Opinião

COMPARTILHE

Sinduscon quer reativar obras

Por Redação

09 Ago 2019, 10h54

Crédito: Divulgação

Atendendo a uma solicitação da direção do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Amazonas, a conselheira-presidente do Tribunal de Contas do Amazonas, Yara Lins dos Santos, entregou ontem o relatório com 80 obras paralisadas no Amazonas, que totalizam um montante de R$ 836 milhões.  Os números repassados à entidade foram divulgados em abril deste ano pela Diretoria de Controle Externo de Obras Públicas e entregues em um relatório nacional pela Associação dos Membros dos Tribunais de Contas ao Conselho Nacional de Justiça, que tenta destravar as paralisações em todo o país. Segundo o presidente do Sinduscon, Frank Souza, a ideia da entidade é colaborar, com o apoio às empresas, para que as obras sejam retomadas imediatamente e gerem empregos. O trabalho de fiscalização do TCE-AM em obras em andamento continua. Ontem mesmo engenheiros do órgão estavam acompanhando as obras do viaduto da Constantino Nery e de pavimentação na rodovia AM-070, como parte da fiscalização concomitante implantada por ela no início do ano passado. Um balanço preliminar do TCU, divulgado em 2018, apontou para a interrupção de 14,4 mil contratos em todo o país em um valor aproximado de R$ 144 bilhões.

NOVA AMEAÇA

A aprovação da Proposta de Emenda à Constituição 51/2017 na Constituição de Constituição e Justiça do Senado, que concede imunidade tributária para a fabricação de consoles e jogos para videogames no país, é mais uma ameaça contra a Zona Franca de Manaus (ZFM).  Ao criar essa vantagem para fabricantes desses produtos em todo Brasil, a Casa acaba as vantagens das indústrias em Manaus.  

CABENDO NA RECEITA

O deputado Serafim Corrêa (PSB) disse que os poderes Legislativo, Executivo e Judiciário têm necessidade de dialogar para que o Estado caiba dentro da própria receita. A afirmação foi feita ontem durante a palestra ‘Separação dos Poderes: a necessidade dos diálogos constitucionais’, na Assembleia Legislativa do Amazonas.

CONVOCADO

À frente de uma Organização Não-Governamental que abocanhou R$ 31 milhões do Fundo Amazônia em 2018, o superintendente-geral da FAS (Fundação Amazonas Sustentável), Virgílio Viana, deverá comparecer nos próximos dias à Assembleia Legislativa para prestar informações e debater com os deputados a aplicação dos recursos do Fundo no Estado do Amazonas. Um requerimento coletivo sugerido pelos deputados Belarmino Lins e Dermilson Chagas, ambos do PP, foi aprovado ontem.

MARIA DA PENHA

Em cinco anos, 1.206 mulheres foram atendidas pelo projeto Ronda Maria da Penha, da Polícia Militar do Amazonas. A iniciativa foi lançada em setembro de 2014 pela Secretaria de Segurança Pública. Atualmente, 90 mulheres estão sendo acompanhadas em toda a capital. Até o ano passado, o programa atendia somente mulheres que moravam nos bairros Novo Aleixo e Cidade de Deus.

MANAUS NA CORTE

Uma exposição sobre Manaus está sendo preparara para ser instalada na Câmara dos Deputados como parte das comemorações relativas aos 350 anos da cidade. O evento, que está previsto para ocorrer em novembro desse ano, é uma realização do presidente da Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços, deputado federal Bosco Saraiva (Solidariedade) e conta com a parceria da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos.

NA ALEMANHA

O superintendente da Suframa, Alfredo Menezes está na cidade alemã de Aachen, localizada na região administrativa de Colônia conhecendo as tecnologias e metodologias empregadas no principal polo da Alemanha focado na Indústria 4.0. A missão é promovida pela empresa MAP Technology, em parceria com a Universidade de Aachen, e tem a cooperação de fundos de investimento e de órgãos públicos como Suframa, Universidade Federal do Amazonas e Universidade do Estado do Amazonas.   

DECISÃO

A desembargadora Joana dos Santos Meirelles, manteve ontem a tutela de urgência concedida ao Estado pela 2ª Vara da Fazenda Pública, no dia 14 de maio, que proíbe que o Instituto de Cirurgia do Estado do Amazonas paralise os serviços, sob pena de multa diária de R$ 200 mil e prisão de 15 dias a seis meses, aplicadas ao diretor da empresa, José Francisco dos Santos, e aos cirurgiões que faltarem aos plantões.

VAI PAGAR

Já o vice-governador e secretário-chefe da Casa Civil, Carlos Almeida (PRTB), anunciou a liberação, para hoje, do pagamento ao Instituto de Cirurgiões do Estado do Amazonas referente ao mês de maio, no valor de R$ 4.120.859,760. Com isso, o Governo do Estado mantém normalizada a liberação dos recursos para as cooperativas médicas, segundo ele.    

FRASES

Nossa maternidade não vai fechar. Vamos atender em local mais amplo ainda”. Arthur Virgílio Neto (PSDB), prefeito de Manaus, negando boatos sobre o fechamento da Maternidade Moura Tapajós para uma ampla reforma

Está tudo funcionando”. Nota do Governo do Estado, negando que a paralisação convocada por sindicalistas tenha surtido efeito ontem

Veja Também

Artigo

Seguro morreu de velho

09 Aug 2019, 12h15