Manaus, 20 de Setembro de 2018
Siga o JCAM:

RH é o mais terceirizado no país

Por: Jornal do Commercio
06 Jul 2015, 12h32

Brasil terceiriza recursos humanos mais do que a maioria dos países

Os serviços de folha de pagamento e recursos humanos estão entre os serviços mais terceirizados pelas empresas no Brasil.
Pesquisa da consultoria Grant Thornton com 2.571 empresários de 36 países mostra que 49% dos empresários brasileiros afirmaram já ter terceirizado esse processo enquanto na média global 25% já usaram terceiros para processar a folha de pagamento.
"O Brasil tem legislações trabalhista e tributária complexas. As várias exigências para fazer o cálculo da folha de pagamento, por exemplo, podem explicar a busca por um serviço especializado", diz Denis Satolo, responsável pela área de "outsourcing" da Grant Thornton Brasil. "Dessa forma, a empresa mantém o foco em sua atividade e terceiriza processos complementares, como o de RH."
A contratação de empresas especializadas também ocorre na área de setor financeiro e de contabilidade. "A América Latina é o continente em que as empresas mais utilizam serviços de "outsourcing". Nas outras regiões, os empresários são mais receosos de terceirizar algumas áreas, principalmente a financeira, que envolve dados confidenciais", informa o executivo.
Ao procurar uma empresa terceirizada, os empresários brasileiros consideram a confiança no fornecedor (55%) como o item de maior relevância no processo de terceirização.
Em seguida estão o conhecimento na área de atuação da empresa (43%), a habilidade em oferecer soluções inovadoras (36%) e a redução de custo (22%), segundo a pesquisa da consultoria.
Nos Estados Unidos (62%), Austrália (50%), Canadá (49%) e Reino Unido (46%), o custo é apontado como mais importante fator para a terceirização.
Segundo a pesquisa, duas em cada cinco empresas usam a terceirização como um meio para reduzir custos, melhorar a eficiência e garantir que as regras de compliance sejam respeitadas.

Em discussão
A terceirização no Brasil ocorre nas chamadas as atividades-meio —aquelas que não são consideradas essenciais em uma empresa.
Ainda não há lei em vigor que regulamente a terceirização de atividades, somente jurisprudência do Tribunal Superior do Trabalho.
A Câmara dos Deputados aprovou em abril o projeto que propõe que empresas possam terceirizar todas as suas atividades, inclusive a principal.
O texto vai ser avaliado pelo Senado, mas ainda não há previsão de data em que a votação irá ocorrer. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), já afirmou que os parlamentares não vão aceitar terceirização "ampla e irrestrita"

Comentários (0)

Deixe seu Comentário