Empresas

COMPARTILHE

Setor de chaves e carimbos busca ampliar modernização

03 Mai 2019, 09h26

Crédito: Evaldo Ferreira

Chaves e carimbos são objetos milenares, até hoje úteis e, pela modernidade dos equipamentos que os produzem, e eles mesmos terem sido modernizados, parece que ainda vão permanecer por muito tempo nos servindo.

As primeiras chaves de que se tem notícia surgiram no Egito, há quatro mil anos. Eram de madeira, bem maiores que as atuais, e demoraram séculos até serem fabricadas com metal.

Já os carimbos, são bem mais antigos. Os primeiros teriam surgido há cinco mil anos, na Mesopotâmia, gravuras escavadas em rolos de pedra, bem diferentes daqueles que conhecemos, de madeira e borracha, por sinal, estes só foram criados a partir da invenção do processo de vulcanização da borracha (produto então só existente na Amazônia), em 1844, por Charles Goodyear. Coincidentemente, neste mesmo período, Yale, pai e filho, lançaram o modelo de chave e fechadura mais usado na atualidade, com mecanismos de cilindros e molas.

Os séculos passaram e chaves e carimbos nunca deixaram de ser úteis em todo o planeta. Em Manaus a Chaveiro.com foi inaugurada em 2015, sob a direção de Lucas Dantas mas, há 20 anos seus pais Afrânio e Elijane já eram os proprietários do chaveiro Gold Norte. Afrânio, por sua vez, havia aprendido o ofício de chaveiro com sua mãe, Ivete.

“Meus pais ainda trabalharam com aqueles carimbos com borracha pregada na madeira. Hoje ainda se usa a borracha, mas a madeira só se o cliente pedir. O corpo dos carimbos atuais é todo de plástico com algumas partes de metal. Já as antigas máquinas de copiar chaves, onde você fixava a chave original num lado e no outro uma chave virgem era moldada, também são coisas do passado, mas ainda tem gente ganhando dinheiro com elas”, relatou. “E quem não tinha essa máquina, fazia a cópia com uma lima. Meus pais trabalharam dessa forma”, contou.

Setor não sente crises

Atualmente a Chaveiro.com dispõe de três máquinas para fazer carimbos e cinco para fazer chaves.

No Brasil a transformação mais profunda no setor de carimbos iniciou-se em meados de 1994 com a chegada das primeiras máquinas de confecção de carimbos por fotoexposição e a chegada dos primeiros carimbos auto-entintados.

“Duas das mais modernas para fazer carimbos são a com laser e a flash. A laser reduz o tempo de produção, graças à automatização da gravação e à rapidez e precisão neste trabalho. Já testamos essa máquina na gravação em madeira e em metal, e ela se saiu muito bem”, garantiu. A máquina flash dispensa a almofada. Essa máquina é equipada com duas lâmpadas e capaz de fazer vários tamanhos de carimbo. “Não precisa de almofada, pois a própria borracha absorve a tinta que será colocada posteriormente após a exposição, além disso, é possível a impressão de fotos”, informou.

“O movimento de nossas lojas na produção de carimbos nunca reduziu, nem sente crises econômicas. Os principais clientes são médicos, enfermeiras e advogados, que estão sempre carimbando documentos. Empresas também nunca deixam de pedir carimbos com CNPJ”, disse.

Quanto às chaves, estas são imprescindíveis em nossas vidas, seja para trancar uma portinhola ou abrir um imenso portão de ferro. Quem nunca perdeu uma chave, ou a esqueceu dentro de casa, ou no interior do próprio carro?

Lucas coleciona histórias curiosas de quem esqueceu ou perdeu chaves.

“Mais de uma vez, e recentemente, recebi ligações de mães desesperadas cujas empregadas haviam esquecido a criança dentro do apartamento, junto com a porta da chave. Pessoas que perdem as chaves de casa, do apartamento, do escritório, ou as trancam para dentro do carro, surgem a todo instante”, disse.

“Todos os nossos funcionários, eu e meus pais, somos habilitados a abrir fechaduras, cadeados e mesmo cofres”, afirmou.

“Até há pouco tempo quando o proprietário de um desses carros mais modernos, com chave codificada, a perdia, precisava esperar ao menos dois meses até a fabricante do veículo mandar uma nova chave. Hoje, de posse do código, ou mesmo sem ele, fazemos a chave no mesmo dia”, garantiu.

Prestadora de outros serviços

Uma das chaves considerada mais moderna nos dias atuais é a multiponto. Como o nome já diz, ela possui pontos em sua superfície o que proporciona uma variedade muito grande de combinações garantindo a segurança da fechadura. Sua codificação é computadorizada, difícil de ser violada. A fechadura é construída em material de alta resistência, caixa de latão maciço e lingueta de aço.

“A todo instante surge coisa nova no segmento e devemos estar atentos. Cada nova máquina, cada nova chave ou carimbo, sempre traz algo diferente, buscando o melhor para o usuário”, explicou.

A Chaveiro.com possui quatro lojas, no Amazonas Shopping, no Millennium, no Ponta Negra e no Manaus Shopping Center, no centro e, começa a se direcionar para outros segmentos, também milenares, e que nunca deixaram de existir. Além das vendas de chaveiros, canetas e embalagens para presentes, Lucas e os pais estão montando um setor de confecção e consertos de roupas e um sapateiro, na loja do Shopping Ponta Negra.

“Hoje, mais do que um chaveiro, buscamos ser uma empresa prestadora de outros serviços”, adiantou.      

Veja Também

Artigo

Modernização

10 Jan 2018, 00h00
Economia

Terceirização traz modernização

18 Apr 2017, 00h00