Manaus, 18 de Setembro de 2018
Siga o JCAM:

Xiaomi entra no país em 2015

Por: Jornal do Commercio
17 Dez 2014, 16h13

"Apple chinesa" Xiaomi já pode vender smartphones no Brasil

Não é segredo que a chinesa Xiaomi deve chegar ao Brasil em breve. O brasileiro Hugo Barra, vice-presidente da empresa, já afirmou em entrevistas que a Xiaomi deve iniciar operações no país em 2015.
Nesta semana, a Anatel homologou o primeiro smartphone da empresa. Ele é o Redmi Note. É um smartphone com tela de 5,5 polegadas (mesmo tamanho do iPhone 6 Plus).
Nas imagens na Anatel é possível ver que ele já conta com um manual de instruções traduzido para o português, por mais que algumas imagens tenham coisas escritas em mandarim. O manual indica um perfil da empresa no Twitter, o @xiaomibrasil. Na descrição do perfil, no entanto, ele afirma ser uma página criada por um fã e tem apenas uma postagem. A Xiaomi deve ter negociado para poder usar a conta.
Aparentemente, ele será fabricado na China e importado para o Brasil. A unidade fabril listada pela Anatel fica localizada na província de Hebei, na China. Além da tela de 5,5 polegadas, o Redmi Note tem processador octa-core de 1,4 GHz, câmera traseira de 13 megapixels e frontal de 5 megapixels.

Brasil
Indícios que a Xiaomi estava perto de iniciar operações no Brasil podiam ser vistos na rede profissional LinkedIn.
Alguns brasileiros com localização em São Paulo apareceram entre funcionários da Xiaomi.
A empresa, aparentemente, vem com força para o Brasil. Não é difícil ver funcionários que passaram por grandes empresas de tecnologia como Samsung e Apple entre os contratados da Xiaomi no Brasil.
Mundo
A Xiaomi vem crescendo de maneira assustadora ao redor do mundo. Comparando a participação de mercado da empresa entre 2013 e 2014 existe um aumento de mais de 200%.
No terceiro trimestre de 2013, a Xiaomi foi resposável por 5,2% do mercado de smartphones, de acordo com a consultora IDC. A participação da empresa já é maior do que a LG, que tem 5%. Ela chegou a ultrapassar a Lenovo e ocupar a terceira posição nas vendas - - perdendo apenas para Apple e Samsung. O cenário mudou em poucas horas, no entanto, após a conclusão da compra da Motorola pela Lenovo. Com isso, a Xiaomi voltou ao quarto lugar.
A empresa tem forte presença em mercados emergentes. O seu forte é vender produtos baratos e de alta qualidade.
As configurações e a construção dos produtos são de qualidade. O Redmi Note conquistou o mercado indiano recentemente. A versão 4G foi lançada lá por US$ 160 dólares, o equivalente a R$ 423.
Caso a empresa consiga chegar com um preço competitivo ao Brasil, não será difícil cair nas graças dos brasileiros.



Comentários (0)

Deixe seu Comentário