Opinião

COMPARTILHE

Tranquilizar

No cenário político Bolsonaro dialogara com os partidos, sem retornar aos maus hábitos da "velha política"

Por Alfredo Andrade

15 Abr 2019, 10h53

Crédito: Divulgação

Estudo do Banco Mundial relata que entre 2014 e 2017 a pobreza no Brasil aumentara 3%, significando que 21% da população, cerca de 43,5 milhões de pessoas vivem na miséria. Em 2014 eram 36,2 milhões. Contudo, o instituto elogia o Brasil ao buscar um programa fulcrado nas reformas, visando o retorno do crescimento; bem como entende que o PIB crescerá 2,2% em 2019, abaixo da Colombia cujo PIB crescerá 3,3%. Esta não é a expectativa do mercado para quem a alta do PIB será abaixo dos 2%.

Por outro lado, na contramão do que a União faz para economizar e fechar as contas públicas o Senado aprovara proposta do  Orçamento que vai na direção contrária ao ajuste fiscal, uma vez que dá mais poderes ao Congresso na execução deste e, consequentemente, maior responsabilidade. Caberá à equipe do Ministro Paulo Guedes negociar os ajustes necessários na Câmara, onde se espera que as lideranças governistas  se façam presentes.

No cenário político Bolsonaro dialogara com os partidos, sem retornar aos maus hábitos da “velha política”, aspecto rejeitado nas urnas. O objetivo fora a obtenção de apoio à aprovação da reforma da Previdência, não tendo ocorrido negociação de cargos. Dera o primeiro passo visando construir uma ponte sólida com o Congresso, cuja responsabilidade é do conhecimento de todos que o integram. Bolsonaro tem o povo brasileiro ao seu lado; hoje cada vez mais instruído e preparado para agir; não devendo  perder tempo com resultados de pesquisas, até porque estas refletem aquele momento e nem sempre são a expressão da realidade. Dependem muito do órgão que as realiza, sua experiência e seus fracassos nos anos anteriores como ocorrido nas últimas eleições.

Se desejam certos “parlamentares” anti-patriotas, criarem um clima de “pânico”, com certeza pegaram  o bonde errado. Não sabem que a eleição fora o povo sem partido, sem dinheiro e sem o próprio candidato que ficara 30 dias hospitalizado que obtivera a vitória;  lutando contra toda a mídia poderosa. Bolsonaro está preocupado com a pobreza e o custo dos alimentos para os mais pobres; com as reformas e “tem um vice que tranquiliza o mercado, a classe política  e o núcleo militar” na afirmação do cientista político Rodrigo Prando, do Mackenzie. Que parte da mídia seja mais honesta com o povo brasileiro é o que se espera por amor ao debate sadio e de alto nível, até porque Bolsonaro governará com a VERDADE, não usando da mentira, nem de promessas torpes que só humilharam os incautos eleitores .

“Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”.

*José Alfredo Andrade é ex- Conselheiro Federal da OAB/AM  nos Triênios 2001/2003 e 2007/2009 - OAB/AM A-29  - Email: alfredo@andradegomesadv.com.br

Veja Também