Negócios

COMPARTILHE

Um lugar chamado Capotira no coração de Manaus

Capotira, a flor do mato brotou no meio do Largo São Sebastião como uma boa opção de café e gastronomia regional

Por Evaldo Ferreira

20 Jul 2019, 13h25

 

Valorizar a comida regional com um olhar para os produtos da floresta. Com esses objetivos surgiu o Capotira há exatos três anos, no Largo de São Sebastião e desde então assim tem sido o cardápio desse café com algo de um restobar.

“Sou arquiteta por formação, mas apaixonada por fazer comida. Quando fui convidada por amigos do Musa (Museu da Amazônia) a abrir este espaço gastronômico aqui, não pensei duas vezes”, falou Débora Paes, proprietária do Capotira.

Desde que abre, às 9h, até a hora em que encerra o expediente, por volta das 19h, o Capotira serve café, café com leite, chocolate, chá, mais sanduíches, doces, salgados e aquelas que não podem faltar, tapiocas.

“Capotira significa flor do mato. Somos um diferencial gastronômico aqui no meio da praça, como uma flor no mato”, significou.

Só de sanduíches, o espaço disponibiliza oito variedades não faltando os recheios com queijo coalho e tucumã, mas tem com frango e carne desfiada. Entre os salgados, omelete e crepioca (um misto de crepe com tapioca). Falando em tapioca, é ela o item mais solicitado no Capotira com recheios salgados (queijo e ovo, castanha e queijo, tucumã e queijo, carne desfiada), e doce (cupuaçu e queijo).

E Débora gosta de inovar. É dela a criação da pizza de tapioca. Ao invés do disco da pizza ser feito com trigo, ela usa tapioca e faz a cobertura com os ingredientes tradicionais de uma pizza. E ainda tem os dadinhos de tapioca, servidos como petiscos. Para os mais tradicionais, bolinhos de pirarucu.

Na lista dos sucos, mais de dez frutas, mas a mais eletrizante, sem dúvida, é a batida com guaraná em pó. Ainda tem chopp e cerveja.

“Para atender a um público que vem aqui no horário do almoço e procura algo mais parecido com um prato de comida, criei o risoto yanomami, que inclusive participou do Brasil Sabor deste ano”, lembrou.

“O risoto tem um blend de cogumelo yanomami (existente somente na região onde estes indígenas vivem) e queijo coalho, refogado no azeite, alho e alho poró, cozido com caldo de cogumelo yanomami em pó. Eu divulguei o risoto e fez tanto sucesso que acabou com meu estoque de cogumelos”, riu.

O Capotira é um aprazível lugar para quem está passeando no Largo de São Sebastião e deseja saborear algo amazônico. Funciona de terça-feira a sábado, das 9h às 19h30; aos domingos, das 9h ao meio dia. Possui 30 lugares sentados e wi-fi.

Na última quarta-feira do mês apresenta a música eletrônica dos DJ’s Luaninha e Mer Mady.

Serviço

O quê: Capotira, arte e sabores da Amazônia

Onde: Rua Costa Azevedo, 272 – Largo de São Sebastião, junto ao Musa do Largo           

Funcionamento: De terça-feira a sábado, das 9h às 19h30; aos domingos, das 9h ao meio dia   

Informações: 9 8265-3270          

Veja Também