Manaus, 14 de Novembro de 2018
Siga o JCAM:

Projeto manauara ganha destaque na 31ª Mostratec

Por: Divulgação
28 Out 2016, 15h06

Considerado um dos grandes desafios atuais, promover a acessibilidade é uma tarefa que tem ocupado cientistas em todo o mundo. Para contribuir com essas novas soluções, estudantes do Brasil e de outros 20 países apresentam suas pesquisas na área na 31ª Mostratec (Mostra Internacional de Ciência e Tecnologia) que ocorrerá em Novo Hamburgo (RS), no Centro de Eventos da Fenac. O evento, que segue até esta sexta-feira (28) é considerado a maior feira do gênero na América Latina. A organização é da Fundação Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha.
Uma das iniciativas na área é o projeto Visão artificial, dos estudantes Letícia Teixera Pinto, Gabriel Alexander Farias de Lima Teixeira e Alexsandro Moraes de Brito, de Manaus, no Amazonas. Eles criaram um boné que auxiliará o uso da bengala no movimento da pessoa com deficiência visual em lugares de difícil acesso. Um sistema eletrônico composto por uma placa de circuito integrado interligado a um sensor ultrassônico e um fone de ouvido orienta o usuário. O sensor avalia uma distância de até dois metros, e emite um sinal sonoro em caso da detecção de algum obstáculo. O trabalho teve orientação do professor Wadson Benfica de Nazaré.
Outro exemplo é a pesquisa Mão Robótica: Conhecimento e Aplicações, dos alunos Levi Fernandes da Silva e Joalano Oliveira Mendonça, de Ubajara, no Ceará. Orientados pelo professor Jonathan Ferreira Gomes, eles desenvolveram um protótipo de uma prótese da mão humana para atividades cotidianas. O processo envolve a montagem de um circuito elétrico composto de interruptor, motores de DVD, pilhas, capacitores, fios elétricos, gancho metálico e argola metálica. Estudantes de Leopoldina, em Minas Gerais, apresentam o projeto Acessibilidade em todas as dimensões: plataforma de imersão virtual para cadeirantes. O trabalho é de Vicente Cesar Amorim Silva, com orientação dos professores Gustavo Montes Novaes e Saulo Nogueira Lopes de Oliveira. Ele desenvolveu uma plataforma baseada em uma cadeira de rodas para ser usada em aplicações de realidade virtual. O objetivo do projeto é que a plataforma seja inserida em programas de fisioterapia, para tornar a reabilitação de cadeirantes uma atividade menos monótona e que motive o paciente, de acessibilidade social, para mostrar às pessoas como é estar na posição de cadeirante em uma cidade virtual onde não há acessibilidade, e também em aplicações de entretenimento, como jogos virtuais.
O projeto Re-Movimento está sendo apresentado pelos alunos Pâmela Guimarães Zuniga, Guilherme Biazi Sabin e Gabriel Rodrigues Guia, de Cascavel, no Paraná. Orientados pelos professores Gelson Leandro Kaul e Vander Fábio Silveira, eles buscaram uma nova ligação entre cérebro e membro de pessoas com alguma paralisia a partir do conceito de captação dos sinais musculares através da eletromiografia de superfície (SEMG), aliando ao processo de processamento digital de sinais via eletroestimulação. O objetivo é ativar os músculos do membro paralisado por comando do próprio usuário.

A mostra

A Mostratec reúne 420 projetos de jovens cientistas entre 14 e 20 anos de idade, do Brasil (de todos os Estados e do Distrito Federal), Argentina, Bósnia e Herzegovina, Cazaquistão, Chile, China, Colômbia, Dinamarca, Espanha, Estados Unidos, Holanda, Índia, Indonésia, Itália, México, Paraguai, Peru, Portugal, Tunísia, Turquia e Uruguai. Paralelamente, ocorrem a Mostratec Júnior (para estudantes do ensino fundamental, com 220 projetos), o Siet (Seminário Internacional de Educação Tecnológica), os Jogos Mostratec, a Corrida Mostratec Sesc, o Festival Maker Mostratec de Robótica e a Feira Regional do Livro de Novo Hamburgo.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário