Manaus, 19 de Novembro de 2018
Siga o JCAM:

Nuvem reduz custos de PMEs

Por: Jornal do Commercio
03 Jun 2015, 12h44

Uma nova revolução está em curso e as mudanças prometem benefícios

O aperfeiçoamento contínuo da tecnologia da informação, de tempos em tempos, dá um salto significativo, trazendo benefícios aos usuários, tornando-se uma tendência no meio corporativo e, principalmente, reduzindo custos. Foi assim no final dos anos 1970 e durante uma boa parte dos anos 1980, quando os mainframes dominavam o mercado de computação. Essas máquinas, caríssimas na época, começaram a ceder espaço aos PCs, a um custo muito menor e de uso bem mais versátil. Uma nova revolução está em curso e, mais uma vez, as mudanças que estão vindo prometem muitos benefícios e os usuários da vez são as pequenas e médias empresas, que começam a perceber as vantagens da computação em nuvem.
A estrutura de TI -até então tradicional -com uma rede de computadores interligados, softwares constantemente trocados, licenças, manutenções (nem sempre confiáveis) e todo o dispêndio de energia, nessa atividade paralela, para poder tocar o negócio principal de uma empresa, está sendo substituída gradualmente por máquinas mais simples, com capacidade limitada e com o principal objetivo de se interligar com um data center por meio da internet.
"Até cinco anos atrás, a estrutura tecnológica para uma empresa, principalmente no caso das pequenas e médias, representava um custo significativo, com investimentos em computadores, softwares e toda uma parafernália para fazer com que isso funcionasse. De lá para cá, essa situação vem mudando com a oferta de serviços de nuvem, softwares e comunicação via VOIP", afirma o líder de computação em nuvem da IBM Brasil, Gleydson Gariani.
De acordo com Gariani, as pequenas e médias empresas poderão ter uma redução de custos com TI entre 30% e 40% com a computação em nuvem em substituição a uma estrutura dispendiosa mantida em suas sedes. Ele informa que a IBM disponibiliza para seus clientes no momento serviços de computação em nuvem e softwares pelo sistema de demanda (SaaS) em 21 data centers espalhados por vários países.
"Até o fim do ano deveremos ter 40 centros desses e um deles será instalado no Brasil", afirma Gariani. Segundo ele, atualmente no Brasil cerca de 30% das PMEs já utilizam a computação em nuvem e a grande maioria dos empresários neste segmento, conforme afirma, pensa em migrar para a nova tecnologia.
Além dos gigantes da TI no mundo, as companhias telefônicas também estão entrando nesse nicho.
A Embratel, por meio do Embratel Cloud, vem oferecendo os serviços de computação na nuvem (IaaS) e software por demanda (SaaS) com resultados significativos.
"Estamos crescendo acima das nossas expectativas e caminhando firme para disputar a liderança dentro deste segmento", afirma Marcello Miguel, diretor-executivo da empresa. Segundo ele, o perfil dos clientes desses serviços é composto, predominantemente, por médias e grandes empresas. No entanto, ressalta o diretor, no caso dos serviços em Cloud, há também ofertas bem interessantes para pequenas e micros empresas.
Para Marcello Miguel, as maiores vantagens para as empresas que usam soluções de comunicação unificada e computação em nuvem são eficiência operacional, agilidade na tomada de decisões, maior interação entre equipes e redução de custos. "Mas o maior valor é a inovação na forma de trabalhar. Pessoas e processos atuam de forma mais colaborativa."

Comentários (0)

Deixe seu Comentário