Manaus, 19 de Novembro de 2018
Siga o JCAM:

Lixo que produz fertilizante, gás e ração

Por:
11 Fev 2016, 17h27


Tanair Maria
tmaria@jcam.com.br

As feiras de Manaus descartam cerca de 30 toneladas de resíduos de peixe por dia. Todo esse volume poderia ser reaproveitado na produção de 270 mil litros de fertilizante; 3 mil m³ de biogás e 3 toneladas de ração animal. Esse é o resultado da pesquisa realizada por Raimundo Pereira que atualmente está na fase de aplicação no campo. Só na Feira da Manaus Moderna são descartados cerca de 15 toneladas de sobras de peixes, por mês, segundo informou o administrador Thales Pinheiro.
Foi com base neste alto volume de sobras de pescado desperdiçados diariamente nas feiras da capital amazonense, que despertou o lado empreendedor e inovativo do técnico em eletrônica, Raimundo Pereira, a dedicar boa parte do seu tempo em pesquisas com base na engenharia reversa, sobre como reaproveitar como matéria prima, todo esse rejeito orgânico. "Eu vi muito desperdício e decidi estudar uma maneira de colaborar com a cidade", disse.
Na avaliação do pesquisador, a utilização de produtos naturais deve trazer vários benefícios para população amazonense, devido à ligação com a alimentação, energia e sustentabilidade do planeta. Pereira destaca que a maior vantagem no processo produtivo está na capacidade de produção de energia alternativa, fertilizante e ração para animais a partir de matéria orgânica e altamente renovável, sem substâncias tóxicas para o consumidor e para o meio ambiente. "Com o reaproveitamento do pescado adicionado a outros compostos naturais será possível reduzir níveis de gás carbônico por conta da utilização de energia a partir de matéria orgânica", frisou.
Outra contribuição da pesquisa, desta vez para o planeta, está na redução dos níveis de gás carbônico emitido na atmosfera, porque através do processo produtivo ocorre a produção do biogás utilizado para gerar energia elétrica em substituição de combustíveis fósseis. "Este será o futuro da geração de energia e de combustíveis. O planeta Terra e os seres humanos são verdadeiros biodigestores e, em semelhança disso, os inventos para os passos evolutivos das próximas gerações deverão traduzir este padrão em uma constate na vida social, econômica e ecológica da humanidade", disse Pereira.
O pesquisador também explicou que a essência do biofertilizante será utilizada nos setores básicos agrícolas, hortas, jardins e plantações diversas. O biogás, utilizado para gerar energia e combustível. Já a ração orgânica, pode ser utilizada na avicultura e aquicultura. "O biofertilizante trará muitas vantagens para a agricultura em geral por ser um produto isento de agrotóxico. O biogás é um combustível que poderá ser utilizado como geração de energia, a ração orgânica trará benefícios à criação de peixes na região amazônica", revelou.
Pereira já está produzindo biofertilizante, biogás e ração animal em pequena escala, na microempresa Amazonfértil. Ele pretende expandir os negócios com um cronograma de testes em campo, nas cidades do interior do Amazonas, por exemplo, em Rio Preto da Eva na plantação de laranja, Maués na produção do guaraná, Presidente Figueiredo para a cultura do cupuaçu, dentre outros. "Eu pretendo apresentar para os agricultores dos municípios produtores. E cair na roça e testar os produtos", comemorou.
Os resíduos de peixes que são descartados no lixo comum pelas feiras e mercados, agora podem ter um novo destino com essa alternativa que é fruto de um projeto de pesquisa desenvolvido com apoio do governo do Estado via Fapeam (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas) pelo microempreendedor Raimundo Pereira que está reaproveitando os restos de pescado para produção de biofertilizante, biogás e ração orgânica, uma lição de empreendedorismo inovatino na capital amazonense.
O trabalho é um dos 40 projetos aprovados no âmbito do Programa Sinapse da Inovação, fruto da parceria firmada entre a Fapeam com a Fundação Certi (Centro de Referência em Tecnologias Inovadoras), que visa transformar os resultados de projetos de pesquisa de universidades e instituições de ciência, tecnologia e inovação em produtos inovadores competitivos, além de fortalecer o empreendedorismo inovador. "O apoio da Fapeam é importante para andamento dessa pesquisa. Esse é um projeto que vai beneficiar a sociedade com a melhoria na qualidade da produção de fertilizante, biogás e ração animal", concluiu Pereira, que está em busca de parceiros no mercado local.

SERVIÇO:
Contato com o pesquisador Raimundo Pereira: (92) 99115-4720

Comentários (2)

  • ABMAEL JÚNIOR10/11/2017

    Parabéns ao Sr. Raimundo Pereira pela iniciativa, ideias inovadoras que o nosso estado precisa

  • Barnypok31/12/2016

    jyfc3A http://www.FyLitCl7Pf7ojQdDUOLQOuaxTXbj5iNG.com

Deixe seu Comentário