Manaus, 14 de Novembro de 2018
Siga o JCAM:

PIM detém 40% da produção nacional de bicicletas

Por: Divulgação
13 Set 2016, 15h47

Há 40 anos inserido no PIM (Polo Industrial de Manaus), o Setor de Duas Rodas consolidou-se como o segundo mais importante da Zona Franca, sendo responsável por um faturamento de R$ 10,3 bilhões, em 2015. Os associados da Abraciclo respondem por 98% do total da produção brasileira de motocicletas e 40% de bicicletas.
"Protagonista dos quase 50 anos da ZFM (Zona Franca de Manaus), o polo de Duas Rodas teve papel fundamental na consolidação do modelo de desenvolvimento econômico. O setor evoluiu e ajudou a escrever a história industrial do Amazonas e do país, tendo destaque na geração de empregos e tornando-se fator determinante para o crescimento profissional de milhares de trabalhadores", afirma o vice-presidente do segmento de bicicletas da Abraciclo, Eduardo Musa.
No âmbito nacional, o segmento de bicicletas produz 3,5 milhões de unidades anuais (excluindo brinquedos), sendo o quarto maior produtor, atrás da China, Índia e Taiwan. O PIM se posiciona como o maior polo de fabricação fora da Ásia.
Responsáveis por 100% da produção de bicicletas em Manaus, os associados da Abraciclo -Caloi, Houston, Ox Bike e Sense -possuem 70% de participação no valor de mercado, decorrente do mix de produtos de alto valor agregado -seguindo a mudança do perfil do consumidor.
Juntas, as quatro empresas, que possuem 11 marcas consagradas no mercado (Audax, Caloi, Cannondale, GT, Houston, Mongoose, Oggi, Ox, Schwinn, Sense e Sense Eletric Bike), investiram nos últimos três anos cerca de R$ 200 milhões em instalações, equipamentos e capacitação de profissionais no PIM, com o intuito de formar uma cadeia produtiva consistente, inovadora e atrativa. Com mais de mil empregos diretos nas fábricas, elas possuem uma capacidade instalada de 2 milhões de unidades/ano.
"Com novas marcas, o segmento de bicicletas da entidade ganha mais representatividade. Queremos expandir a cultura da bicicleta por todo país, com produtos de padrão internacional", comenta Musa.
Segundo dados divulgados pela entidade, em julho, foram fabricadas 60.165 bicicletas, o que corresponde a uma queda de 20,1% em relação ao mesmo mês de 2015 e um recuo de 6,5% em comparação a junho. No acumulado no ano, houve retração de 15,8%, passando de 445.730 unidades para 375.298.
"Assim como todos os setores, o segmento de bicicletas também é afetado pela crise política e econômica. Projetamos uma queda de cerca de 30% na produção nacional, fechando 2016 em torno de 2,5 milhões de unidades. Os associados da entidade devem ser responsáveis por 1,3 milhão de bicicletas. Desta forma, pela primeira vez, os associados da Abraciclo representarão 52% da fabricação nacional. Apesar do recuo no desempenho, nos sentimos vitoriosos por alcançar tal resultado. Estamos no caminho certo", finaliza Musa.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário