet cresceu em ritmo acelerado. Muitos dizem que foi a maior criação tecnológica, depois da televisão na década de 1950.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário